domingo, 14 de outubro de 2012

Teste. A sua mente está sendo controlada?



Embora as seitas sejam diferentes em seus sistemas de crença, todas elas usam as mesmas técnicas de controle mental. O propósito deste artigo é permitir-lhe testar a si mesmo para saber se você é uma vítima dessas conhecidas técnicas de alienação. Nas seguintes questões não tratamos de nenhum grupo religioso específico. Pelo contrário, as informações abaixo foram coletadas visando muitos grupos, todos conhecidos por usar técnicas de controle da mente em seus membros. Deve-se notar, ainda, que essas questões não estão limitadas simplesmente a grupos religiosos. Atualmente existem também muitos grupos políticos, de negócios e seculares, não-religiosos, que empregam técnicas de controle mental em seus participantes.

E então, o que você tem a perder? Quer fazer o teste?

Faça o Teste!

Por favor, responda as seguintes questões com honestidade:

  • Você se sente como se tudo que você faz de bom para o seu grupo, não importa o quanto você se esforce, nunca é o bastante? E como resultado disso, você costuma sentir culpa?
  • O que o motiva? É um genuíno amor por Deus, pelo seu grupo, etc., ou é medo de não atender aos padrões desejados?
  • Questionar o grupo ou os seus líderes é algo desencorajado ou mal visto?
  • O grupo ao qual você pertence acredita que é uma elite, uma organização exclusiva que detém, sozinha, “a verdade” e as respostas para as questões da vida?
  • O seu grupo ridiculariza, ataca ou caçoa de outras igrejas cristãs e de sua interpretação da Bíblia?
  • A leitura de literatura que critica o grupo é desencorajada? Muitas seitas advertirão os seus membros para não ler qualquer coisa que critique o grupo, especialmente se escrita por algum ex-membro (que recebe nomes como "apóstata", “endurecido” ou “do diabo”, etc.). Essa é uma técnica de controle bastante conhecida, que impede o membro de descobrir os erros claros e documentados da seita. Com isso a habilidade dos membros de pensar por si mesmos é totalmente anulada, e eles vão pensar cada vez mais como o restante do grupo.
  • Dê uma olhada na aparência e no modo de agir do grupo. Todos se vestem, agem, e falam, mais ou menos, do mesmo jeito? Certo observador, falando sobre seu particular envolvimento com uma seita, disse que o grupo encorajava os seus membros a "fazer tudo exatamente do mesmo modo - orar do mesmo jeito, parecer igual, falar do mesmo modo. Isso, em psicologia, é um clássico exemplo de conformidade grupal. Seu propósito é garantir que ninguém tente agir de modo diverso ou se torne dissidente, para que ninguém questione o status quo." (Andrew Hart, Jan. de 1999).
  • O grupo desencoraja a associação com não membros (exceto, talvez, se houver a possibilidade de convertê-los ao grupo)?
  • O grupo lhe dá respostas do tipo “preto ou branco”: aquilo com o quê o grupo concorda é certo, e aquilo de quê o grupo discorda é errado?
  • Todas as pessoas do grupo acreditam exatamente nas mesmas coisas (ou seja, no que os líderes do grupo mandam acreditar)? Não existe espaço para crenças individuais ou opiniões, mesmo em áreas de menos importância?
  • O grupo tem “duas caras”: por um lado, se mostra a possíveis convertidos e ao grande público como um grupo de pessoas que são como uma grande família, cheia de amor e igualdade, mas, na verdade, o grupo tem muitos membros que se sentem intimamente não satisfeitos e emocionalmente esgotados?
  • Você já tentou desativar a sua capacidade, dada por Deus, de pensar criticamente, deixando de lado várias dúvidas sobre o grupo, os ensinamentos dele, etc.?
  • Aqueles do grupo que não se conformam às exigências dos ensinos do movimento são tratados com suspeição, como se fossem membros de “segunda-classe”?
  • O grupo tende a ocultar certas informações a potenciais convertidos? As doutrinas menos comuns do grupo não são discutidas até que um indivíduo esteja mais profundamente envolvido no movimento?
  • Você sente medo de deixar o grupo? Muitas seitas usam táticas sutis de terror para impedir os seus membros de deixá-las. Por exemplo, o grupo pode dizer que aqueles que desertarem serão atacados pelo Diabo, sofrer um acidente terrível, ou, no mínimo, não vão prosperar, porque eles deixaram “a verdade”.
Se você respondeu SIM à maior parte das questões acima, o grupo em que você está engajado está certamente empregando técnicas de manipulação mental.

