segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

10 Pecados: Instituição x Igreja de Cristo (Parte 3)

Na mão de Deus – Poema de Antero de Quental (1842-1891)



Na Mão de Deus
A mão de Deus nos sustenta…

Na mão de Deus, na sua mão direita
Descansou afinal meu coração.
Do palácio encantado da Ilusão
Desci a passo e passo a escada estreita.

Como as flores mortais, com que se enfeita
A ignorância infantil, despojo vão,
Depus do Ideal e da Paixão
A forma transitória e imperfeita.

Como criança, em lôbrega jornada,
Que a mãe leva no colo agasalhada
E atravessa, sorrindo vagamente,
Selvas, mares, areias do deserto…
Dorme o teu sono, coração liberto,
Dorme na mão de Deus eternamente!

Nas palmas das mãos de Deus



Veja, eu gravei você nas palmas das minhas mãos. Isaías 49.16


O que mais importa não é o fato que eu conheço a Deus, mas, sim, algo muito maior que está implícito neste conhecimento — ele me conhece. Eu estou gravado nas palmas de suas mãos. Nunca sou esquecido por ele. Todo o meu conhecimento dele depende da iniciativa permanente da parte de Deus em me conhecer. Eu o conheço porque ele me conheceu primeiro e continua a me conhecer.

Ele me conhece como meu melhor amigo, alguém que me ama. Não há um único momento em que ele tira seus olhos de mim ou que se distrai e me esquece; portanto, não há um momento sequer em que ele deixa de cuidar de mim. Este é um conhecimento extremamente significativo. Há um indizível conforto — o tipo de conforto que nos dá poder, isto é, não nos enfraquece — em conhecer este Deus que está constantemente consciente de mim em amor e cuidando de mim para o meu bem.

Para refletir: Que conforto você sente ao saber que seu nome está gravado na mão de Deus?

Retirada de O Conhecimento de Deus ao Longo do Ano (Editora Ultimato, 2008)

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

10 Pecados: Instituição x Igreja de Cristo (Parte 2)

Ainda tem gente de Deus - Alguma esperança - Gladir Cabral

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Protestantes debatem se fé precisa da instituição em fórum mundial na Suíça



Coordenado pela Federação de Igrejas Protestantes da Suíça, e simultaneamente ao Fórum Econômico Mundial, de 27 a 29 de janeiro, em Davos, acontece um ciclo de debates aberto ao público em geral que tem entre seus temas um que pergunta: “A Fé Precisa da Instituição Religiosa?”. Na descrição do debate e sua provocação inicial, algumas reflexões interessantes para qualquer cristão no Brasil de hoje.


“O interesse das pessoas por questões existenciais e orientação ética é imutável. Mas a conexão disto com instituições, até mesmo as igrejas, está diminuindo em vários países. Especialmente, os jovens estão recorrendo a crenças religiosas que acontecem fora das estruturas tradicionais. Como as instituições religiosas podem atender ao anseio das pessoas por sentido para suas vidas e orientação ética? Quais são as responsabilidades sociais e políticas das instituições religiosas? Como elas tratam a fé? A fé precisa da expressão coletiva?

Estas são as perguntas que os participantes tentarão responder na seção de debates sobre fé e instituição religiosa do dia 28 de janeiro às 19h (horário da Suiça), 22h (horário de Brasília). Os debatedores serão conduzidos por Gottfried Locher, presidente da Federação de Igrejas Protestantes da Suíça, Adrian Loretan-Saladin, professor de Leis Canônicas de universidade suíça, Parinas Parhisi, Rolf Schieder, professor do Departmento de Teologia Prática e Educação Religiosa da Universidade Humboldt em Berlin, Alemanha, dentre outros.

Qualquer pessoa que escrever comentários sobre o tema no blog do Fórum Econômico Mundial pode ter suas ideias levadas ao moderador no dia do debate. Pode ser acompanhado pelo Twitter, através de @OpenForumDavos ou pelas tags #WEF e #OFD. O vídeo dos debates serão disponibilizadas no YouTube.

