terça-feira, 30 de novembro de 2010

Carta para um blogueiro imaginario


Por Daniel Clós Cesar

Ao ver o que está acontecendo com a blogosfera pretensamente "cristã e apologética", percebo que ela tá virando "gospel"... no pior sentido. Tipo o cantorzinho famoso que troca a MK pela $ony Mu$ic.

Desde que comecei meu blog recebo alguns e-mails, principalmente solicitando desenhos. Gente que não me acha muito competente para escrever, mas acha que desenho... sinceramente, não penso de mim nem uma coisa nem outra. Conheço alguns dos melhores ilustradores do sul do país... eles sim sabem desenhar... eu rabisco. Também leio blogs de verdadeiros teólogos... que não são grandes escritores... mas tem conhecimento para ensinar e admoestar.

Eu sou leigo. Não sou formado em nenhum seminário reformado, pelo contrário, minha formação acadêmica é deveras humanista. Formei-me em História pela Federal do RS. Paguei meus livros e bandejão no restaurante universitário com desenhos e layouts para sites... mas não vivo mais disso. Meu blog não é um comércio. Não comercializo meus textos. E já escrevi sobre isso inclusive (ler aqui). Não é uma idéia que surgiu hoje.

Eu não vivo disso. Não preciso escrever para colocar o feijão na mesa. Não preciso desenhar para por gasolina no carro. Não vivo do mercado de entretenimento gospel. Graças a Deus. Se ainda esporadicamente faço esse tipo de serviço, é apenas para não perder a prática... e somente os faço para amigos de longa data ou missionários, e sem custo algum. Não é algo que penso servir para todo mundo. É uma opção pessoal e intransferível.

Mas minha história na internet cristã é recente. Um ano atrás enviei um texto para o Ruy Marinho do blogBereianos... era sobre festas à fantasia, piercing, tatuagens e coisas do gênero... para minha surpresa ele publicou o texto... e mais tarde enviei outros, alguns publicados outros não. Mais tarde criei meu próprio blog, mas ainda enviava os textos para o Ruy... o fato dele não ter publicado alguns textos, onde mais tarde percebi erros doutrinários ou fuga do evangelho reformado, me fizeram ter muito respeito por ele e pelo seu blog, que continuamente leio. Vejo ali um repositório de qualidade, como poucos na internet cristã nacional.

Sem saber bem como as coisas funcionavam... achando que tratava apenas com cristãos, há três meses atrás quando criei outro blog, resolvi mandar uns textos e desenhos para vários autores de blogs... na perspectiva humana deu certo. Meu antigo blog devia ter 50 visitas por mês, o atual... em dois meses passou de 4000... meus desenhos e textos podiam ser lidos em vários blogs e todos direcionavam para meu...

Que maravilha... deu certo!

Ou não...

4000 em dois meses é pouco para os "gigantes" da web-gospel. Para aqueles que precisam de calculadora para contar seus adoradores. Pouco para os que criticam a Teologia da Prosperidade vivida pelos outros e vivem tão intensamente seus conceitos. Muitas vezes escondidos atrás de um blog pretensamente apologético, pretensamente cristão.

Não publico no Púlpito Cristão porque o Leonardo me prometeu alguma grana ou mais audiência no meu blog pessoal. Mas porque me propôs a oportunidade de publicar em um blog que não trata de teologia liberal e tem por objetivo a defesa do Evangelho. Se amanhã eu ler no Púlpito um texto promocional do novo CD da Aline Barros ou sobre a "maravilhosa" obra de Charles Finney... só a amizade continua. Mas o uso comum do púlpito não. Sou intolerante ao ecumenismo e absurdamente contrário a qualquer espécie estranha ao cristianismo.

Obviamente não tenho nenhuma ingerência neste blog. Envio meus textos e seu moderador e proprietário decide se os publica ou não. Isso pode ser ruim para outros... para mim está de bom tamanho.

Aí recebi uma oferta irrecusável. Mas para mim, recusável.

Esperava algo como: Este é um blog apologético. Evangelho reformado. Uma grande oportunidade para publicar teus textos. E não: Este é o blog mais visto. O mais lido. O "mais melhor de bom"... Tu sabe quanto tu pode ganhar com um blog?

Foi um tiro no pé. Ou na cabeça... não sei. Na minha cabeça e no meu pé... é claro.

