segunda-feira, 31 de maio de 2010

Eu amei um Homossexual



Eu tinha aproximadamente 17 anos, quando eu tive minha primeira experiência com um homossexual, lembro-me como se fosse ontem, eu ia pegar um ônibus para ir até minha igreja, como eu fazia todos os finais de semana. Era por volta das 18h00 e meu ônibus sairia em 30 min, foi quando eu avistei um senhor bem vestido e muito simpático, ele não tirava os olhos de mim, eu estava sentado em um banco perto do ônibus e ele mais afastado, quando ele começou a piscar para mim. Lembro que fiquei bastante constrangido, mas tomei coragem e o convidei para se sentar ao meu lado. Prontamente ele atendeu ao meu pedido, ele já veio logo segurando na minha mão, e começou a tocar no meu cabelo. Pois com o mesmo sorriso que o chamei eu falei para ele o seguinte:
_Tudo bem com você? Meu nome é Robert, qual é o seu nome?
_ Eu me chamo Marcos! Ele respondeu sorridente.
_Pois é eu só te chamei aqui porque eu queria que você soubesse que eu sou muito feliz!
Falei com um tom meio ousado.
_Eu já sei, você é feliz porque você tem muitos amigos assim “como eu”, por isso você é alegre!
Ele respondeu todo empolgado.
_Não exatamente, na verdade eu sou muito feliz, porque um dia eu fui “lavado e remido pelo sangue do Cordeiro”. É sobre Ele que eu gostaria de te falar.
Respondi com firmeza.
_A não!!! Você é crente? Só me faltava essa…
Ele respondeu tirando as suas mãos de mim, e um tanto indignado.
Como em nenhum momento eu demonstrei algum tipo de preconceito, e eu queria conhecer a sua história, conversamos sobre a sua vida e também sobre a bíblia.
Interessante foi eu estar levando minha bíblia na mochila, uma Thompson antiga, ou seja, uma bíblia enorme. À medida que passava um amigo do Marcos ele dizia:
_O Fulano, vem aqui esse é o Robert, ele é crente e não tem preconceito, ele quer falar sobre a bíblia com a gente.
Naquele domingo eu não fui para o culto na igreja, eu fiz meu próprio culto em um banco de rodoviária cercado de vários homossexuais, alguns sentados ao meu lado e outros sentados no chão, eu com a minha bíblia gigante no colo, as pessoas que desciam dos ônibus, ou passavam por lá paravam para ver o que estava acontecendo. Não me preocupei em falar sobre salvação, pois todos eles já conheciam a respeito de Jesus, eu apenas falei sobre o amor e graça de Deus, muitas sementes foram plantadas naquela noite.
Ao chegar em casa, eu chorei muito na ora de orar para dormir, o grande vazio e os valores distorcidos daqueles homens, me tocou profundamente. Eu questionei, porque nós cristãos nos calamos tanto para essas pessoas? Porque eles diziam que eu não tinha preconceito? Qual era a visão de um homossexual para com a igreja, e qual a visão da mesma para com eles? Porque nós cristãos nos fechamos para essas pessoas?
Deus me respondeu que eu poderia e deveria amar um homossexual, pois só através desse amor ele poderia se encontrar em Deus.
Talvez você esteja pensando agora: Seria correto eu subir no púlpito de uma igreja e dizer que eu amo um homossexual ou uma prostituta?
Nos meus vários anos de experiência com re-socialização, e missões noturnas, eu descobri não só na teoria, mas na prática que se não houver amor, nunca haverá recuperação, pois somente o amor verdadeiro, aquele que vem do alto, de Deus, o que não se limita à raça crédulo ou sexualidade definida, é que pode trazer um homem novamente ao convívio da sociedade.
Ele ama incondicionalmente, mesmo quando nós não o merecemos, Ele ainda chora por nós, e sofre as nossas dores, porque ele odeia o pecado, mas sempre amou o pecador.
Eu não tenho problema algum em subir em um púlpito para dizer em alta voz que eu já amei, e ainda amo um homossexual, isso porque eu conheci um cara que não teve vergonha de subir nu em uma cruz, só para dizer que ama os homossexuais, os pedófilos, as prostitutas, os ladrões, os drogados, entre outros pecadores como eu e você.
Ainda hoje eu tenho muitos amigos, que cultivei nas ruas e nos prostíbulos, são eles travestis, prostitutas, drogados, alcoólatras, mendigos, clientes das drogas e da prostituição, verdadeiros desgraçados como eu, com a diferença de que eu fui alcançado pelo favor não merecido da parte de Deus. Isso não me torna mais ou menos amado por Deus, mas me da o privilégio de poder abençoar essas pessoas que também são queridas do Pai, quem os coloca à margem da sociedade somos nós, Deus os coloca como a coroa da criação a imagem e semelhança dEle mesmo.