Fonte: Agência Soma/Gospel prime

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

10 Pecados: Instituição x Igreja de Cristo

Apresentaremos, nesses próximos dias, uma excelente mensagem do pastor Ed René Kivitz intitulada "10 Pecados - Instituição X Igreja de Cristo". O Vídeo – que se encontra dividido em 3 partes - enfoca que o papel da Igreja do Senhor não se limita a um espaço institucional. Ótima reflexão, vale a pena acompanhar!

Parte 1






Homofobia: Não cabe ao cristão discriminar


Da série: Vamos pensar um pouco. veja outro textos clicando aqui


Homofobia: Não cabe ao cristão discriminar

Além de não poder praticar nem dar seu aval à conduta sexual adulterina e à homossexual, o cristão precisa aprender a arte da convivência com aqueles que as praticam. Por ter se comprometido espontaneamente com Cristo ao se converter, o cristão é membro de uma comunidade cristã e responsável por seu comportamento e testemunho. Porém, ele não é retirado do mundo, da sociedade no meio da qual vive. Segundo Paulo, o cristão não deve ficar separado dos não-cristãos, que vivem a seu bel-prazer. Para viverem separados, os cristãos “teriam de sair deste mundo” (1Co 5.10, NTLH), atitude com a qual Jesus não concorda. Na oração sacerdotal do Cenáculo, Jesus é claro: “Não peço que os tires do mundo, mas que os guardes do Maligno” (Jo 17.15, NTLH). Retirado do mundo, o cristão jamais seria “o sal da terra” e “a luz do mundo” (Mt 5.13-16).

Por uma questão de princípios, se o cristão não se retira da sociedade, ele tem de aprender a conviver com seus contemporâneos e vizinhos, sem se deixar influenciar ou enredar por eles. Convivência e conivência são coisas distintas: “convivência” é viver com outra pessoa; “conivência” é cumplicidade, colaboração, conluio.

Não cabe ao cristão discriminar, desprezar, odiar, maltratar, humilhar ou apedrejar o homossexual ou a lésbica, em uma sociedade em que há muitos outros desvios, como a injustiça, a avareza, o consumismo, a hipocrisia, a idolatria, o ódio, a vingança, a arrogância, a frivolidade e assim por diante. Cabe ao cristão conviver com todas essas pessoas, com temor e tremor, sem espírito de superioridade, reprovando todas essas coisas mais pela conduta do que pelas palavras.

O ensino de Paulo tem um valor imenso se o contexto for considerado. Não há concessão alguma ao desregramento sexual. No mesmo capítulo, o apóstolo é enfaticamente contrário à presença de certo indivíduo da comunidade cristã de Corinto que estava tendo relações com a mulher de seu pai (já morto ou não), provavelmente sua madrasta. Ele deveria ser temporariamente afastado dos privilégios da comunidade, até que sua natureza carnal fosse suplantada pela nova natureza (1Co 5.1-5). No capítulo seguinte, Paulo recorda que entre os membros fundadores da comunidade cristã havia ex-homossexuais ativos e ex-homossexuais passivos, bem como muitos outros ex-isto-e-aquilo (1Co 6.9-11).

Na comunidade, o critério seria um; na sociedade, seria outro. Não se pode exigir que o não-cristão se comporte como cristão, mas é lícito exigir que o cristão se comporte como cristão.

Por Elben M. Lenz César, Diretor-fundador da Editora Ultimato e redator da revista Ultimato onde o texto foi publicado originalmente.

Charge do veshame - Cristianismo em ação

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Cristão é morto a tiros em trem no Egito


EGITO (20º) - Um cristão foi morto a tiros e pelo menos cinco outros ficaram feridos nesta terça-feira (11) num trem no Egito, segundo fontes hospitalares e de segurança, menos de duas semanas depois do ataque a bomba contra uma igreja, no mais violento incidente sectário no país em vários anos.

Não está imediatamente claro se os tiros foram motivados por questões religiosas no Egito, um país de maioria islâmica, onde os cristãos constituem 10% dos 79 milhões de habitantes.

