sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Anderson Silva vs Vítor Belfort; Cristianismo Autêntico

Semana passada, o UFC 126 tomou proporções incríveis, principalmente nas redes sociais, porque se tratava de um duelo entre dois brasileiros que um dia treinaram juntos: Anderson Silva (o "Aranha") e Vítor Belfort (The Phenom), sendo este o desafiante da noite ao cinturão dos pesos médios. Na madrugada de sábado para domingo, milhões de pessoas em todo o mundo acompanharam aquela que foi chamada de "a luta do século". E tomar partido entre um e outro estava difícil até a entrevista coletiva e a pesagem, quando o Anderson mostrou uma petulância que lhe fez merecedor de todas as vaias recebidas na entrada do octógono.

Pronto, agora ficara fácil torcer. Vitor Belfort, após a sua conversão, tem sustentado um bom testemunho e, após o trauma familiar vivido anos atrás, seria perfeitamente justo ele ser coroado com a tão pregada "dupla honra" ou "a glória da segunda casa" ou "ser posto como cabeça". Enfim, torcida e oração se misturaram com naturalidade; ele estava se preparando à exaustão. Por certo, Deus o honraria! Até porque a conquista do cinturão seria para a glória de Deus e uma oportunidade única de falar do seu amor para todo o planeta! Enfim, tudo caminhava para um final feliz, até que... um chute frontal de Anderson Silva fez Belfort quase perder os sentidos e consequentemente a luta.

Talvez você se pergunte o que isto tem a ver com nossas vidas e com a fé que dizemos professar. Tem que uma certa pregação perigosa faz um novo convertido compreender que "estar na igreja é se dar bem". Mesmo quem isso não prega, acaba confirmando essa idéia quando chega a nível de incentivo e diz: ó, Deus tá nesse negócio, hein varão! Ó, grande será a tua vitória! Ó, vejo Deus abrindo uma porta! Ora, ora, se Deus não mandou dizer, não diga nada ou seja sincero, pois, torcer por alguém não é pecado nem coisa de nova era. Bem melhor que criar a falsa expectativa de que uma intervenção divina poderá mudar as coisas ou que se ELE tiver que intervir será a seu favor, é claro, pois você é crente...

Não sei qual é a opção religiosa do Anderson Silva, mas, não pode ser por um acaso que alguém ganha 12 lutas consecutivas sendo 8 delas defesa de cinturão. O cara assiste metodicamente todas as lutas de seus desafiantes e possíveis adversários diariamente. Isso nos deixa claro que Deus não fará por você o que você tem que fazer só pelo fato de você ser crente. Nem pense em melhorar suas finanças contando com uma "mudança de sorte" sem fazer por onde. Todos já somos abençoados em Cristo Jesus, logo, façamos a nossa parte sem ficar numa espécie de espiritualidade mística.

Acredito que o futuro reserva grandes vitórias a Belfort e isso não pelo fato de ser um homem de Deus, mas, porque é persistente e sabe o que é superação (nem me venha com aquele papinho de que ele não venceu porque Deus sabia que ele não estava preparado para a benção e tal... como se o esforço do Anderson de nada servisse, vejam só!). A questão é que mesmo espiritualmente sendo mais do que vencedor ele terá que conviver para sempre com esta derrota. E não foi qualquer derrota. Foi uma derrota acachapante. Daquelas que serão lembradas para sempre.

Assim é o cristianismo autêntico.

Permaneçamos firmes!

4 comentários:

Barrabás disse...

Entendi o cerne da mensagem e achei bem verdadeiro, mas sobre o UFC, ainda não consegui me adaptar à idéia de que seja um bom testemunho ver um cristão agarrando, socando e chutando o oponente até que ele fique fora de combate..

Alliadoo disse...

Barrabás, eu também tinha um grande desinteresse pelo esporte, até porque achava entediante qd a luta ia pro chão. Sempre admirei o boxe por causa da trocação (qd a luta é realizada em pé). Até que comecei a assistir lutas e mais lutas de UFC. Conheci a história de vários atletas. Percebi a preocupação com a saúde de cada um deles e principalmente o esforço de se passar uma imagem positiva para os jovens (como o slogan "quem luta não briga"). Por isso, concluo que o MMA (vulgo "vale-tudo") é um esporte como outro qualquer e, em nada, fere a sã doutrina.

Sugiro acompanhar e ler mais sobre isso. Quem sabe você também não mude de idéia?

Permaneçamos firmes!

irmão André
(blog Pregação dos Loucos)

Kely Maciel disse...

Cara, a gente tem que parar de ficar questionando o que é um bom testemunho ou não nos outros.
Por acaso vocês acham que é um bom testemunho namorar com uma prostituta? Pois teve um profeta de Deus que CASOU com uma prostituta e foi o próprio Deus quem mandou. O nome desse profeta era Oséias, cuja história é contada no livro que leva o nome desse cara e que está na bíblia. A intenção era que o profeta tirasse a mulher da vida que ela levava e a amasse, assim como Deus nos livra da vida de pecado e nos ama.
Então, tenho certeza que Vitor Belfort tem o seu testemunho para contar aos admiradores de luta. Como eles poderiam ser alcançados sem que ninguém estivesse por perto para mostrar algo?
E mais uma coisa. Parem de falar mal da crença dos outros. Um cristão autêntico não fica achando que sabe de todas as coisas. E nem que está acima dos outros. Sua preocupação é falar de Cristo pra quem não conhece e corrigir os irmãos quando eles erram: sem ofensas, sem superioridade, sem humilhar.
Por que falar mal dos outros? O melhor é edificar. Buscar sabedoria e nos livrar de coisas que nos afastam de Deus.
Amém?

Valdson Almeida disse...

Muito edificante o texto e o blog tambem...impactante meio de propagbar o verdadeiro evangelho..seguindo aki!

se puder visita o meu http://jesusrevolucao.blogspot.com/

Abraços fraternais em Cristo Jesus!

Postar um comentário

Deixe um comentário

 
Pesquisa personalizada