Agora que você sabe disso, o que fará?
  1. Você precisa perceber que, qualquer que seja o grupo de que você é parte, ele não tem o monopólio de Deus. Para muitos dos que estão em seitas que utilizam controle da mente, deixar o movimento é geralmente considerado o mesmo que deixar o próprio Deus e perder a salvação. Porém, a verdade é que há cristãos em todas as denominações que encontraram a salvação em Cristo apenas, e não na igreja ou no grupo. Muitos que estão presos em um sistema religioso espiritualmente prejudicial sentem como se não tivessem nenhum outro lugar para ir, mesmo se eles realmente conseguirem se desvincular do grupo.

    A resposta se encontra no que Jesus disse no Evangelho de Mateus 11:28: "Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei."
  2. Você precisa deixar o grupo. Pode ser difícil, mas, se você continuar lá, só será prejudicado: mental e espiritualmente. Você também estará contribuindo com um sistema que, em seu coração, sabe estar errado. Não deixe o orgulho impedi-lo de deixá-lo.
  3. Não pense que você vai ficar sozinho quando decidir sair.Há muitas pessoas que passaram pela mesma situação. Elas vêm de vários grupos religiosos, mas foram todas vítimas da mesma dominação das técnicas de controle mental. Hoje, muitas delas estão vivendo vidas de liberdade, segurança e esperança. Para obter encorajamento, você poderá ler algumas das histórias disponíveis neste e em outros sites ligados a este.

Traduzido por Avelar Jr.
Link da postagem original.

terça-feira, 5 de junho de 2012

Ex-obreira fica gravida do diabo e dá luz à 3 caveiras de plástico.

terça-feira, 20 de março de 2012

$$$ Batalha Televangelista $$$

segunda-feira, 19 de março de 2012

Exclusivo!! Record Revela Segredos do Apostolo Valdemiro Santiago

domingo, 4 de março de 2012

'Só apareceu um fã', diz Baby do Brasil sobre trio elétrico gospel


Por que ninguém foi atrás do seu trio? Acho que faltou divulgação. Nem eu sabia direito o horário que iria sair. Só apareceu um fã, que foi comigo em cima do carro. Ele só chegou porque tinha o telefone da nossa produção. Esse cara segue a gente há quinze anos.

Você acha que o show foi um fracasso? De maneira nenhuma. Você não acredita o que é estar em cima do caminhão e cantar “eu quero é Deus, não importa o que vão pensar de mim”. Nos anos anteriores foi massa e no ano que vem vai ser melhor.

Você vai insistir no trio gospel? Depois que eu me converti, tive a necessidade de cantar louvores. Eu sabia que ninguém que fizesse isso no Carnaval seria bem-aceito. A não ser que fosse alguém como eu, com a minha cabeça, história e qualidade musical. Essa é a minha crença, e foi assim que eu encontrei uma forma de louvar a Deus naquela festa louca.

Como foi a sua conversão? Foi há treze anos. Igual no filme Matrix.

Como assim? Foi como entrar em uma realidade paralela. Como no filme.

Como os evangélicos veem esse seu jeito? Foi um susto para muitos deles. Muitas igrejas acham que o meu trio não combina muito com a religião. Mas é a festa o que me agrada.

E você sabe que tem evangélico que vai para o Carnaval escondido? Eu não vou escondida. Eu assumi para todo mundo a minha vontade

* Baby: "Tem evangélico que vai para o Carnaval escondido"

Fonte: Veja

A idolatria evangélica por Silas Malafaia



O pessoal do Cante as Escrituras tirou uma foto interessantíssima na cruzada evangelística do pastor Silas Malafaia em Fortaleza. 

Na ocasião, nossos irmãos testemunharam uma multidão de pessoas comprando por singelos R$ 2,00 (Dois Reais), bandanas e gravatas com o nome do ex-bigodudo. 

Segundo o pessoal do Cante as Escrituras, uma enorme quantidade de fãs compraram os apetrechos "malafalianos" demonstrando assim sua veneração ao polêmico pastor.

Prezado amigo, confesso que estou assustado com a idolatria evangélica! Sinceramente diante do que vejo sou levado a crer que alguns dos evangélicos estão ensandecidos. Ora, fazer bandanas e gravatas com o nome do Silas Malafaia é o cúmulo da idolatria.

Pois é, diante desta loucura manifesto a minha preocupação com o rumo da igreja evangélica brasileira. Lamentavelmente parte dos evangélicos está acreditando num evangelho absolutamente diferente do pregado por Jesus e pelos apóstolos.