Durante minha caminhada cristã eu percebi falhas em meu caráter, principalmente quando eu rotulava essas pessoas sem conhecer suas histórias de vida, talvez você se identifique com uma dessas falhas, e Deus esteja te chamando para um relacionamento mais profundo com Ele.
Descobri que se eu amo pessoas que supostamente tem uma vida santificada semelhante a minha pseudo-santidade, eu não passo de um homossexual gospel, tão somente porque a principal característica de um homossexual é que ele ama alguém do mesmo sexo, ou seja, alguém que se parece com ele. Se eu só quero amar meus irmãos da igreja, eu sou um homossexual gospel porque eu escolho amar quem é igual a mim.
Quando eu me encontro dentro de um sistema religioso, que nunca me permite enxergar a dor, os sofrimentos e as grandes desgraças do mundo e de quem esta ao meu lado, e eu me vendo para esse sistema, em troca de promessas que Deus nunca fez ou faria, quando quero buscar apenas bênçãos pessoais, eu não passo de uma prostituta gospel, pois eu nunca serei resposta para as mazelas do mundo ou voz contra injustiça, no lugar de lavar minha alma no sangue do Cordeiro, não somente para ser abençoado, mas para abençoar, eu lavo minhas mãos como Pilatos, nas águas sujas de um sistema religioso corrupto, que me ensina a buscar somente as bênçãos do Pai, mas muito pouco, o Pai que me dá essas mesmas bênçãos.
O interessante é que nesse sistema eu posso ser uma prostituta gospel, mas a prostituta de verdade sempre vai ser uma meretriz, o gay um sodomita efeminado, o mendigo um morador de rua beberrão, a imagem e semelhança de Deus será sempre atribuída aos que foram alcançados pela graça sublime, ou aos líderes religiosos que são semi-deuses na terra. Daí a razão de serem prósperos em tudo.
Descobri ainda que quando eu vou para uma igreja com o intuito somente de cantar desesperado, levantar minhas mãos e chorar, ficar anestesiado e entorpecido pelo chamado louvor espontâneo ou louvor extravagante, eu sinto muito mesmo, pois nós precisamos rever nossos conceitos sobre louvor e adoração. Quem sou eu para questionar a forma como se louva, acredito que essa função é dada ao Espírito Santo, o problema é que biblicamente nós adoramos a Deus com atitudes e não somente com cânticos chamados espirituais, se eu não vivo o que eu canto essas expressões de louvor são apenas uma grande viagem, uma ilusão. Quando isso ocorre, eu não passo de um drogado gospel.
Se eu sirvo a Deus, somente com o intuito de ganhar dinheiro, seja através de uma fé genuína ou ainda por formas escusas, através do evangelho de uma falsa prosperidade, este mesmo que você esta pensado, este que tem arrastado milhares de cristãos para o inferno do capitalismo. Eu com certeza sou um mendigo gospel, pois eu não entendo que sem o próximo não existe Evangelho do Reino, e que viver somente de prosperidade seja qual for a área que se aplique ela, na verdade é viver de migalhas e esmolas espirituais, o que Deus quer nos dar em termos de qualidade de vida é muito maior que ouro e prata, não depende e nunca dependeu dessas coisas ou de uma vida cheia de grandes vitórias e glórias, se Deus tem te prometido somente essas coisas, acho que estamos falando de deuses bem diferentes. Ter um relacionamento íntimo e profundo com o Criador, essa é a verdadeira prosperidade.
Ame incondicionalmente e com certeza você entenderá porque Deus te trouxe para este mundo, e assim será mais fácil você fugir desse mundo gospel.
Hoje eu oro pelo Fábio (Travesti que atende pelo nome de Yasmin), pelo Edílson (ex-presidiário que é soro positivo, contraiu HIV após um estupro na cadeia), pela Claudette (se prostitui para sustentar o vicio de merla e crak), pelo Mário ( perdeu o senso da razão e é tido como louco, porque mora a mais de 20 anos nas ruas), entre outros muitos que eu poderia citar, pessoas maravilhosas que o próprio Deus me deu o privilégio e a honra de poder amar e abraçar como verdadeiros amigos.
Perdoe-me se isso te incomoda, talvez Mateus 25:31-46 esteja rasgado ou riscado em sua bíblia, para não te incomodar também.
Se você entende o que é Graça, e como ela somente inclui, não exclui, meus parabéns!
Você esta apto para viver os valores e os conceitos do Evangelho do Reino de Deus, baseado no texto bíblico citado de Mateus, aproveite e tire um tempinho para ir visitar Jesus Cristo em um hospital, em uma prisão ou qualquer outro lugar onde as margens da sociedade se concentram.
É legal quando nos lemos João 3:16 na ótica de I João 3:16.
Para encerrar, sempre que eu vejo um homossexual seja um homem ou uma mulher na rua ou em qualquer lugar, eu fico muito tocado e faço sempre à mesma oração:

