sexta-feira, 25 de março de 2011

Pastor dos EUA é demitido por duvidar da existência do inferno

O pastor americano Chad Holtz, demitido por apoiar livro que questiona crença cristã

O pastor americano Chad Holtz foidemitido do cargo, em uma igreja em Henderson, na Carolina do Norte, nos EUA, depois de postar em sua página no Facebook um comentário a favor de um livro que levanta questões sobre algumas crenças do que acontece depois da morte. Dois dias depois do comentário, Holtz foi demitido.

No livro recém-lançado “Love Wins” (“Amor Vence”, em português), o autor Rob Bell, também pastor, questiona se o inferno seria mesmo um lugar de tormento como muitas religiões afirmam.

“Acho que a justiça virá, e o julgamento final vai acontecer. Mas não acho que isso signifique vida eterna ou um tormento”, disse Holtz ao site "MSNBC". “Mas não entendo porque pessoas da minha igreja não estão prontas para deixar isso [essa interpretação] para traz. É algo com o que eu ainda estou lutando”, completou o pastor.

No livro, Bell, que é fundador da Mars Hill Bible Church, em Grandville (Michigan), hoje com mais de 10.000 seguidores, critica a crença de que um número seleto de cristãos vai passara eternidade na felicidade do céu, enquanto todos os outros serão atormentadoseternamente no inferno.


"Isso é um equívoco, é tóxico e subverte a disseminação contagiosa da mensagem de amor,perdão, paz e alegria de Jesus que o nosso mundo precisa, desesperadamente, ouvir", escreve ele no livro.

Bell afirma que o inferno assumiu uma alto grau de importância na doutrina cristã. Em sua visão, o inferno se tornou uma questão de livre arbítrio e já existe na vida real. Ele cita como exemplos as guerras e as relações de abuso.

"Eu pensei, ‘está OK’", disse o presidente da igreja Batista do sul, Albert Mohler, depois de participar de em um fórum na semana passada sobre o livro de Bell. "Em um certo sentido, todos nós queremos desesperadamente dizer isso. A questão é com base em quê podemos dizer isso?", questiona Mohler.


Fonte: UOL

2 comentários:

Adalberto A. R. Taques disse...

Se o indivíduo crê como afirma, assuma o ônus de sair de sua denominação, a qual por certo é confessional. Creio tb q qdo foi ordenado, ou aceito alé, subscreveu o credo dessa denominação.
Ele é livre para crer e defender o q bem entender, só deve ser honesto de faze-lo juntamente com os q crêm como ele.

NICODEMOS disse...

Paz seja com todos

Considero que no mundo temos respostas para todas as perguntas. O grande dilema é:]

Todas as respostas são verdadeiras?

Aí é que tudo se complica. Seria bonito que o mal não existisse, nem inferno, nem diabo. Mas uma vez que a realidade é outra e não se tem base bíblica, nem fatos que corroborem com outras versões como a dele, então deve tudo ser descartado. E a bíblia seja a verdade incontestável.
atalaiadocastelo.blogspot.com

Postar um comentário

Deixe um comentário

 
Pesquisa personalizada