Diante do exposto, resta-nos chorar diante do Senhor pedindo a ele que nos perdoe os pecados e mude definitivamente os rumos da Igreja de Cristo


Pense nisso!
Blog do - Renato Vargens

domingo, 19 de fevereiro de 2012

Isso pode, isso não pode

Antes de me converter, na adolescência, achava muito engraçado o comportamento dos crentes. Cheios de não me toques e restrições, eram um povo à parte. Depois de minha conversão, aos 17 anos, continuei achando engraçado o comportamento de alguns deles. Ainda cheios de maneirismos, pretensamente espirituais, dizendo que era da vontade de Deus tal e tal comportamento.

Acho que, pelo fato de não ter pedigree, ou seja, não ser de família evangélica, sempre me encafifei com isso. Por exemplo: por que, em algumas igrejas, ter televisão era pecado mortal? E por que, nestas mesmas igrejas, hoje é possível até mesmo pastor ter blog e programa de TV? Mudou Deus, mudou a Bíblia ou mudaram os tempos?

Este é o grande problema em se sacralizar aquilo que deve ser entendido apenas como o jeito de uma época de se entender as coisas. Ou seja, a cultura, este óculos para se enxergar a realidade, é apenas uma construção humana, pessoal, falha.

Mas é com base na cultura, e não nas Escrituras, que muitos pautam suas vidas. Onde está na Bíblia, por exemplo, que crente deve apenas ouvir música dita evangélica? Onde está escrito que devo trocar, de bom grado, The long and winding road, dos Beatles, por algum ponto-de-macumba gospel? É óbvio que ouço música evangélica, mas apenas a de boa qualidade. Mantra vazio e mercantilista eu dispenso.

Onde está na Bíblia que cristão deve ser sempre sisudo, circunspecto, nunca podendo rir ou brincar? Aliás, este é um ponto interessante, pois sempre que se questiona algum bezerro de ouro do mundim góspi, logo aparecem suas catifundas dizendo que prestaremos contas a Deus por mexermos com gente untada, ops, ungida. Ora essa, este é o mais novo fenômeno gospel: a idolatria por gente viva, e bem viva, por sinal! Ao Deus verdadeiro toda a glória, honra e louvor; mas para esses hômi di delz, todo escracho e esculacho ainda é pouco!


Onde está na Bíblia que todo pastor deve ter cara de pastor? Aliás, gostaria de saber como é cara de pastor. Cada vez que alguém diz que não me pareço com um pastor, só respondo graças a Deus!, pois esta imagem pré-formatada na cabeça de muitos não quero pra mim. Aliás, as pessoas confundem pastor com executivo, empresário, coisas do gênero. Acham que o pastor só é fiel a Deus se fizer a igreja bombar. Substituíram a ação do Espírito pelo marketing e por estratégias gerenciais. Parafraseando o Sal 23, muita gente diz Chiavenato é o meu pastor...

Onde está na Bíblia que o mundo deveria nos aplaudir? Onde está na Bíblia que o sinal da aprovação de Deus é uma apresentação no programa do Luciano Huck, vender bastante CD e DVD, ficar rico e famoso e distribuir autógrafos para a patuléia? Como fica Jo 15.19 nesta história?

Enfim, a cultura é uma coisa passageira. Charles Spurgeon, o príncipe dos pregadores, seria execrado hoje em dia, por causa do seu tabagismo. O mesmo poderia ser dito de Calvino e seu vinho ou de Lutero e sua cerveja. Ao se absolutizar aquilo que é relativo e passageiro, corremos o risco de relativizarmos Aquele que é o Absoluto. Como, aliás, tem acontecido muito ultimamente.

Por: Digão - Blog do Digão


sábado, 18 de fevereiro de 2012

"Oferta" como "mensalidade", com direito até a "data de vencimento"

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Quem dera ter um peixe pra Gezui$