“Pai eu te peço, por favor, se eu tiver filhos, não permita que um deles se torne um homossexual, mas eu entendo que cada um escolhe seu próprio caminho e dará conta de si a Deus, como eu ouvi muitos exemplos de travestis que se diziam filhos de pastores ou filhos de crentes.
Pai se um filho meu escolher este caminho, ensina-me a amá-lo como o Senhor ama a todos nós…”

Robert Itamar Alves da Costa

JOCUM Floripa, a partir do Rio Fonte: http://www.jocumdf.com

Culto à cebola, adoradores do umbigo e a ingestão de excrementos.



A proliferação de manifestações religiosas exóticas


O que você diria de pessoas que adoram legumes, bebem sua própria urina, se alimentam de luz e/ou ainda adoram astros da mídia? Que perderam a razão? Que são visionárias ou devotas?

Independente do que sejam, o certo é que todos os anos milhares de pessoas em todo o mundo trocam sua religião oficial por cultos estranhos. Essas novas seitas caminham paralelamente com as grandes religiões e possuem objetivos pouco claros, provocando desvios comportamentais autênticos e atitudes patológicas extremamente preocupantes.

O último censo do IBGE mostrou que 2,3% da população brasileira professa uma "outra religiosidade".

Fanáticos religiosos não faltam no mundo atual, por isso um grupo de autoridades do Chile, comissionadas para investigar o fenômeno, chegou à conclusão de que o perfil de uma seita envolve fanatismo, obediência incondicional, exclusividade do grupo e liderança messiânica. Mas há alguns grupos (ou seitas) que se destacam devido às suas práticas anômalas, promovendo cultos com elementos que se afastam dos padrões convencionais.

Sabemos que devemos respeitar aqueles que pensam e crêem diferente de nós, afinal, a liberdade religiosa é uma questão que toca a todos, indistintivamente. No entanto, não podemos confundir as coisas, a ponto de sermos ingênuos e tolerar as ações irracionais de tais grupos e seus cultos excêntricos.

Absurdos teológicos

Os absurdos ou aberrações são o mesmo que distorções, anormalidades, defeitos que se apresentam. As seitas produzem incessantemente tais desvios teológicos e muitas delas podem até conduzir seus fiéis ao suicídio coletivo.

Steve Hassan, ex-membro da seita do reverendo Moon (Igreja da Unificação), hoje pesquisador de cultos e seitas que realizam algum tipo de controle mental, explica o porquê de as pessoas aceitarem facilmente uma doutrina aberrante.

Segundo ele, "as seitas operam na personalidade da pessoa, desligando-a de sua vida anterior, fazendo-a redefinir suas crenças e valores de acordo com as normas estipuladas pelo grupo".

A seguir, breves exemplos dos cultos anômalos desses novos movimentos religiosos.

Cultos excêntricos

É incrível como as pessoas estão propensas a exercer fé nos mais estranhos tipos de deuses. Quando tocamos neste assunto, obviamente nos vem à mente alguns exemplos de cultos anormais, porém, os exemplos que seguem são tão excêntricos que desafiam os limites do que consensualmente denominamos de anormal. Vejamos:

Culto à cebola

Existe um grupo em Paris, França, que cultua a cebola. É isso mesmo. Estamos falando de um legume, considerado pelos adeptos como "bulbo divino". A liturgia do culto é a seguinte: as pessoas se reúnem em volta de uma cebola e vão descascando-a lentamente, camada após camada, até chegarem ao talo, que, segundo crêem, é a parte mais importante do ritual.

