quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Pr. Caio Fábio chama Pr. Silas Malafaia de safado

E o Pr. Caio Fábio, depois de sua declaração sobre os "novos evangélicos" nos chamando de bundões, agora ataca o Pr. Silas Malafaia, chamando-o de safado.

Para quem não sabe, o Pr. Silas Malafaia apoiava a candidata a presidência Marina, mas essa semana declarou em seu site que não a apoia mais e agora apoia o candidato Serra.

Discordo da posição de Silas Malafaia, mas discordo mais ainda da opinião do Pr. Caio Fábio. Depois de faltar com respeito com seus irmãos em Cristo nos chamando de bundões, agora ataca um amigo de profissão o chamando de safado. Essas coisas não se resolvem com palavrões e briguinhas fúteis. Minha opinião.


Thiago Matso que não entende certos tipos de declarações.

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Silas Malafaia afirma não votar em Marina

Logo após apoiar candidatura de Marina Silva à presidência da República, o pastor Silas Malafaia fica indignado com afirmações da candidata e muda sua opção de voto.

"NÃO VOTO MAIS EM MARINA", comunica. Abaixo, ele divulga o motivo de sua decisão:

"Pior do que o ímpio é um cristão que dissimula. Eu queria entender como uma pessoa que se diz cristã, membro da Assembleia de Deus, afirma que se for eleita presidente do Brasil vai convocar um plebiscito para que o povo decida se aprova ou não o aborto, ou se aprova ou não o uso da maconha.

Marina precisa aprender com a ex-senadora Heloísa Helena, católica praticante e pertencente a um partido ultrarradical. Heloísa Helena declarou peremptoriamente: “Sou contra o aborto!” Na audiência pública da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados, deu um verdadeiro show, não apenas à luz de questões religiosas, como também científicas. Ela mostrou a desgraça, a mazela, e uma das coisas que mais aborrecem a Deus: a força dos poderosos contra os indefesos.

Ao propor plebiscito, Marina está “jogando para a torcida”, para ficar bem com os que são contra e com os que são a favor. SAI DE CIMA DO MURO, MINHA IRMÃ! QUE PLEBISCITO COISA NENHUMA! O povo brasileiro não tem todas as informações necessárias para decidir esta questão de maneira isenta. Temos toda a mídia a favor dessa nojeira do aborto. Com certeza vão jogar pesado para influenciar.

Cultivar uma vida cristã significa ser radical. Radical contra o pecado, contra esse sistema mundano dirigido pelo diabo. Como diz a Bíblia, não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento (Romanos 12.2).

A palavra de Marina como cristã teria de ser apenas isto: “Sou contra o aborto e a legalização da maconha”. Como faltaram convicção e firmeza em suas declarações, uma vez que o cristão tem de “mostrar a cara” posicionando-se de forma categórica contra o pecado, Marina perdeu meu voto. Já que não tenho tantas opções, votarei em Serra para presidente.

Infelizmente, Marina não nega suas raízes petistas."

Fonte: Site do Pastor Silas Malafaia

História de nossos hinos e cânticos - Manso e suave

Will Lamartine Thompson era filho de um casal presbiteriano. Aos 16 anos começou a compor, porem sua fama só apareceu em 1875. Suas publicações foram usadas em diversas partes do mundo. Apesar de haver se tornado “o compositor milionário”, nem por isso Thompson se esqueceu de agradecer a Deus que tanto o abençoou e nunca deixou de dar o testemunho de seu Salvador. Thompson sentia que devia algo a Deus e por isso dedicou o seu talento de compositor unicamente a composição de músicas sacras. Muitas vezes colocou o seu piano numa carroça puxada por dois cavalos e foi para a roça, tocando e cantando hinos de sua autoria. Entre os vários hinos que escreveu, um deles recebeu uma homenagem toda especial quando, em dezembro de 1899, foi ao estado de Massachusetts para visitar o famoso evangelista D.L. Moody, que estava gravemente enfermo. Tão grave era o estado de saúde de Moody, que o seu médico não permitiu que Thompson o visitasse. Do seu leito de morte, Moody ouviu a voz de Thompson e pediu que ele entrasse. O grande evangelista, agarrando a mão de Thompson, disse: “Will, preferia ter escrito o seu hino “ Manso e Suave”, mais do que qualquer outra coisa que tenho feito em minha vida inteira”. Essa declaração, saída dos lábios de um dos maiores evangelista de todos os tempos, valeu como uma consagração; foi a homenagem máxima.

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

A piada está nos olhos de quem vê

Hahaha...
Fé de Boston?!
Me fez lembrar esse vídeo:

Thiago Matso, que não entende muito desses milagres e Catedrais

sábado, 25 de setembro de 2010

Bispo Manoel Ferreira e Reverendo Moon: Parceria infernal

O que o leitor verá à seguir é uma das denúncias mais graves já feitas neste site: São as provas da associação entre o deputado, líder principal da Assembléia de Deus do ministério Madureira e presidente da convenção CONAMAD, bispo Manoel Ferreira, e o reverendo Moon, líder da seita "Igreja da Unificação", da Coréia do Sul. O vídeo foi editado pelo pastor Enoque Lima, da AD Madureira.