Depois do atentado de 1º de janeiro, que matou 23 pessoas em Alexandria, os cristãos protestaram contra a suposta incapacidade do governo para protegê-los.

A agência estatal de notícias do Egito disse que uma pessoa morreu e cinco ficaram feridas por "disparos aleatórios" num trem que ia do Cairo a Assiut, no sul do Egito. A nota não informava se os mortos e feridos eram cristãos.

Mariam Salah, médica na localidade de Minya, disse que seu hospital recebeu cinco cristãos feridos, e que um deles relatou que uma sexta pessoa havia sido morta. Uma fonte de segurança confirmou que há um morto.

Fonte: Missão Portas Abertas

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

11 perguntas para o diabo

O Bispo maior da Igreja Universal do Reino de Deus postou em seu blog pessoal um vídeo que tem uma entrevista com o Diabo. Depois de todas as entrevistas já feitas com os seus demônios nas IURDs do Brasil na hora do culto, o Bispo parece que conseguiu realmente uma entrevista exclusiva com o capiroto.

Bispo maior com o Demônio maior!


segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Universal é condenada a indenizar Xuxa



A apresentadora Xuxa receberá R$ 150 mil reais de indenização por dano moral da Editora Gráfica Universal. O jornal Folha Universal foi punido por publicar uma matéria afirmando que a apresentadora é satanista e que teria vendido sua alma ao demônio por U$ 100 milhões, em agosto de 2008. O caso foi julgado pela 6º Vara Cível da Barra da Tijuca e ainda cabe recurso.

Os advogados de Xuxa alegaram que a apresentadora tem uma imagem pública a zelar, principalmente no meio infantil, e que a publicação causou danos morais. A editora se defendeu argumentando que tem direito de informar e que não o fez com abuso, já que os fatos mencionados na reportagem teriam sido publicados anteriormente por outros veículos.

A juíza Flávia de Almeida Viveiros de Castro considera que a reportagem não traz nenhuma informação e, sim, especulações. E que Xuxa não teve a oportunidade de ser ouvida a respeito das hipóteses levantadas na matéria.

A Editora Gráfica Universal foi condenada também a publicar, na primeira página da próxima edição após julgamento da ação, a seguinte manchete: "Em desmentido da publicação do exemplar 855 de 24 de agosto de 2008, Maria da Graça Xuxa Meneghel afirma que tem profunda fé em Deus e respeita todas as religiões".

Fonte: Yahoo

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Se essa moda pega! Dublando a Ana Paula Valadão...

Enquanto isso na sessão do descarrego - Mini vigília dos profetas

Marcos – Jesus, o Servo sofredor



Então ele [Jesus] começou a ensinar-lhes que era necessário que o Filho do homem sofresse muitas coisas... fosse morto e três dias depois ressuscitasse. Marcos 8.31

O ponto central do Evangelho de Marcos é a cruz de Cristo. Quando os doze apóstolos compreenderam quem Jesus era e o confessaram como Messias, ele começou a ensiná-los sobre a cruz. Isso foi um divisor de águas no ministério de Jesus, bem como no Evangelho de Marcos. Antes disso, Jesus havia sido aclamado como mestre e como curador popular. Ele, no entanto, não havia vindo para ser esse tipo de Messias. Assim, daquele momento em diante, ele ensinou seus discípulos abertamente sobre a necessidade de seus sofrimentos e de sua morte. Marcos registra que, em outras três situações distintas, Jesus solenemente predisse sua morte. Na verdade, aproximadamente um terço do Evangelho de Marcos é dedicado à sua paixão.

A essência do ensino de Jesus se encontra em sua declaração de que “era necessário que o Filho do homem sofresse”. Por que ele deve sofrer? Qual é a origem desse seu senso de obrigação? É porque as Escrituras devem se cumprir. Por que, então, “o Filho do homem”? Ao usar esse hebraísmo para designar ser humano, Jesus estava se referindo a Daniel 7.
Nessa visão, “alguém semelhante a um filho de homem” (ou seja, uma figura humana) vem sobre as nuvens e se aproxima do Ancião de Dias (Deus). Ele então recebe autoridade e poder soberano, de modo que todas as pessoas o servirão, e seu reino jamais será destruído (Dn 7.13-14).