O indivíduo que estiver em concentração e contemplar a sagrada gastronomia, alcançará a pureza espiritual.

Adoradores do umbigo

Este culto também gira em torno da meditação, sendo que, desta vez, o deus venerado é o ventre, ou melhor, o umbigo. Dentro do templo, com as portas fechadas e um ambiente repleto de incenso, sob um calor quase insuportável, o grupo (também francês) se concentra em seus próprios umbigos. Acreditam que, pela meditação profunda, poderão regredir, por meio do seu próprio cordão umbilical, até o umbigo de Adão, onde, dizem, encontrarão a paz do paraíso original.

Ingestão de excrementos

Algumas seitas esotéricas, para adquirirem o que chamam de qualidades místicas (como, por exemplo, poder, força física e espiritual), ensinam a beber a própria urina. Até mesmo o padre Joseph Dillon, 53 anos, da Paróquia Nossa Senhora Aparecida (SP), ficou conhecido por dizer em entrevistas que a urina seria a "água da vida". Essas práticas irracionais, do ponto de vista bíblico e científico, têm levado muitos a crer que ingerindo urina conseguirão força espiritual. Inclusive, há até congressos internacionais sobre o assunto. Mas muitos não se contentam em "deliciar-se" somente com sua própria urina, preferindo também comer as próprias fezes, como é o caso de algumas seitas hindus.

Veneradores do sexo

"Nós temos um deus sexy, uma religião sexy e um líder muito sexy, com um grupo de jovens seguidores extremamente sexy. Se você não gosta de sexo, que vá embora enquanto pode". Esta é uma das doutrinas centrais da seita que ficou conhecida por muito tempo como Meninos de Deus, hoje Família do Amor.

Seu líder, que se identifica como MO, pregava o sexo livre, inclusive para a prática de um evangelismo que denominam de "pesca coquete". Defendem a prática homossexual e a prostituição. É o "vale-tudo" do sexo no recrutamento de adeptos. Por isso, a seita foi denunciada e perseguida em vários países e continua sob investigação da Polícia Federal.

Igreja da Eutanásia

De acordo com este grupo religioso, os problemas do mundo são todos causados pelo excesso de população. Então, a solução "óbvia" proposta seria a redução da população. Mas como? Pelo suicídio, eutanásia, sodomia, aborto e canibalismo. Como não poderia deixar de ser, esse grupo também professa fé em elementos extravagantes.

Crêem em extraterrestres e se dedicam a práticas mórbidas.

Adoradores da luz

Tal grupo possui um corpo de crenças doutrinárias essencialmente esotérico. Acreditam que não precisam mais comer. Segundo eles, "comida é veneno", por isso se "alimentam" exclusivamente da luz do Sol. Por outro lado, a rejeição ao nosso tipo de alimentação, como dizem, pode provocar um poder espiritual capaz de fazê-los ter visões de seres espirituais, além de viagens astrais.

Este ascetismo fanático tem levado alguns praticantes à morte. O pior de tudo é que tentam mesclar essa doutrina perigosa com os ensinamentos bíblicos, dizendo que Jesus também a praticava. Tais ensinamentos, contudo, são alheios à doutrina cristã.

Os seguidores da "Bíblia Branca"

A Igreja Mundial do Criador é um grupo racista fundado em 1971, na Flórida, por Ben Klassen, ex-corretor de imóveis. É um dos movimentos que mais crescem nos EUA, segundo o jornal The New York Times.

São partidários da filosofia de Adolf Hitler e possuem um livro chamado White Bible [Bíblia Branca], no qual pregam o ódio contra os judeus e os negros, e defendem a supremacia da raça branca.

Baseado nesta nefasta ideologia, Benjamin Nathaniel Smith, membro ativo de extrema direita da seita, que chegou a alterar seu nome para August Smith porque considerava seu nome "excessivamente judeu", assassinou um coreano, cinco judeus e três negros. A justificativa? Ele os considerava "pessoas sujas". A seita possui sites espalhados pela Internet, onde convida crianças para seu evangelho de horror.