Para aqueles que não conhecem, a Igreja da Unificação é uma seita fundada por Sun Myung Moon, o qual teria nascido para completar a salvação dos homens, sendo ele mesmo a concretização da segunda vinda de Cristo. Em síntese, o grupo afirma que Jesus fracassou em sua primeira vinda e cabe ao Reverendo Moon completar sua missão, redimindo a humanidade.

No vídeo, o pastor assembleiano aparece em alguns eventos relacionados à seita, e confere a benção em uma cerimônia religiosa na igreja do Reverendo Moon. Ao contrário do que possa parecer, este não é um evento ordinário na liturgia do grupo, mas um dos eventos mais importantes para os membros da seita, pois é através do casamento que os fiéis se tornam filhos espirituais do reverendo Moon:

"De acordo com a teologia do Moonismo, o destino final dos homens é serem casados e terem uma família perfeita. Isso porém não pode atualmente se realizar por que Jesus falhou, e assim não executou a salvação completa. No Entanto, como comenta Bjornstad, "uma Nova Era teve início em 1960: 'Naquele tempo, a profecia sobre as bodas do cordeiro, que se encontra no capítulo 19 de Apocalipse, cumpriu-se. Assim, o Senhor do Segundo Advento e Sua Esposa tornaram-se os Verdadeiros Pais dos homens"

"Este messias irá estabelecer a família perfeita, tarefa esta Jesus conca completou. Outras famílias perfeitas serão formadas, as quais irão formar uma sociedade perfeita que se expandirá por todo do mundo." (The Moon Is Not The Son, pp. 62-63).


Já não se trata de mero denuncismo, mas de provas cabais de que o bispo Manoel Ferreira apostatou da fé e está dando ouvidos a doutrinas de demônios. Assim sendo, penso que não resta outra opçãoo aos pastores da Assembléia de Deus - ministério Madureira, do que a oposição aberta ao bispo Ferreira e sua exclusão por apostasia. Omitir-se em uma situação como esta significa ser conivente com sua apostasia, a qual vem manchando não só a integridade do bispo, mas da igreja Assembléia de Deus, min. Madureira.

Desejo concluir este artigo com uma frase de Martin Luther King, que ironicamente ilustra o blog do bispo Ferreira, parecendo um ultraje aos pastores da CONAMAD:

"O que mais me preocupa nao é o grito dos violentos, nem dos corruptos, nem dos desonestos, nem dos sem ética. O que mais me preocupa é o silêncio dos bons"

Fonte: Pulpito Cristão
(1960 happens to be the year in which Rev. Moon married his wife Hak-Ja Han) - Grifo nosso.

Pregando a Briba

O Profeta de haraque

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

IMPD e a Unção da "Cagada"

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Há um futuro para o movimento evangélico?


Foi muito comentada a reportagem da revista Época sobre os "Novos Evangélicos"; celebrada por uns, criticada e até mesmo ridicularizada por outros (e não sem razão, diga-se). Agora que o susto passou e o "corpo" foi recolhido, acho que posso arriscar uns palpites sobre a "causa mortis".

Mais de uma vez ouviu-se o óbvio: que o mago da reportagem jogou numa cartola só todas as alternativas às igrejas mais tradicionais (históricas e pentecostais) e às neopentecostais, e tentou tirar dali o coelho da "Nova Reforma". É claro, foi um truque. Deu pra ver que o coelho era de plástico. Sem contar com o fundo falso da cartola da “Época”.

Mas não é que nada de novo esteja acontecendo. Há coisas novas acontecendo sim - especialmente as coisas menos conhecidas ou "anônimas" que aparecem na reportagem, como a Comunidade 242 e a banda de rock Palavrantiga - e há coisas acontecendo que nem aparecem na reportagem. O que não é novo é o que alguém ironizou como os "novos reclamantes", apresentados na reportagem como os "novos reformadores". Tudo estaria errado: parte dos "novos evangélicos" são na verdade os velhos evangélicos, alguns mais tradicionais, outros mais inovadores, reclamando juntos da grande crise evangélica. E os "evangélicos" da reportagem (neopentecostais, principalmente) são essa forma de evangelicismo defectiva e doente que conhecemos; como se fosse uma laranjeira grande, viçosa, folhuda, mas que dá laranjas esquisitas, pequenininhas e azedas. Esse tipo de árvore confunde a gente.