Se você quer ganhar um taliban você não promete para ele um Ford 0Km e um apartamento na Times Square... você promete as 70 virgens no paraíso islâmico e uma cópia do Alcorão com os cumprimentos do Bin Laden. Faz mais sentido e é mais eficiente.

Meu passe não está a venda. Não preciso nem quero entrar em disputinhas ridículas e demoníacas que contam número de visitantes. Não quero meu e-mail em lista comprada para envio de comércio virtual. Não quero meu nome vinculado a algo que só serve para escárnio e julga-se algo cristão. Não quero estar ligado à teologia liberal e a movimentos new age pseudo-gospel. Não preciso disso. Nunca precisei.

Não entendo muito de propaganda... não entendo da alma do negócio e posso até não parecer muito inteligente. Mas antes de tudo... antes de escrever em um blog, antes de desenhar para algum blog... sirvo a Deus. Meu preço é impagável. Sou um "taliban gospel" e a verdade que vivo é inegociável.

Esses números servem apenas para uma coisa. Mostrar a seus mantenedores quantos são os seus prováveis clientes. É apenas comércio em nome de Deus. Igualzinho. Idêntico àquilo práticado pelos tão criticados Silas Malafaia, Marco Feliciano ou Terra Nova... que parecem até café pequeno, quando se analisa bem a proposta por trás de tudo.

Foi por este motivo que eu te disse meu velho: Não. Obrigado!

***

"Seus bobinhos! Seus bobinhos! " Quem vai na onda da Ana Paula Valadão?


As praias são minhas, diz o Senhor!


Olá queridos,

Estamos nos aproximando do primeiro Cruzeiro marítimo com o Diante do Trono, que acontecerá de 2 a 5 de Dezembro deste ano de 2010. Confesso que meu coração tinha paz, mas várias vezes perguntava ao Senhor sobre o propósito desta experiência tão nova e diferente de tudo o que já vivemos até hoje.

Eu nunca sequer desejei viajar de navio. Na verdade, eu dizia que nunca faria isso! Mas quando a proposta surgiu, orei e senti que era um propósito de Deus. Muitas das minhas questões vinham de acusações e questionamentos de outras pessoas que me perguntavam a razão de fazer uma iniciativa ministerial que não alcançava os pobres, e que limitava-se a pessoas que pudessem pagar uma quantia razoável para embarcar no navio. Apesar de eu crer e estar vendo Deus provendo miraculosamente para pessoas que jamais imaginavam viajar em um navio, a resposta a essas inquietações veio no próprio testemunho de Jesus. Ele estava com o pobre, mas também com o rico. Ele entrou na casa de Zaqueu, que era rico. De Simão, outro rico. E mulheres ricas O seguiam e sustentavam seu ministério, de acordo com Lucas 8:3. Jesus se importava com o ser humano, não olhando para sua condição financeira. Mas nós, Igreja, muitas vezes pensamos que os ricos não precisam de ser alcançados por nossas estratégias evangelísticas. Os ricos se tornam, às vezes, um grupo não alcançado pela Igreja.

Mas o principal motivo pelo qual escrevo é para compartilhar o que o Senhor ministrou ao meu coração em um momento muito marcante ali na Finlândia, acerca do Cruzeiro. Estávamos em um culto maravilhoso e a gloriosa Presença do Senhor enchia o lugar e as nossas vidas! Quando terminei a minha parte e o Pastor Markku começou a orar eu senti o impulso de interceder, junto com o Sérgio, por todos os projetos e desafios, e sonhos ministeriais que temos à nossa frente. Era uma atmosfera propícia para apresentarmos nosso clamor, pois o poder de Deus parecia palpável!

Quando comecei a orar pelo Cruzeiro ouvi o Senhor claramente nos dizer: “Seus bobinhos! Seus bobinhos! Unjam os mares! As praias são minhas! As praias são minhas!”. Sua voz era tão poderosa, como um trovão dentro de mim, e eu temi e tremi. De repente, minha visão se abriu e o Senhor, carinhosamente, me dizia que levava muito tempo para percebermos Seus propósitos! Mas, naquele lugar distante, fora da nossa rotina, estávamos mais sensíveis e abertos para Sua glória, e então Ele pôde me falar. O Senhor começou a descrever para mim uma nova missão, e é isso que compartilho com vocês.