Cultos às celebridades

Os termos "adorar" e "ídolo" possuem uma conotação estritamente religiosa. Contudo, em seus significados clássicos, foram sendo gradativamente alterados, pela mente popular, com o surgimento da mídia televisiva. Muitos fãs fanáticos de astros do cinema e do esporte têm mesclado a devoção pelo artista com a fé religiosa. Alguns destes ídolos estão sendo literalmente adorados nos altares de templos religiosos que lhes são dedicados. Vejamos alguns exemplos:

Idólatras de Elvis Presley

Parece que a frase "Elvis não morreu" é muito mais que um simples chavão, pelo menos para os fãs religiosos da "Igreja Presleyteriana".

A home page do grupo mostra desde testemunhos de graças recebidas de adeptos até os 31 mandamentos de Elvis. Tal igreja foi fundada em 1998, na Austrália, após a líder e fundadora, Anna, ter tido uma experiência mística com o rei do rock. E, hoje, conta com algumas congregações espalhadas pelos EUA e possui até um "teólogo", o dr. Edwards, responsável pela parte doutrinária.

Entre as muitas práticas esdrúxulas exigidas pelo grupo, destacamos as seguintes:

- Pelo menos uma vez na vida os adeptos deverão peregrinar até Graceland.

-Todos devem possuir em casa os 31 preceitos de Elvis, que incluem receitas de comida.

Devem incentivar, diariamente, as crianças a elogiar o cantor já falecido.

Mas os disparates não param por aí. Determinado sacramento, uma paródia da santa ceia, é feito com carne moída e pudim de banana. Os hinos, é claro, são alusões ao ex-roqueiro, e tudo isso recheado de muito rock-and-roll.

Veneradores de Raul Seixas

Talvez não tão organizado como o do roqueiro norte-americano, o raulseixismo é um movimento que está ganhando cada vez mais perfil de grupo esotérico. Em muitos fãs-clubes, já se perdeu o limite entre a admiração e a veneração. E não é para menos, pois Raul Seixas tinha tudo a ver com religião. Suas músicas só começaram a fazer sucesso quando o compositor, hoje bruxo (é assim que ele se autodenomina), Paulo Coelho passou a compô-las.

Noventa por cento das músicas de Raul faziam alusão a temas religiosos, principalmente esotéricos. Seu último trabalho recebeu o título de "A panela do diabo". "Chegar a ser parecido com religião é uma coisa meio sobrenatural", avalia a socióloga Juliana Abonizio. "Os raulseixistas realizam quase uma peregrinação rumo ao autoconhecimento [...] Para a Cidade das Estrelas, uma pousada terapêutica coordenada pelo Instituto Imagick, vão alguns dos fãs de Raul.

Não se trata de religião, mas as obras do cantor estão entre as bases do Imagick, segundo o presidente do instituto, Arsênio Hipólito Jr. Na pousada, o objetivo é intensificar a luz de cada pessoa, inclusive por meio da reprogramação mental".

Discípulos de Jedi

Mais de 70 mil pessoas na Austrália declararam ser seguidoras de Jedi. A religião foi criada baseando-se nos filmes de Star Wars, o famoso Guerra nas estrelas, de George Lucas, o "papa" da ficção científica hollywoodiana.

Talvez tudo não passe de uma brincadeira de fanáticos cinematográficos, que promoveram uma enxurrada de e-mails incentivando os fãs a votarem no censo religioso como seguidores de Jedi. Para que se tornasse uma doutrina, era preciso que dez mil pessoas professassem a "fé Jedi". Mas o caso vem surpreendendo as autoridades, já que 0,30% da população australiana diz acreditar em tal "força", a fonte de poder dos cavaleiros "Jedis".

O jedaísmo prega os princípios de algumas religiões, como, por exemplo, a busca pelo autocontrole e pela iluminação. Sua estrutura assemelha-se às filosofias orientais, mas com valores cristãos. Por isso, não será estranho se algum dia ouvirmos alguém orar a "Saint Luke Skywalker"!