E muita gente atacou a reportagem: "O que é isso, Novos Evangélicos? Isso é a Globo, dividindo o povo de Deus!". Vários "reclamantes", no entanto, botaram lenha na fogueira: "É, a Época misturou um pouco as coisas, mas precisamos mesmo nos separar dessa laranjeira estéril". Sim, não nos esqueçamos dos “reclamantes dos reclamantes”, vociferando contra ambos os grupos. A pergunta de quem observa é a mesma: "Há futuro para o movimento evangélico"?

Sim
Isso é o que dizem apóstolos, bispos e pastores neopentecostais, diversos ministros de megaigrejas baseadas no paradigma moderno de religião, e a massa de crentes comprometidos com a "cultura gospel": está tudo indo muito bem, a vitória será completa, o povo de Deus vai dominar este país e ai de quem se opuser a isso. A rede Globo e os crentes que desafiam os novos apóstolos cairão sob o juízo de Deus e serão amaldiçoados. (Confesso que gosto da parte sobre a Globo).

Não
Assim dizem alguns dos "reclamantes", assim como os "reclamantes dos reclamantes": o movimento evangélico está falido, não há saída, não há esperança. Vamos esperar por algo novo. Não sabemos o que será, mas sabemos que não é o que conhecemos. Precisamos nos livrar da ortodoxia endurecida dos evangélicos mais fundamentalistas (especialmente dos calvinistas do Mackenzie e dos assembleianos doutrinários), assim como do neopentecostalismo, e partir para outra: para um cristianismo honesto, voltado para a cultura, não-dogmático, dialógico etc. E aqui às vezes se mistura de tudo: igrejas tribais e multitribais, emergentes urbanos, movimentos anti-institucionais como as igrejas nas casas, e muita gente do movimento de missão integral.

Talvez
Certo, pode parecer fácil indicar uma terceira via depois das duas caricaturas horrorosas que eu pintei logo acima, mas na verdade é bem difícil. Todo mundo identifica facilmente essas caricaturas. Quanto ao meu palpite, tenho sérias dúvidas. Sou o único que conheço pensando assim (talvez isso não seja um problema; não conheço muita gente mesmo). Enfim, as caricaturas são necessárias às vezes. Perdoem-me. Quero apresentar meu palpite com traços grossos e de forma impressionista.

E aí vai: se houver um futuro para o movimento evangélico, ele estará no Evangelho.
Não quero ser bonitinho, nem santarrão, nem piegas - estou falando sério. Ouço notícias sobre pastores se tornando muçulmanos depois de anos de trabalho; assisto ao evangelho da prosperidade na televisão e a pregadores de jatinho passando como "Evangelho" coisas que desconheço completamente; testemunho líderes e igrejas inteiras ensinando salvação por meio de esforços religiosos; ouço CD's de adoração totalmente baseados na descrição de vivências psicológicas e de promessas de santidade, mas vazios do anúncio da verdade sobre Deus e sobre a Graça; leio trabalhos de teólogos latinoamericanos da missão integral propondo sínteses entre pensamento social humanista e o Evangelho; ouço e leio pastores evangélicos dizendo que não são mais evangélicos e pregando sínteses de libertarianismo humanista e cristianismo; ouço podcasts de pessoas que realmente - realmente - acreditam que Brian McLaren apresenta um caminho viável para o cristianismo na pósmodernidade.

Sim, estou me parecendo com um dos "reclamantes". Talvez eu seja um deles, não sei. Mas sei de uma coisa: a igreja evangélica já não tem muita certeza do que seja o Evangelho.

Muita gente, quando me ouve dizer essas coisas, reage efusivamente: "É isso mesmo, vamos criticar essa malandragem! O problema dos crentes contemporâneos é que eles não tem caráter! E esses pastores, então, manipulando a fé das pessoas? Precisamos denunciá-los na internet. Precisamos de arrependimento, de ensinar o custo do discipulado!".

Com o perdão da expressão, arrisco-me a dizer que o problema é "mais embaixo". Não se trata meramente de uma crise moral, ou de uma crise de caráter, mas de uma crise de fundamentos. O mero fato de alguns cristãos acreditarem que nossa maior necessidade seja uma reforma das instituições, ou uma reforma moral em direção a um comportamento mais coerente, ou uma atitude intelectual crítica e revolucionária, revela que eles fazem parte do problema. Eles nem começaram a entender o que está acontecendo.

O que quero dizer com "Evangelho", então? Ora, refiro-me ao que se entende classicamente como o Evangelho: o anúncio dos atos e da presença salvadora de Deus. O que está acontecendo com a igreja evangélica no Brasil é que o seu conteúdo está se perdendo. As pessoas não sabem quem é Deus; nem porque ele é trino; nem sobre a condição depravada do homem diante de Deus; nem sobre o alcance cósmico da obra de Cristo; nem o que significa viver sob a Graça; nem o que significa ter esperança. Não é que não saibam essas doutrinas, meramente (a verdade é que não sabem mesmo), mas que não sabem as realidades descritas por essas doutrinas. Tenho me encontrado com centenas de cristãos, desde o tempo em que fui professor de teologia, que simplesmente não sabem o que é o Evangelho. O seu relacionamento com Deus é baseado em seus sentimentos, em suas especulações, ou em regras religiosas, ou em esforços de santificação. Eu até já parei de evangelizar católicos. Agora evangelizo crentes.