Há anos tenho recebido um entendimento progressivo da minha missão. Comecei na Igreja local, e depois compreendi que devia sair das paredes dos templos e reunir Seu povo para adorar em locais públicos. Os estádios se tornaram locais de adoração a Jesus. Mas eu não tinha entendido ainda o que me veio ao coração anos depois. O Senhor j á estava fazendo, e queria que perseguíssemos os locais de festa da nossa nação, para ali, prestarmos a Ele culto e declararmos que só Ele é digno. Temos feito isso. Fui chamada para entronizar o Senhor no Brasil e nas nações através de uma adoração profética. Uma adoração que une a música que declara que o Senhor reina, que rasga os céus com esta poderosa proclamação, a uma intercessão e clamores, guiados pelo Espírito, em arrependimento e em profecia. Profetizamos o que o Senhor está dizendo, e temos visto frutos de anos e anos desse ministério que Ele mesmo nos confiou.

Naquela atmosfera de glória, da forte Presença do Senhor, mais um passo me foi revelado. Eu nos vi ungindo os mares do Brasil e descendo em todas as praias possíveis, por todo o litoral brasileiro, adorando ao Senhor. Eu jamais havia sequer imaginado isso, mas a voz dEle gritava com zelo: “As praias são minhas! As praias são minhas!”. De repente vi as festas que acontecem nas praias do Brasil. Percebi o ciúme que Deus tem destes portais de entrada do continente, da nação. Desde a antiguidade as praias são um lugar de consagração da terra e da vidas das pessoas. Ali, fincavam-se as bandeiras, as estacas, e se realizavam os primeiros cultos. Até hoje, vidas se entregam a entidades dos mares, com ou sem entendimento, mas pactos são renovados a cada virada de ano, e em ocasiões especiais. Buquês de noivas são jogados no mar. Muitas delas entram com seus vestidos no mar. Pessoas se rendem a superstições, pulando ondas, e festivais musicais acontecem em muitas praias do Brasil. As praias são um lugar de festa, de culto, e eu nunca havia percebido isso.

Esse será o primeiro de muitos Cruzeiros que o Diante do Trono fará. Dentro do navio, durante o dia, haverá louvor e descontração. Tudo feito para a glória de Deus, seja comer, beber, ou qualquer outra coisa que fizermos, como nos instrui a Palavra. Mas, ao descer nas praias, cada participante terá o entendimento de orar, de cantar louvores, de declararmos e consagrarmos as praias ao Senhor. No próximo ano, planejamos até mesmo fazer eventos de adoração em cada praia em que atracarmos. E à noite, dentro do navio, teremos culto, pregação da Palavra, e o momento especial em que, unidos, ungiremos os mares por onde o navio estiver passando. A unção com óleo, nas Escrituras, sempre foi usada para consagrar, dedicar ao Senhor, santificar para Ele objetos que serviriam para Seu culto, pessoas separadas para servi-lo, como os sacerdotes, levitas. A Bíblia até mesmo nos instrui a ungir os doentes para que sejam curados. Com esse entendimento, ungiremos os mares e as praias do Brasil.

Compartilhando isso, sei que me exponho a críticas e a um mal entendimento do que move o meu coração. Porém, acredito que muito mais serão os que terão o entendimento aberto para se unirem a nós nessa missão, e creio também que pessoas que se dedicam à oração, adoradores, poderão começar a planejar e crer para participarem conosco de mais um passo na redenção do país.

É com temor e tremor que termino, pedindo que orem por mim e por nossa equipe, relembrando o zelo e o poder com que ouvi: “As praias são minhas! As praias são minhas! Diz o Senhor”.

Fonte: Blog da Ana Paula Valadão!

domingo, 28 de novembro de 2010

A Estranha


Pouco depois que eu nasci, meu pai encontrou uma estranha, recém-chegada a nossa cidadezinha no Texas. Desde o início, ele ficou fascinado com essa encantadora novata, e logo convidou-a a morar com nossa família. A estranha foi rapidamente aceita e sempre estava conosco desde então.

Enquanto crescia, eu nunca questionei o lugar dela na minha família. Na minha mente jovem, ela tinha um nicho especial. Meus pais eram instrutores complementares: minha mãe ensinou-me o certo e errado, e meu pai a obedecer. Mas a estranha... era nossa contadora de histórias. Ela nos deixava enfeitiçados por horas a fio com aventuras, mistérios e comédias.

Se eu quisesse saber alguma coisa sobre política, história ou ciência, ela sempre sabia as respostas sobre o passado, entendia o presente e até parecia poder prever o futuro!