Adoradores de Maradona

Torcedores argentinos fanáticos resolveram radicalizar. Promoveram o ex-jogador Diego Maradona, ainda em vida, de "rei" do futebol a "deus" de uma seita denominada "Igreja Maradoniana", também conhecida como "A Mão de Deus", uma referência ao gol que o atleta marcou em 1986 contra a Inglaterra. O grupo possui menos de mil adeptos. Foi fundado em outubro de 2002, em Paso Sport, na cidade do Rosário. O único objetivo é a exaltação de Maradona.

Já possuem um templo, um calendário religioso para marcar os eventos principais da vida do craque, que se dividem em a.D (antes de Diego) e d.D (depois de Diego), e alguns hinos. Para não se sentirem inferiores às outras igrejas, resolveram criar também sua própria "bíblia", intitulada "Eu sou o Diego do povo", uma biografia do ex-jogador.

Notas de referências:

1 - http://www.malagrino.com.br/online/olmwaco.html
2 - Porque Deus condena o espiritismo, Jefferson Magno Costa, CPAD, p. 216-7.
3 - Ibid.
4 - Revista Defesa da Fé, nº 40.
5 - www.cacp.org.br
6 - http://www.churchofeuthanasia.org/
7 - Revista Defesa da Fé, nº 43.
8 - Nome da mansão que Elvis Presley comprou para
seus pais, em 1957, na cidade de Menphis, no Estado do Tennessee, EUA.
9 - http://www.geocities.com/presleyterian_church/home.html
10 -http://www.correiodabahia.com.br/2004/03/24/noticia.asp?link=not000090074.xml
11 - As seitas hoje, José Moraleda, Ed. Paulus, p. 10-1
Paulo Cristiano é Presbítero da Igreja Evangélica Assembléia de Deus,
professor de religiões, vice-presidente do CACP e escritor.

Fonte: http://www.iepaz.org.br

Maldição hereditária!


Clique para ampliar

O Senhor da criação

Confira outras imagens da série e baixe para o seu pc. Clique aqui

sábado, 22 de maio de 2010

Lostmania - Viciados em LOST e o fim da série



Estes dias está terminando um dos seriados mais seguidos e interessantes de todos os tempos: LOST. Devido à importância dessa história, que ocupou um espaço na minha agenda nos últimos quatro anos, eu não poderia deixar este acontecimento passar em branco.

Eu sou avesso a fenômenos de massa, principalmente os televisivos e literários (estes graças a Dan Brown e os estúpidos enxames de livros de autoajuda que, quando você entra numa livraria, se não se esquivar deles, eles vêm de encontro a você, e podem o abalroar ou o atropelar). Com Lost foi diferente mas não de início, pois me dava chateação ouvir falar tanto e não poder assistir, porque era muito tarde, na "Rede Bola" – e, sobretudo, dublado com as vozes enjoadas de filmes de Sessão da Tarde, em que macacos jogam basquete e beisebol, e cachorros falam com pessoas.

Muito depois, eu fui cativado pelos mistérios da ilha. Como isso ocorreu? Bem, eu sempre perguntava aos seguidores do enlatado sobre de quê tratava a série, por que era interessante, o que ela tinha de melhor e por que ela fazia sucesso. A curiosidade esperava mais vontade e oportunidade.

De tanto ouvir os comentários e as perguntas (ao invés de respostas, porque as respostas fatalmente levavam a mais questionamentos), as interessantes discussões de alguns grandes amigos que assistiam a trama religiosamente, com paixão, divagando, teorizando, contagiados uns pelos outros... um dia eu tive a oportunidade de, em viagem, na casa de minha melhor amiga, que estava morando em Fortaleza, assistir ao episódio oito da terceira temporada (que, na minha opinião, foi a melhor delas!).

O episódio me pareceu eletrizante. E eu gostei tanto que resolvi assistir desde o começo, para entender o que tinha acabado de ver. Comecei a alugar os DVDs da série na videolocadora e pus banda larga, em parte para poder assistir aos episódios seguintes, que eram disponibilizados para baixar, com legendas, no dia seguinte à exibição nos canais do Tio Sam e do Canadá.

Daí já não podia encontrar ninguém que acompanhasse a série, porque sempre a conversa virava simpósio de teóricos de Lost; e quem não estava por dentro do assunto fatalmente ficava a ver navios. Imagino a antipatia de quem ficava nessa situação, mas sempre tinha um atenuante: tal pessoa podia escutar com simpatia de alguém: “Eu lhe empresto para você assitir! Você vai adorar!”...