Por: Guilherme de Carvalho

História de nossos hinos e cânticos - Que Consolação

Que Consolação
Uma noite em 1887, o mestre de canto Anthony J. Showalter despediu sua classe na singing school (escola de canto) em Hartselle, Estado de Alabama, EUA. Pegou seus livros, fechou a igreja onde ensinava, e se dirigiu à pensão onde se hospedava durante sua estada curta na cidade. Havia recebido cartas de dois dos seus amigos, ex-alunos no estado da Carolina do Sul. Ao abri-las leu a mesma notícia: suas esposas haviam falecido naqueles dias. Quando se sentou para escrever palavras de conforto a eles, abriu a sua Bíblia, e o trecho bíblico que o tocou e que incluiu nas suas cartas, foi: “O Deus eterno é a tua habitação, e por baixo estão os braços eternos” (Deuteronômio 33:27).
Nos momentos que se seguiram, as palavras de um refrão e uma melodia ecoaram no pensamento deste compositor. Logo se pôs a escrevê-los e, sabendo que precisaria de estrofes também, pensou no seu amigo, o hinista Elisha A. Hoffman, autor de mais de 2.000 gospel songs. Imediatamente escreveu a ele, mandando o hino e explicando as circunstâncias. Pediu que Hofman escrevesse estrofes apropriadas. Ao recebê-las de volta, certamente enviou o hino, com sua mensagem confortante, aos irmãos enlutados.

domingo, 19 de setembro de 2010

Bons tempos que não voltam, mas nunca serão esquecidos! (9)

Edson e Tita Lobo


terça-feira, 14 de setembro de 2010

Ana Paula Valadão "pede votos" para a candidata Marina Silva

Nestes últimos dias, a cantora Ana Paula Valadão endossou e publicou em seu blog oficial uma carta da "apóstola" Valnice Milhomens que sugere que os evangélicos votem e apoiem a candidata Marina Silva. O post segue na íntegra abaixo.

Muitas lideranças religiosas têm se manifestado nestas eleições apoiando ou contrariando algumas candidaturas e/ou partidos políticos utilizando-se de púlpitos, blogs, malas-diretas e outros meios. O que você pensa a respeito?

Queremos deixar bem claro que o Veshame Gospel não está tomando posição contra a candidata Marina Silva nem apoiando ela ou qualquer outro candidato ou partido, porque:

1- esta nao é a função do blog;

2- cremos na liberdade de consciência, de livre informação e escolha de todos os que vivem nesta democracia;

3- somos defensores do princípio da separação entre igreja e estado, princípio este que é tanto bíblico como constitucional;

4- não defendemos a "Teologia do Domínio", que está por trás de muitas maluquices e atitudes antibíblicas e que são a base das visões, ministrações e ministérios de alguns líderes populares ditos "evangélicos" (esta Teologia do Domínio, em suma, prega que os evangélicos devem tomar o mundo e implantar o Reino de Deus - à força - na terra, utilizando-se da mídia, da política, etc. para entregá-los a Cristo, ou seja, constituir uma espécie de "ditadura gospel").

---

"Oi pessoal,

"Abaixo está uma carta escrita por uma pessoa que admiro muito, por seu amor e comprometimento com a restauração do nosso país.

"Lembro-me de ainda adolescente ouvi-la pregar e ensinar como ninguém sobre os assuntos espirituais, a vida com Deus.

"Mais tarde, tive o privilégio de ver de perto sua paixão pelo Brasil. Incontáveis jejuns, orações diárias nome por nome de cada cidade, de cada político, enfim, essa é uma mulher incansável na batalha pelo resgate do Brasil.

"Por isso, publico aqui sua carta sobre as eleições que se aproximam. Com vocês, com muito carinho e respeito, as palavras da Ap Valnice Milhomens:

"Amado(a) companheiro(a) no projeto de redenção nacional,

"Graça e paz lhe sejam multiplicadas!

"Venho à sua presença hoje, rogando sua permissão para compartilhar algo que considero de extrema importância dentro do projeto de redenção de nossa Pátria, que estou certa ser seu sonho e nosso.

"Todos nós, ministros do Evangelho de Jesus Cristo, certamente temos gemido e clamado pela redenção da nossa nação. Sonhamos com um Brasil verdadeiramente cristão. Trabalhamos para ver os valores do Reino de Deus vividos em todos os segmentos da sociedade. Choramos por leis que se criam e políticas de governo que ferem nossos princípios. Cremos ser possível ver uma nação transformada em nossa geração. Para tanto precisamos estar unidos na oração e no trabalho.