Ela levou a minha família para o primeiro grande jogo da liga de futebol, fez-me rir e chorar... A estranha nunca parava de falar, mas meu pai não se importava.


Às vezes, mamãe acordava calmamente enquanto nós silenciávamos uns aos outros para ouvir o que a estranha tinha a dizer; e minha mãe ia à cozinha para ter paz e tranquilidade. (Agora pergunto-me se ela nunca rezou para a estranha ir embora.)


Papai governava nosso lar com certas convicções morais, mas a estranha nunca se sentiu obrigada a honrá-las. Palavrões, por exemplo, não eram permitidos em nossa casa: nem de nós, nem dos nossos amigos ou visitantes. Nossa antiga moradora, no entanto, saía com cada coisa que queimava meus ouvidos e fazia meu pai sobressaltar-se e minha mãe corar.


Meu pai não permitia o uso liberal de álcool, mas a estranha nos incentivava a experimentá-lo regularmente e fazia cigarros parecerem legais, charutos másculos e cachimbos requintados.


Ela falava livremente (livremente até demais!) sobre sexo. Seus comentários eram, por vezes, explícitos; outras vezes, sugestivos; e, geralmente, embaraçosos. Agora sei que meus primeiros conceitos sobre relacionamentos foram fortemente influenciados pela forasteira.

De vez em quando ela se opunha aos valores dos meus pais – e raramente era censurada... E nunca foi convidada a se retirar.


Mais de cinquenta anos se passaram desde que ela chegou ao nosso lar. Ela se adaptou perfeitamente mas não é mais tão fascinante quanto parecia logo que chegou.


Mesmo assim, se você der um pulinho na casa de meus pais hoje, você ainda irá encontrá-la assentada no seu canto, esperando alguém para ouvi-la falar e vê-la mostrar suas imagens. 

Ah, o nome dela? Nós a chamamos de “TV”.

E agora ela achou companhia, a quem chamamos de “Computador”.



Por Bobby
Traduzido e adaptado de The Stranger
Publicado no Blog Christian Humor
Tradução Publicada também no Não, Obrigado!

sábado, 27 de novembro de 2010

Você pensava que não podia piorar? Eis que surge o Restart Gospel


E quando você achava que não poderia piorar, surge a banda Yunick! O já conhecido entre os jovens religiosos como o Restart Gospel! Sim, você leu certo….eu disse RESTART GOSPEL.A dica foi do leitor Eduardo M e me deixou um tanto quanto assustado pelo simples fato de começar a pensar o que pode aparecer agora…a Lady GaGospel? o_O acrescenta o vocalista Déh.

Separei um vídeo deles no final do post e o site gospel10.com pegou o depoimento:
“Somos coloridos porque nós gostamos e não simplesmente seguimos moda. Nossa música é uma uma tendência que veio da gringa e resolvemos levar o estilo pro gospel”.

Eles são coloridos, tocam baladas pop rock românticas e tem estilos semelhantes a bandas como Restart, Fresno ou NX-Zero. Assim é a banda Yunick formada em janeiro de 2009 que chega ao cenário gospel com uma proposta diferenciada. Com idades na casa dos 20 anos, eles têm cabelos bagunçados e chegaram a música gospel com CD “Deus está no controle“.

Composta por Déh, Bruh, Thi e Lukee, os amigos e vizinhos, que são das igrejas Renascer, Assembleia de Deus, Casa da Rocha e Casa da Benção, em São Paulo, se juntaram para fazer um som. Os garotos aproveitaram o embalo para falar de relacionamentos e adotaram, estratégicamente, um visual emocore para dialogar com esta nova geração que é mais sensível e gostam de ver e sentir novas emoções.

“Queremos mostrar que você pode adorar sem perder o estilo, mostrar que além do visual colorido, tatuagens e piercings o jovem tem essência e foco espiritual”,

Bom, segue o som, caso a foto não tenha assustado o suficiente:




sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Rainha do bumbum vai casar com filho de pastores da Assembléia de Deus