Uma coisa chata é que as duas primeiras temporadas foram longas, começaram a ficar sem direção e tinha muitos "FLASHBACKS" tristes. Mas se você passar delas, você verá que a trama começou a se direcionar para o fim (as pessoas tinham medo de a história não chegar a lugar algum ou terminar de modo brusco, decepcionante e pouco criativo, por isso paravam de acompanhar a série). Nesse ínterim, no finzinho da terceira temporada, tivemos uma ótima notícia: Lost terminaria em 2010, com seis temporadas, final definido e com cerca de 15 episódios cada uma.

As nossas conversas “Lostmaníacas” se tornaram bem mais doidas após o anúncio do fim. E o pessoal da igreja sempre contribuía para exagerá-las perto de quem não assistia depois de trocar umas piscadelas – só para ver a cara de quem escutava coisas como...

“2010!? ... Eu vou fazer tudo para não morrer nesses três anos! Eu não posso morrer sem ver o final.”

“ Vou começar a olhar mais a rua antes de atravessá-la: tenho que viver mais três anos para saber como termina Lost.”

“Já imaginou se nós formos arrebatados ou morrermos antes? Iríamos ter que perguntar [a Deus] como seria o final... Que vergonha!”

– E alguém respondia:

“Pois é. Já imaginou a gente no céu com a cabeça na terra? Sem paz por causa disso!”

“Vamos ser otimistas, Jesus vai voltar depois do final!”

Depois de gargalharmos diante dos olhos arregalados e pessoas boquiabertas que ouviam estas “pérolas de sabedoria”, o tom da conversa, logicamente, mudava. E a gente percebia e discutia coisas como: por que nós não pensamos muito na vinda de Cristo, na morte e não nos preparamos para isso, como se pudesse ocorrer agora; e por que só pensamos nisso quando convém, quando sofremos... Que coisa mais feia! Isso, infelizmente é uma "CONSTANTE".

Noite dessas, após o culto, eu conversava – brincando e com cara de sério – com um seminarista amigo meu, que pregou na nossa igreja: “Lost termina no fim do mês. [pausa dramática] Passei os últimos três anos tentando não morrer para poder assistir ao final da série. E agora vai terminar!... Preciso urgentemente encontrar uma nova razão para viver...”

Ele bateu na Bíblia olhando pra mim e riu, percebendo o gracejo que eu havia feito. E retribuiu: "É... você está realmente PERDIDO."

Depois eu disse que era brincadeira e caí na gargalhada também, com todo mundo. E completei com um sorriso maroto: “Mas é sério.” 


Por Avelar Jr.
"Previously on Não, Obrigado!" 

PS: O final da série será exibido amanhã à noite nos Estados Unidos e no Canadá, em episódio de duração dupla.

segunda-feira, 17 de maio de 2010

Em defesa do Evangelho

sábado, 15 de maio de 2010

Pedo Folia 2010

Falta de percepção



E Esaú não percebe nada! (Ob 7)


Esaú é empurrado para as fronteiras pelos seus aliados, é enganado pelos seus melhores amigos e os que comem com ele à mesa lhe armam armadilhas. “E Esaú não percebe nada!”

Jesus Cristo tem uma experiência diferente. Ele bem sabia da armadilha: “a mão daquele que vai me trair está com a minha sobre a mesa” (Lc 22.21). O Senhor chega a citar o Salmo que diz: “Até o meu melhor amigo, em quem eu confiava e que partilhava do meu pão, voltou-se contra mim” (Sl 41.9).

Os outros apóstolos também nada sabiam sobre a conspiração de Judas. Quando o Senhor lhes disse que um dos doze lhe trairia, ninguém desconfiou de Judas. Ficaram tristes com a informação e, “um por um, lhe disseram: ‘Com certeza não sou eu!’” (Mc 14.19).

A simplicidade demasiada não é aconselhável. Tem de haver uma dose razoável de percepção. Jesus ordenou: “Sejam astutos como as serpentes e sem malícia como as pombas” (Mt 10.16).

Misturarei a astúcia com a simplicidade para não ser surpreendido.

Retirado de Refeições Diárias com os Profetas Menores (Editora Ultimato, 2004).

sábado, 8 de maio de 2010

Evangelismo Automotivo Selvagem

Alguns religiosos sempre têm uma maneira rápida, impactante e simpática de apresentar sua mensagem para tentar salvar os outros.