"Certamente uma das áreas que precisa ser profundamente afetada, é a política. Nunca teremos leis justas com legisladores injustos. A história mostra que há um desencadear da manifestação de Deus na nação, transformando-a, quando seus dirigentes máximos são aliançados com Ele e dele dependem para governar.

"Nunca em nossa história precisamos tanto estar unidos diante de Deus, em oração, com um só espírito a favor das próximas eleições. Muitas causas, em relação aos valores do Cristianismo, ganhas no Parlamento, por instrumentalidade dos nossos devotados parlamentares cristãos, são hoje ameaçadas pelo decreto do Plano Nacional de Direitos Humanos (PNDH3).

"Uma verdadeira tentativa de impor a filosofia do desconstrutivismo. Desde o Planalto ao parlamento estadual temos uma oportunidade de ver Deus agir nas eleições de outubro. 2 Crônicas 7:14 sempre nos lembrará que é nossa a responsabilidade de levar a nação nos ombros do arrependimento e da oração para que as mudanças ocorram.

"Como é sabido, a Senadora Marina Silva é oficialmente pré-candidata à Presidência da República. A partir do dia 10 de junho, é candidata. Trata-se de uma filha de Deus cujo caráter irrepreensível é um testemunho vivo do seu novo nascimento e consagração. Sua vida de oração é um exemplo a ser seguido. Sua dependência de Deus e determinação de buscar a vontade do Pai é uma constante em todas as suas decisões. Sua vida de mulher pública é sem mancha. A prática dos valores cristãos e as marcas do caráter de Cristo em seu caráter são evidenciadas em tudo quanto diz e faz.

"Sua competência política e administrativa, incontestável. Seu prestígio nacional e internacional manifesta o reconhecimento do seu valor moral, ético e político. Sabendo que “o temor de Yahweh é o princípio da sabedoria,” e que “bem-aventurada é a nação cujo Deus é Yahweh,” sonhar com alguém com esse perfil na Presidência da República, nunca esteve tão próximo da real possibilidade. É por atestar essas marcas na pessoa de nossa irmã Marina, crendo que Deus poderá usá-la no projeto redentivo da nação, e convicta de que chegou a hora de aliar a intercessão ao trabalho, que me disponho a fazer tudo que me for possível para testemunhar a seu favor, recomendando-a como a melhor escolha do momento na corrida ao Planalto.

"Grande parte do mundo evangélico não conhece a Senadora. Outra não sabe que ela é crente, pois sempre manteve uma postura ética e discreta em relação à fé, embora não perca oportunidade de testemunhar de Cristo. Desde dezembro de 2002 tenho tido a oportunidade de orar com nossa irmã. Na maioria das vezes pelo telefone, a seu pedido. Venho, portanto, acompanhando o seu testemunho por todo este tempo. Hoje, diante do chamado a ela confiado, prontifiquei-me a ser sua intercessora pessoal e dispor-me a servir em tudo quanto está ao meu alcance para que o ideal de alguém cheio do Espírito Santo à frente da Pátria não seja um mero sonho, mas uma feliz realidade. Hoje integro a Comissão Evangélica pró Marina e tenho a responsabilidade de mobilizar intercessores e tornar este projeto conhecido na maior esfera possível do nosso segmento.

"Permita-me, pois, amado (a) companheiro (a) nas lides do Reino, pedir-lhe algumas coisas, como uma simples serva a serviço desta causa:

"1. Que mobilize seu povo para orar intensamente por Marina Silva. Gostaria que, se possível, nos enviasse e-mails de intercessores que desejam abraçar esse ministério de intercessão. Ela carece de grande cobertura de oração. Veja que força organizada se opõe a ela: “Gays lançam ofensiva contra Marina Silva e tentam politizar Parada Gay em ano eleitoral.”…”A pré-candidata do PV à Presidência da República, Marina Silva, ganhou a antipatia de entidades que representam a comunidade LGBT” … “Infelizmente ela não merece o voto de nem uma pessoa, familiar ou amigo LGBT”. Com ela ocorre o que aconteceu com Daniel:
“Nisso os presidentes e os sátrapas procuravam achar ocasião contra Daniel a respeito do reino, mas não podiam achar ocasião ou falta alguma; porque ele era fiel, e não se achava nele nenhum erro nem falta. Pelo que estes homens disseram: Nunca acharemos ocasião alguma contra este Daniel, a menos que a procuremos no que diz respeito a lei do seu Deus” (Dn 6:5,6).

"2. Passe esta mensagem a quantos puder.

"3. Caso tenha uma mala direta de lideranças evangélicas, não ousaria pedir-lha, mas perguntaria sobre a possibilidade de envio à sua mala direta de informes desse projeto.
Rogo ao Pai que a plenitude das bênçãos garantidas por Cristo Jesus seja plena em sua vida e ministério. Que tudo quanto lhe diz respeito conheça a cada instante o toque da graça Divina.