Gretchen, que está com o seu sexto casamento marcado para o dia 15 de dezembro na Mansão Boulevard, em Goiânia, está investindo para que o enlace com o goiano Silvio Alves seja eterno. A rainha do bumbum passou por um ensaio fotográfico, ao lado do noivo, para compor o álbum de casamento.
Em conversa com O Fuxico, a morena contou que já começou diferente, curtindo todas as etapas de um casamento, coisa que nunca fez nos relacionamentos anteriores:
“Ontem passei o dia inteirinho em Pirenópolis fazendo o ensaio fotográfico para o casamento. Tem algumas fotos muito diferentes, em contato com a natureza, foi a coisa mais linda. É como se fosse um livro, é bem diferente de tudo o que já fiz”, comentou ela.
Gretchen, que se separou de Demmis Miranda em setembro de 2010, disse ainda que está na maior expectativa para a Boda, pois é a primeira vez que acompanha todos os passos desde o início: “A expectativa é muito grande, pela primeira vez estou curtindo tudo, desde o início. Em nunca tinha tido um álbum de casamento, estou tão envolvida, fazendo coisas que nunca fiz. Estou ansiosa, vai ser um mega evento, com 10 padrinhos para cada lado, o Aguinaldo Timóteo é um dos meus padrinhos. Nossa, estou na maior expectativa”, destacou.

A reportagem de O Fuxico entrou em contato também com o cerimonialista Weiler Carneiro para colher informações exclusivas do enlace, que promete abalar as estruturas de Goiás.
O casamento segue as estruturas de um casamento tradicional romântico. A cerimônia vai contar com o casamento no civil, com a presença de um Juiz de Paz, e no religioso: “A cerimônia civil, com presença de juiz de paz, é para dar conotação de que é serio. Goiânia acolheu a Gretchen muito bem, e isso reflete na participação dos melhores profissionais da região envolvidos no casamento. Está sendo algo muito bem feito, ela está muito consciente do que está fazendo, bem madura. A família do noivo também a acolheu muito bem: pais, cunhados, tios e tias. É como se ela estivesse na família há 10 anos. O noivo é filho de pastores da Assembleia de Deus e Grecthen também é evangélica, por isso o religioso vai ser na igreja cristã. Uma orquestra coral, chamada Bravíssimo, vai se apresentar com números clássicos e sacros durante o casamento”

A festa, para 400 convidados, na Mansão Boulevard, em Goiânia, tem no hall de padrinhos pessoas do meio artístico e político, com 10 padrinhos para o noivo e 10 para a noiva, mas por enquanto apenas alguns nomes podem ser divulgados à imprensa, devido à falta de confirmação dos outros. Entre os confirmados estão Sulla Miranda e Aguinaldo Timóteo. A decoração romântica, feita nas cores branca e lilás, compõe o ambiente luxuoso da capela separada, construída apenas para o enlace e da recepção.

Para a recepção, ainda falta a confirmação do show ao vivo, mas três DJs já estão escolhendo o set list para animar os convidados: Thammy Gretchen e do filho, Sérgio, de 13 anos, além do DJ Negão, famoso em Goiás. Os três vão se revezar na festa, com set list especial. Segundo Weiler, Gretchen não fez exigência aos convidados, mas distribuiu as gravatas aos Padrinhos, que irão trajar terno preto, camisa branca e gravata e as madrinhas estarão com longo absoluto.

Gretchen estará vestida como uma noiva clássica, com vestido em tons brancos, véu e grinalda. “Isso tudo serve para externar a verdadeira face romântica da Gretchen. Ela está em um momento de resgatar valores”, afirmou o cerimonialista. A morena vai passar a noite de núpcias em um hotel cinco estrelas da cidade, com o quarto preparado pela Elis Tur Turismo, uma empresa especializada em lua de mel. Em seguida, o casal parte para Caldas Novas, Goiás, na Pousada do Rio Quente, por ser um local que ainda não conhece, além de ser a terra natal de seu amado. “Ela abriu mão de passar a lua de mel fora do país para passar na terra que a acolheu tão bem”, finalizou.

Fonte: O Fuxico / Portal Padom

domingo, 21 de novembro de 2010

Dinheiro, o Santo Graal dos crentes

Dinheiro na igreja é coisa muito séria.

Sim! Talvez seja a coisa mais séria que exista para os crentes que se reúnem.

Se a igreja não cresce, mas tem dinheiro sobrando, está tudo bem.

Se a igreja não ama, mas tem dinheiro sobrando, está tudo bem.

Se a igreja não serve, mas tem dinheiro sobrando, está tudo bem.

Se a igreja nunca teve ajuda pastoral, mas tem dinheiro sobrando, está tudo bem.

Se a igreja não ora, mas tem dinheiro sobrando, está tudo bem.

Se a igreja não conhece a Palavra, mas tem dinheiro sobrando, está tudo bem.

