terça-feira, 29 de março de 2011

CARPE DIEM





“Curta a vida, pois a vida é curta.” E realmente é. A única certeza na vida de todo homem é saber que um dia irá morrer. E, mesmo que muitos evitem o assunto, não há ninguém que nunca tenha pensado sobre isso. Salomão diz em Eclesiastes 7:2: “É melhor estar num velório do que ir a uma festa, pois todos vão morrer um dia, e é bom pensar nisso enquanto ainda há tempo.” Mas não é preciso ir a um funeral para compreender que a morte é certa, muitas vezes repentina, não faz acepção de pessoas e não depende da nossa vontade. (Ec 8:8a)


Não é minha intenção causar temor ao falar sobre a morte, mas sim estimular uma nova postura diante da vida. “Ninguém pode fazer o homem voltar depois de morto para aproveitar aquilo que ainda vai acontecer.” (Ec 3:22b) Eis a atitude correta a se adotar diante da vida: Aproveitá-la! Como diz aquela música: "Viver e não ter a vergonha de ser feliz."


Buscar a felicidade não é pecado. Muitos sabem que não é, mas agem como se fosse. Pelo contrário, Deus é mais glorificado quando somos felizes. “Que adianta o homem viver dois mil anos sem desfrutar a felicidade?” (Ec 6:6)


Não buscar a felicidade é pecado. Buscar recompensa pelas nossas obras não é errado. O pecado está em desejar apenas as recompensas materiais e não as espirituais, como os galardões. Deus por várias vezes incentiva e até mesmo ordena em sua palavra que aproveitemos a vida. É um mandamento.“Por isso, desfrute a vida...” (Ec 8:15a) Alegre-se em todos os dias de sua vida.” (Ec 11:8a)


A vida é um presente de Deus (Ec 3:13) e Ele quer muito que nós o utilizemos, gastemos, aproveitemos. Ele não quer que olhemos pra esse presente e reclamemos porque não é do jeito que esperávamos, porque não é perfeito, porque não é igual ao do vizinho, ou porque exige esforço de nossa parte.“Aceitar o seu destino e aproveitar aquilo que ganha, isso é sem dúvida um presente de Deus.” (Ec 5:19b)


Nós não temos tudo o que queremos. É ilusão achar que seremos plenamente satisfeitos nessa vida, pois nosso coração é ambicioso e sempre quer mais e melhor.


Nós temos tudo o que precisamos. Olhe ao seu redor. Você tem saúde, família, emprego, comida, roupa, casa. Mesmo que não tenha todas essas coisas, tem pelo menos alguma delas. Mesmo que não tenha nenhuma delas (o que é muito difícil), mas você tem vida e isso é o suficiente para ser feliz.


Felicidade é diferente de alegria. Felicidade não é um estado, uma emoção. Felicidade é um modo de vida, uma decisão. A felicidade não está em momentos, pessoas, eventos, coisas, circunstâncias. A felicidade está no modo como enxergamos e aproveitamos a vida. “Contudo, você deve lembrar que há dias de trevas, e serão muitos.” (Ec 11:8b) Mas é possível ser feliz até na tristeza. Como?

Só há felicidade com Deus. “Porque ninguém pode se alegrar (...) sem Deus.”(Ec 2:25)

Ser feliz é praticar o bem enquanto viver (Ec 3:12).

Ser feliz é ter pessoas para compartilhar (Ec 4:8) e amar (Ec 9:9).

Ser feliz é fazer tudo com prazer (Ec 9:7) e bem feito (Ec 9:10a).

Ser feliz é fazer tudo o que tem vontade de fazer e conhecer, mas ciente das consequências. (Ec 11:9b)

Ser feliz é temer a Deus e guardar os seus mandamentos (Ec 12:13).

“A pessoa que fizer isso não precisará olhar para trás e se preocupar com a brevidade da vida, porque Deus encheu seu coração de alegria.” (Ec 5:20)


CARPE DIEM (Aproveite o momento)!!!

Contribuição da leitora Débora Silva

1 comentários:

Janise, Com ou Sem Crise disse...

Texto bem levinho que nos faz pensar em uma coisa séria com carinho.
Eu já estive com o "pé na cova", mais de uma vez até (e não diz que vaso ruim não quebra!!)e é bom pensar na vida e na morte, é bom pensar em como vivemos a vida e como viveremos depois da morte.
E isso é coisa pra se pensar agora, por que a vida vai passando e não sabemos quando ela vai parar ou nos fazer parar.

Postar um comentário

Deixe um comentário

 
Pesquisa personalizada