"No amor do Messias, a serviço do Reino, por uma nação redimida,


"Valnice Milhomens"

" Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal algum. Salmos 23:4

domingo, 12 de setembro de 2010

Protesto na ExpoCristã 2010...O $how tem que Parar!

História de nossos hinos e cânticos - A Última Hora - 259CC

Escrito em 1911. João Diener, estava trabalhando na tecelagem e pensava na mensagem proferida pelo missionário A. B. Deter no dia anterior. Seu trabalho tornou-se mecânico, enquanto aflorava em sua mente uma melodia nunca ouvida antes, mas muito clara. Repetiu a melodia várias vezes e, em sua casa, trabalhou a letra. Durante um período de desemprego, Diener foi amparado pelo missionário Deter e continuava a morar com eles. Ele pediu a Edith, filha de 13 anos do missionário, que lhe auxiliasse ao piano, e na partitura, enquanto ele compunha “voz por voz” a harmonia da melodia. João Diener cantou-a pela primeira vez na Igreja Batista do Alto da Serra, em São Paulo, num culto em que pregou o missionário William Buck Bagby.
 O pr. Francisco Cid, missionário da JMM (da Convenção Batista Brasileira), uma história comovente e dramática deste hino: “Certo domingo à tarde, vagueava um homem nas ruas da cidade de São Paulo. Depois de haver bebido durante o dia, se recostou para dormir num dos bancos da Praça Princesa Isabel, a mesma onde fica a primeira Igreja Batista. Passadas algumas horas, ele despertou. Já era noite. De longe lhe vinha aos ouvidos o cântico de um hino! E era seu hino! O hino era A Última Hora. Este homem, separado da família e longe de Deus, ainda trôpego e um tanto ébrio, se levantou daquele lugar frio e de abandono e marchou em direção ao templo. Quando entrou, o pr. Tertuliano Cerqueira se aproximava da porta, e daquele homem desalinhado e com forte cheiro de bebida alcoólica o cumprimentou e disse: ‘…Que mensagem de Deus tem este hino!’
 O pastor lhe respondeu: ‘Eu sei que o compositor foi alguém inspirado por Deus.’ Diener lhe disse, então: ‘Eu escrevi esse hino!’. Em seguida, mostrou ao pastor a sua identificação. Depois, o pr. Tertuliano levou Diener à sua casa, ouviu sua comovedora história e a manifestação daquele coração, que naquela noite havia se arrependido. João Diener reconstruiu o seu lar, que estava desfeito, reconciliando-se com sua mulher, e foi fiel ao Senhor até a sua partida.

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Enquanto Jesus escrevia na areia...


Certo dia estava num momento devocional, lendo a Bíblia, mais precisamente nos versículos do capítulo 8 de João e, durante a leitura, comecei a imaginar a cena ali descrita, ao mesmo tempo em que fazia minhas reflexões a cerca do comportamento daquela sociedade.

A princípio, já se ouviu muito falar sobre o texto em questão. Mas minhas observações afloram quando comparo o texto da época de Jesus para com o que muitas vezes vivenciamos não só na sociedade civil, mas também dentro de nossas igrejas. O que me impressiona, é o fato de como o texto parece nos falar diretamente aos dias de hoje, como se o tempo pouco houvesse mudado.

Lendo o texto (João 8 1-11), é fácil perceber que a sociedade que se dizia “temente a Deus”, trouxe uma mulher à presença de Jesus e dos demais, para expô-la à vergonha pública por seus atos, como se a lei estivesse acima da vida humana e de todos. Escribas e fariseus, interrogavam a Cristo no intuito de encontrar um álibi para também o acusarem contra a lei. Pois era do interesse, tantos dos escribas - conhecidos por serem doutores da lei -, quanto dos fariseus, que Jesus perecesse de morte. Pois para eles, Jesus era um homem perigoso, por colocar em xeque as instituições e, principalmente, as leis judaicas. É neste momento que Jesus se inclina e começa a escrever na areia, como um sábio que tem algo a dizer diante do mar de hipócritas que ali se faziam presentes e que torciam para ver um fim trágico para aquela mulher.
Enquanto Jesus escrevia na areia, o legalismo do farisaísmo imperava nos corações dos que estavam prestes a cometer uma barbárie, como se aquela mulher fosse inferior aos demais por causa do pecado que vinha cometendo no seio da sociedade. Quando já estava arrodeada pelos acusadores, cada um com uma pedra (ou mais de uma) nas mãos, onde a vida estava a mercê de homens carregados de perversidade, inflamados pelo desejo de ver a lei sendo cumprida através de um julgamento popular e impiedoso, Jesus então se levanta, encara o inferno face a face vivido por aquela mulher e lança ao ar uma pergunta que transforma os corações de pedra, em carne.