Se a igreja tem dinheiro e nunca foi roubada por ninguém, melhor ainda.

Dinheiro é o Santo Graal dos Crentes!

Pode-se ensinar errado, e todos toleram desde que o dinheiro esteja bem protegido.

Jesus, entretanto, tratou o dinheiro conforme disse que o dinheiro era: uma potestade.

Assim, Ele se serve do dinheiro; e apenas isto.

Recebia ajuda financeira de pessoas diversas, especialmente de mulheres, conforme Lucas oito.

Ele, PORÉM, designou Judas para cuidar do dinheiro.

Não era uma tentação para Judas promovida por Jesus. Ao contrário: Jesus confiava em Judas mesmo conhecendo Judas.

Paradoxo. Do contrário, colocar Judas para ser o homem da “bolsa” seria uma tentação diabólica.

E mais:

Jesus deixou Judas se entregar…

Esta é a ética do reino!

Não houve uma comissão designada para auditar as contas de Judas.

Quando se escolhe gente para cuidar de dinheiro comum e doado à expansão do Evangelho, o que se tem que buscar sempre é ter gente séria cuidando do assunto.

Simplesmente isto:

Gente séria. Gente honesta. Gente que ame a Deus e ao próximo. Gente justa e generosa. Gente sensata. Gente boa de Deus.

Sendo assim eu confio sempre. E não preciso de relatórios. Insisto em crer em gente. Persisto crendo que ninguém me engana quando quer me enganar, mas tão somente enganam a si mesmos.

Eu prefiro ser traído e enganado todos os dias porque confio nas pessoas, do que nunca ser enganado porque jamais tenha confiado em ninguém.

E mais:

“Pago” para ver quem é quem na vida, não em um exercício de especulação.

E ainda:

Somente convido para cuidar do dinheiro quem antes já se mostrou justo, generoso, simples e grato na gestão do que é seu. Tal pessoa pode cuidar do que é de todos.

Mas é tudo simples assim.

Afinal, por que teria eu que buscar tomar cuidados diferentes dos de Jesus?

Alguém dirá:

Porque você não é Jesus!

Respondo:

É justamente por esta razão que tenho que ser como Ele nesta área também, pois, não sendo Ele, mais razão tenho ainda para apenas buscar ser como Ele.

Nele,

fonte: Caio Fábio

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

"Pastor" proíbe uso de dispositivos USB


A tecnologia USB foi proibida em um templo no interior de São Paulo. O líder do culto afirma que o símbolo padronizado para representar o USB é parecido com um tridente, e por isso seria um artifício do Demônio.

Welder Saldanha, fundador do templo, vetou a utilização para aqueles que seguem seus ensinamentos. "O símbolo disso (ele se recusa a pronunciar o nome da tecnologia) é um tridente, que é usado para torturar as almas que vão para o inferno. Isso mostra que todos os usuários dessa tecnologia são adoradores do Satã" – afirma ele.

Para acalorar ainda mais a polêmica, o pastor ainda explicitou que o Bluetooth seria algo divino. Por quê? Porque o seu símbolo é azul, “a cor dos olhos do nosso salvador Jesus Cristo”, completa Saldanha. Pelo menos as pessoas que vão ao templo ainda têm uma forma de trocar dados, não é mesmo?

Fonte: Baixaki

Ministério “Piranhas de Jesus” resgata prostitutas em Las Vegas

Conheça Annie Lobert, ex-prostituta dedicada a uma única missão: salvar as piranhas de Las Vegas.
Lobert e sua missão de fé, que ela batizou de “Hookers for Jesus” [Piranhas de Jesus, em tradução livre], serão o tema de “Hookers: Saved on strip”, documentário em três partes. Esse programa especial do canal Investigation Discovery estreia dia 8 de dezembro, nos EUA.

“Toda vez que eu era presa e os policiais me chamavam de ‘piranha’, aquilo realmente me ofendia. Um dia estava pensando que, se queria chegar nessas mulheres, entrar em cassinos e dizer: “Meu nome é Annie. Eu posso ajudá-la a mudar sua vida”, seria uma coisa estranha. Então pensei no nome “Piranhas de Jesus”. Acredito em Deus, além disso fui uma prostituta e agora quero ‘pescar’ essas piranhas”, disse Lobert ao The New York Post.

As câmeras de TV seguem Lobert enquanto ela tenta ensinar a ex-garotas de programa como mudar de vida. No episódio de estreia, a ênfase é a história de Regina. Ela vem de uma família de classe média de Nova Jersey e caiu na prostituição quando estava na Marinha (onde conheceu seu cafetão).