Se você não é lá um desses felizardos mas sente uma vontade imensa de compartilhar o que crê com o mundo, driblando a timidez e a falta de carisma, experimente utilizar estes adesivos no seu carro:




[Quem é o seu Papi?]

 


[DEUS acredita na Pena de Morte... E Você?]

Mas se você quer salvar as pessoas sem muito lero-lero, indo diretamente ao assunto, você pode experimentar o adesivo impactante abaixo. Garanto que ninguém vai esquecer de você e da sua mensagem!


[Você ACREDITA em Deus? Se Não... VAI PRO INFERNO] 

Compre já estes mimos gospel clicando aqui.

Por Avelar Jr.
Também publicado no Não, Obrigado!

sábado, 1 de maio de 2010

Unidade e diversidade



Letra:Unidade e diversidade

Composição: Guilherme Kerr


Da multidão dos que creram
Era só um o coração e a alma,
Uma só mente, uma semente,
Somente uma esperança brotando dentro da gente.
Nosso era o pão cada dia, nosso era o vinho, santa folia,
O que se parte e reparte, a própria vida,
Galho ligado à parreira, vida, em comum, verdadeira.

Sempre grande poder: curas, milagres de Deus.
Sempre proclamação! Cristo, o Senhor, ressurgiu!

Da multidão dos que creram
Era só um o coração e a alma,
Muita alegria, singela a vida,
Na simpatia de todos, nasce a Igreja de novo
Povo de Deus, sal e luz pra todos os povos.

Universal enviou R$ 400 mi ao exterior, dizem doleiros



A Igreja Universal do Reino de Deus é acusada de ter enviado para o exterior cerca de R$ 5 milhões por mês entre 1995 e 2001 em remessas supostamente ilegais feitas por doleiros da casa de câmbio Diskline, o que faria o total chegar a cerca de R$ 400 milhões. A revelação foi feita por Cristina Marini, sócia da Diskline, que depôs ontem ao Ministério Público Estadual (MPE) e confirmou o que havia dito à Justiça Federal e à Promotoria da cidade de Nova York. O criminalista Antônio Pitombo, que defende a igreja e seus dirigentes, nega as acusações.

Cristina e seu sócio, Marcelo Birmarcker, aceitaram colaborar com as investigações nos dois países em troca de benefícios em caso de condenação, a chamada delação premiada. Cristina foi ouvida por três promotores paulistas. Ela já havia prestado o mesmo depoimento a 12 promotores de Nova York liderados por Adam Kaufmann, o mesmo que obteve a decretação da prisão do deputado federal Paulo Maluf (PP-SP), nos Estados Unidos - ele alega inocência.

Os doleiros resolveram colaborar depois que a Justiça norte-americana decidiu investigar a atividade deles nos EUA com base no pedido de cooperação internacional feito em novembro de 2009 por autoridades brasileiras. Em Nova York, eles são investigados por suspeita de fraude e de desvio de recursos da igreja em território norte-americano.

Ela afirmou aos promotores que começou a enviar dinheiro da Igreja Universal para o exterior em 1991. As operações teriam se intensificado entre 1995 e 2001, quando remetia em média R$ 5 milhões por mês, sempre pelo sistema do chamado dólar-cabo - o dono do montante entrega dinheiro vivo em reais, no Brasil, ao doleiro, que faz o depósito em dólares do valor correspondente em uma conta para o cliente no exterior. Cristina disse que recebia pessoalmente o dinheiro.

Fato novo

O advogado Antônio Sérgio Altieri de Moraes Pitombo, que defende a Igreja Universal e seus dirigentes, diz que já esperava o surgimento de um "fato novo" por parte do Ministério Público Estadual. "Todas as vezes que são impetradas medidas judiciais contra a ilegalidade na investigação são criados fatos e manchetes para perturbar a neutralidade do julgamento", assinalou o criminalista.

"Não é necessário ressaltar que a palavra de um delator deve ser tomada com muita reserva. A defesa vai adotar as medidas pertinentes para evidenciar a verdade, que muitas vezes não está ainda nos autos." Procurado, o advogado dos doleiros, Alberto Tichauer, não foi localizado para falar sobre o depoimento de seus clientes.

Fonte: Estadão

 
Pesquisa personalizada