A pergunta de Jesus soou como um vento impetuoso que invadiu o intelecto daqueles que valorizavam a lei, e assim os fez enxergar o pecado que estavam exalando, e o que viriam a cometer logo em seguida, que seria a coletivização a serviço da barbárie. Enquanto Jesus escrevia novamente na areia, a covardia deu lugar à reflexão, o momento de ódio fora convertido em momento de paz pela tomada de consciência coletiva. O mal, representado pelas mãos cheias de pedras, cai por terra ao som do impacto das mesmas ao solo. E assim Jesus acolhe aquela que, pela lei, estaria desprezada e condenada pela sociedade hipócrita, dando portanto, uma nova oportunidade para viver, acompanhada de um pedido muito especial: o de não pecar mais.

Recentemente, o mundo inteiro começou a acompanhar o caso da iraniana Sakineh Mohammadi Ashtiani, condenada à morte por apedrejamento devido a uma acusação de adultério. Como se uma viúva pudesse cometer adultério, como se a mesma já não estivesse livre de seu finado marido. Infelizmente, o que vemos é a continuidade indesejável do legalismo, da contradição dos discursos, dos falsos testemunhos, do horror da injustiça, da barbárie e tantas outras mazelas que não vale a pena citar aqui. Os que condenam a iraniana repetem a história da mulher adúltera de João capítulo 8. A diferença, é que no caso bíblico, o adultério havia sido consumado.
Fico verdadeiramente incomodado quando vejo pessoas fazendo uso tendencioso e utilitarista do nome (e também da Palavra) de Deus para abrir acusações contra outros indivíduos, sem atentar que também não passam de meros pecadores. Meu Deus, como é fácil acusar, prender, difamar, matar alguém! E como é difícil fazer justiça num mundo repleto de injustos! As vezes temos a sensação de que Deus não está nem aí para os nossos problemas e que temos que resolver tudo a nosso modo.

Mas não é só no mundo secular que encontramos acusadores. Na igreja vermos indivíduos que, mesmo após anos e anos escutando a pregação do Evangelho (melhor seria que ouvissem!), do amor de Deus, ainda estão distantes daquilo que o Evangelho propõe, que é a revolução do caráter através do exercício verídico do amor. Pessoas que ainda entram no mundo perigoso da hipocrisia que, com os dedos em riste, apontam o erro do outro, como verdadeiros algozes da alma alheia, que enxergam os próprios princípios como certos, mesmo que estejam diametralmente errados. E é assim que, muitas vezes, o Evangelho é transformado em verborragia, em uma disputa panfletária denominacional, de ações autopromocionais e meramente interesseiras, desprovidas dos propósitos cristãos.


Fico a imaginar Jesus se levantando em nosso meio e nos questionando que tipo de cristão / discípulos, estamos formando. Se o que pregamos, é o que de fato vivemos. Se somos amáveis a ponto de exalar o perfume de Cristo, se sabemos acolher o outro como Jesus acolhe (vide Lucas 15, 2), se aprendemos a perdoar, como Cristo nos perdoou no alto da cruz!

É tempo de deixarmos Jesus escrever, na areia de nossas efêmeras vidas, uma nova história, repleta de propósitos que nos alimentem pela fome e sede de justiça incorruptível, para que assim brote em nós o verdadeiro sentido de sermos o sal da terra e que possamos ser, a cada dia, agentes beneficentes e transformadores deste mundo.

Por Marcondes Junior

Da série - O Senhor da criação

Clique e baixe para seu PC

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Boa notícia de fato


O Senhor anulou a sentença contra você, ele fez retroceder os seus inimigos (Sf 3.15)

“Boas notícias” no vocabulário evangélico é muito mais que conseguir um bom emprego, é muito mais que ganhar uma fortuna, é muito mais que tornar a ter uma vida normal depois de uma doença prolongada, como o mal de Alzheimer. “Boas notícias” no vocabulário evangélico é obter perdão de uma dívida impagável. Uma dívida contraída com Deus não em dinheiro, mas em culpa. É essa notícia que o profeta esta transmitindo a Israel: “O Senhor anulou a sentença contra você”.

Outros verbos ou expressões poderiam ser usados nessa passagem: O Senhor revogou, o Senhor aboliu, o Senhor mudou, o Senhor cancelou, o Senhor removeu, o Senhor apagou, o Senhor fez desaparecer, o Senhor reduziu a nada, o Senhor eliminou. Cada um deles esclarece cada vez mais a beleza da boa notícia.

A boa notícia está dependurada no sacrifício vicário de Jesus Cristo. Deve ser lida em conexão com outra passagem: “[Deus] nos perdoou todas as transgressões, e cancelou a escrita da dívida [...] que nos era contrária. Ele a removeu, pregando-a na cruz” (Cl 2.13,14).