Annie Lobert, 43, é natural do Minnesota. Ela trabalhou como prostituta em Las Vegas por mais de 10 anos. Só abandonou essa vida depois de quase morrer de overdose e de sofrer repetidamente abusos físicos de cafetões violentos.

Ela começou o “Piranhas de Jesus” em 2006. Posteriormente, iniciou a parceria com a Igreja do Sul, de Las Vegas. Foi o seu pastor, Benny Perez, que ajudou Lobert a montar a “Casa do Destino” – um abrigo para ex-prostitutas que as auxilia a recomeçar a vida (arranjando emprego, moradia etc.)

“As outras igrejas não receberam as meninas como eu gostaria que elas fossem recebidas. Mas foi quando viemos para esta igreja que realmente eles ajudaram a mudar a vida das meninas”, diz Lobert.

“Depois que essas mulheres largam seus cafetões, acabam ficando sem casa, sem roupas, sem jóias, sem dinheiro e sem carro. Antes eu as levava para meu pequeno rancho ou as colocava em hotéis. Então Benny disse: “Gostaria que tivéssemos uma casa para estas meninas?”

“Nós a chamamos de Destiny House [Casa do Destino]. O nome surgiu porque eu tive um aborto espontâneo e nome da criança seria Destiny.”

A história de Lobert, que inclui a relação com seu marido, Oz Fox – guitarrista da banda de metal cristão Stryper – imediatamente pareceu interessante para um programa, diz Henry Schleiff, presidente do Investigation Discovery, parte da rede Discovery Channel.

“Certamente é algo que se enquadra na nossa ênfase: o conceito de que uma pessoa pode fazer a diferença. Apreciamos histórias fascinantes, e vemos Annie como uma mulher que viveu essa vida… mas agora está tentando salvar outras dessa indústria crescente, violenta e perigosa. Todo ano cerca de 100.000 mulheres são compradas e vendidas nos Estados Unidos contra a sua vontade. Essa minissérie colabora com nosso desejo de lançar uma luz sobre essa questão séria. Faremos isso de uma maneira divertida mas que, ao mesmo tempo, vai gerar o debate “, finaliza Schleiff.


Fonte:O Verbo


sábado, 13 de novembro de 2010

Corram, antes que o mundo acabe...

Alcançando a maturidade em Cristo



Nós o proclamamos, advertindo e ensinando a cada um com toda a sabedoria, para que apresentemos todo homem perfeito em Cristo. Colossenses 1.28

Temos a tendência de pensar em Paulo como um missionário pioneiro que pregava o evangelho, plantava igrejas e estava sempre indo de um lugar a outro. Porém, ele mesmo nos diz que o propósito do seu ministério, mais do que a conversão e o discipulado, era apresentar “todo homem perfeito em Cristo”, desfrutando de um relacionamento com Cristo em adoração, amor, confiança e obediência a ele.

Como os cristãos se tornam maduros? O texto de hoje nos dá uma resposta direta: através da proclamação de Cristo. Se a maturidade cristã diz respeito à nossa maturidade no relacionamento com Cristo, então quanto mais clara a nossa visão dele, mais nos convencemos de que ele é digno da nossa confiança. J. I. Packer escreveu em seu livro Knowing God [Conhecendo a Deus]: “Somos cristãos pigmeus porque temos um Deus pigmeu”, ou melhor, “um Cristo pigmeu”. A verdade é que há muitas ofertas de “cristos” nos supermercados religiosos do mundo, caricaturas do Jesus autêntico. Há o Jesus acético, o Jesus palhaço de Godspell e o Jesus Cristo Superstar; o Jesus capitalista e o Jesus socialista; o Jesus empresário e o Jesus guerrilheiro urbano. Todos são imagens imperfeitas do verdadeiro Cristo, e nenhum deve ganhar nossa sincera lealdade.