Conta-se que em um determinado culto um pastor de uma certa comunidade, ao exortar a igreja para a contribuição de dízimos e ofertas, fez um dos papéis mais ridículos que possa existir. Ao relacionar o dinheiro como um investimento pelo qual o sujeito recebe uma recompensa de Deus de acordo com o valor monetário “investido”, o tal pastor partiu para o ataque e disse: “- Queridos, antes de receber o que vocês tem para oferecer pra Deus, queria que algumas pessoas me trouxessem todos os tipos de notas em Real aqui na frente para lhes dar uma demonstração de como ser verdadeiramente abençoado nas finanças”. Então ele começou a sua exposição a fim de levantar uma oferta bem obesa:
“Gente...
Vejam que a Nota de 2 Reais é representada por uma tartaruga – sabe o que isso significa? Ela só serve para uma oferta medíocre! Você quer uma benção que vem a passos de tartaruga? Uma benção que vem lentamente, quase parando...?(risos)!
A Nota de 5 Reais é representada por uma garça  – Sabe aonde as garças vivem? Elas adoram o mangue! Irmão, é na lama que você quer viver?!
Já a Nota de 10 Reais, ela possui uma arara – gente, arara vive voando! Crente não voa baixo como arara, mas alto como Águia! Essa nota não serve pra Deus!
A Nota de 20 Reais tem um mico – Você vai pagar um “mico” ofertando só isso?
Já a Nota de 50 Reais tem uma onça – Irmãos, a onça até que é interessante, mas ela está em extinção! Portanto a tua benção não está em extinção, creia!! Olha, fique sabendo...nem “onça” serve pra Deus!
Já a Nota de 100 Reais, queridos irmãos, tem um peixe – Sabe o que o peixe simboliza? O cristianismo! Se você quer ser abençoado, não ofereça tartaruga, garça, arara, mico ou onça, mas dê ao Senhor o que ele merece: Peixe!”
Boa parte igreja da igreja, após essa anátema alegoria, bradou com súbitos aleluias!!


Fonte: Arte de chocar

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Polêmica - Evangélicos também gostam de sexo!



Religião e sexo nunca foram assuntos que andaram lado a lado. Para muitas crenças, o sexo é apenas parte do processo reprodutivo e o prazer é condenado. Outros acreditam que o sexo deva ser feito apenas depois do casamento e apenas com a pessoa que Deus escolheu para você.
E onde tem sexo, tem gente investindo para deixar tudo mais... divertido! É o que vem acontecendo, nos últimos anos, com a indústria gospel. Isso mesmo, indústria gospel relacionada ao mundo do sexo! Essa semana todo mundo resolveu falar de uma empresa que está produzindo filmes eróticos evangélicos. Todas as obras têm enfoque claro e seguem regras de conduta: os protagonistas dos filmes são casais — marido e mulher mesmo - na vida real, todas as cenas seguem preceitos do sexo cristão — e tem a religião como princípio -, nunca é extraconjugal e práticas como ménage, sadomasoquismo e nudismo (!) são impensáveis.
A ideia desses filmes é ensinar aos casais cristãos como eles podem ter e proporcionar prazer de acordo com a Bíblia — incluindo posições sexuais e tratamentos respeitosos ao órgão do outro. Mas a indústria do sexo gospel não é baseada apenas em filmes em que, pelo que eu entendi, rola sexo de roupa. Também há outras... atividades nesse mercado. Quer conhecer?

Sex shop para casais religiosos

Apimentar a relação de acordo com preceitos da Bíblia é a missão de alguns sex shops online. O Book 22 foi o primeiro deles e a história é que o casal que o criou estava, segundo o site NPR.com, cansado de buscar soluções para sua vida sexual e só encontrar pornografia.
Existe também o My Beloved Garden, que oferece produtos para casados. E há também o Intimacy of Eden. Mas não se assuste se o que você encontrar nessas lojas for igual ao que vê em outras sex shop, o que muda é só o nome. Eles vendem o produto e cada um usa como quer, então...

Pole dance para Jesus
Uma americana resolveu criar o esporte e fez algumas mudanças nas aulas convencionais de pole dance, ou dança do poste. Primeiro, as músicas: nada de música de boate, apenas louvores cristãos ou músicas gospel populares. Depois, os movimentos, que não são tão sensuais quando nas aulas normais, afinal, é um momento de adoração.
Além disso, é um exercício físico que deixa as mulheres mais fortes para lidar com os problemas do dia a dia.
"Eu acho que não há nada de errado com o que eu faço. Eu ensino mulheres a se sentir bem consigo mesmas, ensino elas a sentirem-se poderosas. Qualquer um que quiser me julgar, Crystal Deens, criadora da modalidade, para a rede de TV americana Fox News.

Swing gospel

Esse é o nome de um grupo musical que canta temáticas religiosas, mas não é sobre eles que estamos falando. O swing gospel do qual estamos falando é igualzinho àquele não religioso, em que as pessoas trocam de casal e fazem sexo por puro prazer, sem sentimentos ou ligações matrimoniais.
Não há uma casa especializada na prática também conhecida como "sono inocente", mas foram encontrados alguns anúncios em classificados sexuais de casais evangélicos procurando moças evangélicas para fazer parte do relacionamento.
E então, casais evangélicos também sofrem com a monotonia do sexo e curtem apimentar a relação de vez em quando?

Fonte: Yahoo


 
Pesquisa personalizada