Jesus adotou o título (Filho do homem), mas mudou o seu papel. De acordo com Daniel, todas as nações o serviriam. De acordo com Jesus, ele tinha vindo para servir, e não para ser servido. Na verdade, Jesus fez o que mais ninguém havia feito: ele fundiu as duas imagens do Antigo Testamento, a do servo que sofre em Isaías e a do Filho do homem que reina em Daniel, pois primeiro Jesus deve carregar os nossos pecados e apenas depois ressuscitar e entrar na glória.

Leitura recomendada: Marcos 8.27-9.1

Retirada de A Bíblia Toda, o Ano Todo (Editora Ultimato, 2007)

sábado, 1 de janeiro de 2011

A moda gospel Jesus Doril



Eu estava no shopping de minha cidade e duas senhoras de boa aparência, ostentando um nível cultural acima da média e com conhecimentos básicos sobre religião estavam assentadas do meu lado na praça de alimentação. Uma dizia para a outra que havia acordado com muitas dores na coluna e que assim que resolvesse os problemas ali, ela iria a uma igreja evangélica na cidade onde há uma “CORRENTE PODEROSA” em andamento e onde tem um Pastor amigo dela que ele iria orar e ela seria curada. Não tive como não rir e lembrar do famoso analgésico “DORIL”, aquele que diz a propaganda: “TOMOU DORIL, A DOR SUMIU”.

Eu achei aquilo tão hilário, sem coerência, tão sem lógica que eu me recusei a acreditar, mas como o meio evangélico está contaminado com tanta porcaria, esta seria apenas mais uma. É óbvio, e qualquer pessoa inteligente sabe disto, que não é o “PASTOR FULANO” que cura, muito menos a tal “CORRENTE”, é “DEUS”. Aliás, estes fulanos curam sim, os problemas nas suas contas bancárias…

Para que existe médico? Ou será que a medicina com todo o seu avanço não têm capacidade para curar uma dor de cabeça? Jesus não é “DORIL” – TOMOU DORIL A DOR SUMIU. Isso não é fé isto é fedor, catinga espiritual, macumba, mandinga. Nunca foi e nunca vai ser algo de Deus. Isso é falta de respeito com as pessoas e com os dons de Deus. È por estas e outras que as pessoas vão a um destes centros de exploração da fé e lá fazem o que fez aquela ridícula senhora idosa cagona da Igreja Mundial do Poder de Deus. Um travesseiro benzido fez com que ela se borrasse toda!!! É muita miséria espiritual.
Deus criou os médicos para cuidarem dos doentes. Deus nunca irá desmerecer aquilo que Ele mesmo criou. Ele pode curar? Claro que pode. Mas não é assim que as coisas funcionam. Jesus fez o impossível!!! Ele não removeu a pedra, deixou isto para os homens, mas ele ressuscitou Lázaro. Jesus não é obrigado a curar ninguém! Ele cura se Ele quiser! Os milagres só acontecem se forem para a glória de Deus e não dos homens ou de pilantras. Tem muita gente por ai, que só vai a Igreja por causa de milagre Conversão que é bom nada! Os homens deveriam servir a Deus e não buscá-lo como um armazém de soluções imediatas e mágicas. Deus. Ele é o Senhor e não o contrário… Quem garante se esse milagre vai ser bom para sua alma?

Desculpem-me falar dessas coisas. Eu sei que é bom fazermos textos bonitos e cheios de palavras bonitas. Mas tem coisas que não dá mais para ficarmos vendo acontecer e ficarmos calados. Pode ser que amanhã eu encontre muita gente fazendo a mesma coisa. Porém, sinceramente, espero que você, ao ler esse texto não venha a cometer tais atitudes, sé é que já não comete ignorando os princípios das Escrituras. Os sinais apenas apontam aquilo que deve verdadeiramente ser notado, Jesus Cristo.