Ao contrário, precisamos ver Jesus como Paulo o apresenta nos versículos 15 a 21. Esta é uma das mais sublimes passagens sobre Cristo no Novo Testamento. Jesus é retratado aqui como a imagem visível do Deus invisível, o agente e o herdeiro da criação. Ele é também o primogênito dentre os mortos, de modo que em todas as coisas deve ter a primazia. Na verdade, nele habita a plenitude de Deus, que reconciliou todas as coisas em Cristo. Assim, Jesus Cristo tem uma dupla supremacia, como cabeça do universo e cabeça da igreja. Ele é o Senhor de ambas as criações. Quando o enxergamos assim, somos levados a nos prostrar diante dele. Precisamos deixar de lado nossas imagens de um “cristo” insignificante, franzino e pigmeu! Precisamos ficar livres de nossos “Cristos” palhaços e popstars, nossos messias políticos e revolucionários. Se é essa a imagem que temos de Cristo, não é de estranhar que nossa imaturidade persista. Se tirarmos o véu dos nossos olhos, poderemos então ver a Jesus como ele realmente é, na plenitude de sua pessoa divino-humana e de sua obra salvadora. Então daremos a ele a honra que é devida ao seu nome, e desenvolveremos um relacionamento maduro com ele.

Leitura recomendada: Colossenses 1.15-29

Retirada de A Bíblia Toda, o Ano Todo (Editora Ultimato, 2007).

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

ALERTA AOS CRISTÃOS BRASILEIROS: A LOUCURA DO NEOPENTECOSTALISMO ANTI-EVANGELHO



As histórias e narrativas que acompanhei a não muito tempo atrás, me revelaram a triste realidade de uma ordem religiosa que massacra e escraviza aqueles que deveriam ser cuidados e amados pelo simples fato de serem crianças.
Sim, o Dossiê Nigéria - tão conhecido pelos do Caminho da Graça - trouxe a todos a evidência de que a loucura religiosa permite os atos mais cruéis e insanos que um ser humano é capaz de impor aos seus semelhantes (E não precisa ser "muçulmano" para isso...).
Como muitos, chorei, me revoltei, orei e procurei saber mais... Quanta tristeza e dor! Como era possível em nome de uma absurda autoridade divina, estripar e esfolar aqueles de deveriam receber toda a proteção do mundo?
Lembro-me da primeira vez que ouvi falar sobre o jovem nigeriano acorrentado numa grande igreja africana. Adailton nos falou no Caminho da Graça em São Paulo, numa noite difícil de esquecer...
Todos ouviram o triste relato acerca de um jovem que, acusado de ser possesso, fora acorrentado a uma pilastra e passava seus dias algemado aos pilares do templo esperando por uma libertação espiritual.
Refletindo sobre tudo aquilo que nos era apresentado, ficava a terrível sensação de impotência e se aquilo tudo um dia poderia chegar até nós.

E chegou...

Hoje pela manhã ao abrir um jornal de grande circulação aqui em São Paulo, deparei-me com a foto de capa que me levou de volta ao continente africano. Dessa vez não era a Nigéria, agora era a Zona Sul de São Paulo.
Os mesmos personagens, as mesmas correntes, as mesmas paredes evangélicas.
O jovem Antônio, esquizofrênico, sem recursos e sem apoio das autoridades. Escravizado por suas doenças e pela manchete do jornal.
Sabedor de nossa péssima saúde pública e todas a mazelas políticas que tanto afligem os menos favorecidos, me perguntei por que acorrentado justamente a uma igreja, lugar de sua pretensa libertação?

A loucura só está começando...

Impossível não lembrar do sofrimento dos pequeninos da Nigéria.

Impossível não lembrar daquele jovem nigeriano.

Impossível não fazer nada ao ver o nome de Jesus justificando cadeias...

Que o Príncipe da Paz nos dê sabedoria e nos torne cada vez mais sensíveis ao sofrimento daqueles que hoje padecem na loucura, na maldade, na dor e na insensatez religiosa que estão cada vez mais presentes às margens daquilo que chamamos de caminhada da vida.

Por: Cláudio Vitoriano
Caminho da Graça | Estação ABC Paulista

Jesus Cristo é o 4º termo mais buscado na internet em 2010



Um ranking baseado em uma compilação do Google insights compara as palavras-chave mais utilizadas durante o ano de 2010.

Curiosamente Jesus Cristo está entre os quatro assuntos mais buscados na web, a primeira posição do ranking fica com a famosa cantora norte-americana Lady Gaga, seguida por Justin Bieber e gatos (animais) em geral.

A lista é composta de 26 termos, entre os quais a maioria são celebridades da música como os Beatles, que já criaram polêmica no passado por se dizerem mais populares que Jesus Cristo.

Fonte: O Verbo / Gospel Prime

Enquanto isso na sessão do descarrego - "O cessar das pragas"

 
Pesquisa personalizada