sábado, 25 de junho de 2011

Esperança em tempos de desesperança


Cristo em vocês, a esperança da glória. Colossenses 1.27


O filósofo Immanuel Kant disse que uma das três perguntas básicas da vida é: O que devemos esperar? Ele tinha razão.

O século 20 começou otimista. A suposição dominante era que todos somos basicamente bons e sábios, e o avanço da civilização cristã logo instalaria o reino de Deus (entendido como solidariedade universal) como uma realidade global. Um periódico chamado The Christian Century foi fundado para divulgar estas esperanças e registrar o cumprimento delas. O periódico ainda existe, mas seu título agora parece tristemente absurdo.

Quando começou o terceiro milênio, muitas pessoas atentas entraram no século 21 com medo em vez de esperança, perguntando-se até onde iria a decadência do Ocidente tão educado, rico e tecnologicamente equipado, e que tipo de mundo aguarda os nossos netos.
O que virá em seguida? Não há nada de bom a esperar? Há, mas temos de buscar esta boa esperança fora do processo sócio-político-econômico. Deus, o Criador, que nos fez, que nos sustenta e que conhece os nossos corações, nunca pretendeu que os seres humanos vivessem sem esperança.

Para refletir: Leia cuidadosamente Colossenses 1.24-29. O que o texto diz que pode inspirá-lo a viver em esperança mesmo em um mundo pós-cristão?

Retirado de O Conhecimento de Deus Ao Longo do Ano (Editora Ultimato, 2008)

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe um comentário

 
Pesquisa personalizada