Alívio imediato que dura pouco. “…se alguém for temente a Deus, e fizer a sua vontade, a esse Ele ouve” – João 9:31.
Em um esforço aparente para promover a expansão da mensagem do Evangelho, alguém em uma cidade importante decidiu usar um spray de pintura para pintar a mensagem “CREIA EM JESUS” nas calçadas, viadutos e até nas caixas postais na área do centro da cidade. Isto não era “EVANGELISMO”, mas “VANDALISMO”. A mensagem correta não justifica o uso de meios errados.
Como estamos trabalhando para o nosso Deus. O Senhor nos mandou pregar a Sua Palavra em toda parte, até nos lugares mais remotos do mundo, e assim como seguimos aos Seus mandamentos, devemos também seguir os Seus ensinos quando à forma de nos comportar diante da sociedade em que vivemos.

Podemos dizer que “VALE TUDO” quando o objetivo é falar de Jesus? Temos o direito de agir de forma contrária a ensinada pelo próprio Cristo? Afinal, se somos “LUZ DO MUNDO” e o nosso brilho precisa ser notado por todos, como praticar atitudes que envergonham e entristecem ao Senhor dos senhores?
Hoje, nas emissoras de televisão e rádio, vemos e ouvimos de tudo a respeito de Jesus, menos QUE ELE É O SENHOR E SALVADOR e que aqueles que o seguem devem viver em Espírito e em verdade. O “VALE TUDO” está escancarado! O objetivo principal não é “QUEM CRER SERÁ SALVO”, mas quem crer ficará rico, terá fazendas, carros importados, fortunas acumuladas nos bancos, holofotes colocados em seus rostos como “HOMENS E MULHERES DE SUCESSO”. Aqui na cidade onde moro, as reuniões são muito parecidas – canetas de ouro, chaves de ouro, chuva de ouro em pó… menos Jesus! Na semana passada, recebi em minha caixa de correio um folheto convidando para UMA SEMANA DE BÊNÇÃOS em uma igreja do Evangelho Quadrangular. Eles diziam: Na segunda – Como ficar rico em poucos meses. Na terça – Como pagar todas as suas dívidas rapidamente. Na quarta – Como comprar seu carro novo e sua casa de praia. Na quinta – Como desamarrar os nós da prosperidade. Na Sexta – Quebra de maldição hereditária. E assim por diante! Não havia um dia sequer em que a bênção era RECEBER JESUS NO CORAÇÃO, ter paz e vida abundante, ser feliz para sempre. O negócio era o materialismo sujo e imoral. Barganha com Deus na concepção da palavra.

Assim como sujar uma cidade com mensagens Bíblicas não faz parte do ensino Bíblico para o filho de Deus, também não faz parte o desvio da mensagem contida nas Sagradas Escrituras. No caso anterior, a mensagem era correta e a forma não. Nos exemplos atuais, tudo está errado. Na vida cristã, não podemos pensar que “VALE TUDO”. O que vale é obedecer ao Senhor e produzir frutos que glorifiquem ao Seu nome.
O Evangelho “DORIL” – TOMOU, A DOR SUMIU – deve ser banido dos meios cristãos. Para isso, é necessário que o cristão conheça as Escrituras e seja instruído de forma correta, evitando a possibilidade de engano. Estamos sendo bombardeados por esta doutrina “ALÍVIO IMEDIATO”, em que o compromisso com Deus, a transformação do caráter, o novo homem, o caráter de Cristo, entre outros preceitos, são deixados de lado, enquanto a Igreja de Cristo está sofre.

O Senhor não prometeu o fim dos problemas, das doenças, nem tampouco riquezas terrenas para aqueles que o recebessem. Ele prometeu o perdão dos pecados, o presente da salvação e, por Sua misericórdia, sermos chamados de filhos. Se pensarmos bem, nem sequer poderíamos falar o nome do Senhor, pois somos tão insignificantes…

Por: Carlos Roberto Martins de Souza

Da série - O Senhor da criação


Clique na imagem e baixe para seu PC
 
Pesquisa personalizada