Porque minha dívida foi perdoada obrigo-me a perdoar a dívida que porventura alguém tenha comigo!

Retirado de Refeições Diárias com os Profetas Menores (Editora Ultimato, 2004).

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Conheçam o Robério, o contador de "causos"! A história dos 5 pães 2 peixinhos!



Estive com o Robério e o Stênio Marcius em Recife...noite inesquecível! Dois servos de Deus talentosíssimos!Que Deus continue iluminando a vida de vocês!

domingo, 5 de setembro de 2010

Os urubus gospels da internet


"O profeta sente dor em mostrar os erros."

Tenho visto essa categoria aumentar a cada dia, e tenho que confessar que preciso lutar contra mim mesmo para não tornar-me um deles!

Os profetas sempre tiveram um papel fundamental no judaísmo e, no cristianismo, são como torres de vigias, quase nunca se encaixam nos padrões dos “sacerdotes” e estão lá para falar na cara os erros dos falsos profetas, sacerdotes, intérpretes. Os erros do povo de Deus.

Mas existe uma grande diferença entre um profeta e um cara que só gosta de criticar, o profeta é um cara que não se conforma com o erro, mas que ama muito a quem ele está criticando.

Certa vez ouvi a história de uma profetiza que entrou no gabinete pastoral e falou: Pastor, Deus vai destruir a nossa cidade esta semana por causa dos nossos pecados!

O pastor se levantou e olhou nos seus olhos e declarou: Isso que você esta profetizando é falso! E ela com os olhos arregalados perguntou o porque ele falava isso. Ele respondeu: Porque se você fosse profeta de Deus e esta mensagem fosse dele, você falaria isso com lágrimas nos olhos!

Nem sei se esta história é verdadeira, mas ela ensina algo que é muito verdadeiro: o profeta sente dor em mostrar os erros dos da sua casa. Não é prazeroso para ele, ele o faz porque Deus mandou e não tem saída, ele tenta sempre trazer o conserto e a reconciliação.

Com a internet, a voz dos que não eram ouvidos ganhou uma chance, mas com esta chance veio todo o tipo de “profeta” e frustrados religiosos.

Se você varre a sua casa e joga o lixo fora, você é uma pessoa que está se importando apenas coma a casa limpa. Mas se você vai com o seu lixo até o lixão e fica por lá observando os outros lixos, aí então você deixou de se importar com a casa e se encantou pelo lixo.

É isso que tenho visto em alguns blogs, vídeos, twitters aqui na internet. Pessoas que já saíram de casa para morar no lixão, onde ficam mexendo nos lixos gospels para encontrar os mais fedorentos e guardar para sua coleção. Assim, ficam o tempo todo mostrando aberrações gospels e se divertindo com o que Deus se entristece.

Apenas Urubus gostam de ficar o tempo todo em lixões ao redor das carniças. Este tipo de material não traz vida, não traz mudança social e religiosa, mas sim entretenimento bizarro, e isso os profetas nunca fizeram.
Tenho que confessar, eu sou por criação um cara muito crítico, mas não quero transformar meu blog, meu Twitter, minhas peças ou pregações em um lixão onde não me importe mais com a limpeza da casa e sim em sobreviver da carcaça de quem já esta morto. Deus me ajude a criticar com amor e a não perder o foco!

Por: Marcos Botelho, pastor de jovens da Igreja Presbiteriana de Alphaville e missionário da SEPAL

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

História de nossos hinos e cânticos - Em Jesus amigo temos

Joseph Medlicott Scriven (1819-1886) nasceu na Irlanda. Possuía fortuna e educação. Na noite anterior às suas almejadas núpcias, sua noiva afogou-se! "Na sua tristeza profunda [e melancolia que o perseguiria durante toda sua vida], Joseph reconheceu que somente no seu amigo mais querido, Jesus, poderia achar o consolo e o sustento de que precisava". Noivo pela segunda vez, no Canadá, sua noiva adoeceu gravemente, vindo a falecer. Ele também sofreu financeira e fisicamente. Com muita razão.
Foi ao ouvir da enfermidade da sua mãe em 1855, que Scriven, numa carta para ela, incluiu as comoventes palavras deste hino para o seu conforto, mensagem experimentada por ele dia após dia. O hino foi publicado anonimamente. Foi um vizinho, que foi ajudá-lo durante uma enfermidade, que viu a poesia, rabiscada num papel ao lado da sua cama. Depois, Scriven publicou uma pequena edição dos poemas, Hymns and Other Verses (Hinos e Outros Versos), em 1869. É um dos hinos mais cantados ao redor do mundo.



Enquanto isso na sessão do descarrego - I acampamento balada gospel!

Bons tempos que não voltam, mas nunca serão esquecidos! (8)

Vencedores por Cristo - Deixa de brincadeira
 
Pesquisa personalizada