quinta-feira, 29 de abril de 2010

Enquanto isso, na sessão do descarrego - A quebra da maldição do círculo...


Confira outras imagens da série clicando aqui

Charge do veshame - Não coma carne de porco!

O desânimo de Deus



Destruí algumas de suas cidades, [...] e mesmo assim vocês não se voltaram para mim (Am 4.11)

É um rosário interminável de “mesmo assim vocês não se voltaram para mim”. Para retirar Israel do mau caminho e deixá-lo a salvo da culpa e do sofrimento, Deus tomou muitas providências. Deu-lhes estômagos vazios e falta de alimento, reteve a chuva na hora mais imprópria (“quando ainda faltavam três meses para a colheita”), castigou com pragas e ferrugens os seus jardins e as suas vinhas, matou os seus jovens à espada e destruiu algumas de suas cidades a fogo. Todavia, foi tudo inútil. Depois de cada provação, Deus se viu obrigado a admitir o teimoso insucesso: “Mesmo assim vocês não se voltaram para mim” (Am 4.6, 8-11).

Quem disse que Deus não fica desanimado? Ele estava desanimado frente à obstinação de Israel, na época do profeta Amós. Ele estava desanimado quando se perguntou na época do profeta Isaías: “Que mais se poderia fazer por ela [a vinha de Israel] que eu não tenha feito?” (Is 5.4). Quando Deus desanima, o perdedor não é Ele, mas o seu povo!

Não vou provocar a paciência de Deus. Não serei insensato para chegar a esse ponto!

Retirado de Refeições Diárias com os Profetas Menores (Editora Ultimato, 2004).

segunda-feira, 26 de abril de 2010

A Intimidade e o Sinal Amarelo - Parte 2



Há no meio evangélico um movimento de pretensa “intimidade” que por vezes me deixa de cabelo em pé por sua irreverência, imaturidade e insensibilidade na adoração e comunhão. Comportamentos excêntricos, distorções de expressões e ensinos bíblicos que levam a práticas libertinas, músicas com conotações sexuais tratando Deus como esposo nosso e nós como sua noiva...



Mas o que há de mal nisso? Simples, por exemplo: Deus nos trata (indivíduos) como filhos, amigos e servos, jamais como cônjuge. Jesus não nos trata como suas “esposas”, “noivas”, “amantes”, e isso é de longe suficiente para entendermos a forma como Deus nos ama, pois Jesus é a perfeita expressão do Pai, e nele não encontramos ecos dessa erotização da adoração que vem sendo popularizada por certos cantores e compositores gospel.

Então, eu vejo essa “conjugização” de Deus por parte de indivíduos como ultrapassar o sinal amarelo, exibicionismo de “espiritualidade” e falta de reverência (para não falar que o objetivo de algumas dessas músicas é, simplesmente, que sejam tocadas em rádios seculares, porque por vezes você não distingue se o cantor fala de Deus ou de sua namorada). Pois Deus, na Bíblia, trata, figurativamente, como cônjuge:

a) o povo de Israel (uma coletividade);
b) Jerusalém e a Nova Jerusalém (uma cidade, uma coletividade);
c) e a igreja (uma comunidade).

Também merecem menção aqueles “íntimos” que dão ordens a Deus como se ele fosse seu cachorro: “Eu determino que você...”, “Eu decreto que...” ...E Deus é que tem que obedecer aos caprichos deles! Isso não é de modo algum intimidade, isso é irracionalidade e pecado.

E tem aqueles... que agem como se tivessem uma procuração em branco de Deus para entregar profetadas de sua própria vontade, conceder e pregar unções que não existem e negociar pedaços do céu; os que imitam animais como se Deus nos quisesse para bestas e não para seres humanos feitos à sua perfeita imagem; os birrentos e dengosos que veem Deus como o pai babaca que adora ver filhos chorões e imaturos fazendo birra nos corredores dos supermercados ao pedir algo...

Assim, o ideal é que a nossa forma de nos relacionarmos com o Senhor dos Exércitos e o Rei em nossa vida, no nosso culto diário e congregacional, tenham a reverência devida, a sabedoria e a inteligência de sabermos com quem estamos lidando e o que ele espera de nós; mas sem a perda do carinho e do amor pelo nosso Salvador, Amigo e Pai, em quem devemos nos espelhar.

Respeito para quem merece respeito não diminui nossa intimidade, é uma obrigação. E o amor a Deus e ao nosso próximo é sempre devido. Intimidades, porém, são coisas particulares, privadas, e é até bom que permaneçam assim.



Postado por Avelar Jr.
Também publicado no Não, Obrigado!

domingo, 25 de abril de 2010

Enquete do veSHAME. Participe!

Como todos sabemos, 2010 é ano de eleições. E em anos assim a igreja sofre muito com alianças políticas, propagandas eleitorais nos púlpitos (que são ilegais e devem ser levadas ao conhecimento da Justiça Eleitoral local), mistura entre igreja e Estado etc. 

Enfim, políticos viram crentes de fachada durante a corrida eleitoral para enrolar os evangélicos - e às vezes contam com a cooperação de lideranças destes; fazem falsas promessas, desrespeitam as normas eleitorais... e toda sorte de picaretagem envolvendo a fé cristã ganha terreno. 

Não sejamos mais marionetes de gente sem escrúpulos! Políticos são para representar e para servir à população brasileira - a TODOS, na administração da coisa pública; não para atender exclusiva ou primordialmente aos nossos interesses particulares ou às nossas denominações.

VeSHAME Gospel quer saber:

Você já presenciou campanhas ou propagandas de candidatos a cargos políticos no templo de sua igreja?

Participe você também desta enquete!

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Empresa vende bunkers com todo conforto para o Apocalipse



Se você tem medo de não saber como se refugiar de um ataque nuclear ou uma chuva de asteróides, uma empresa americana tem a solução: ela oferece a preços módicos um lugar num bunker subterrâneo equipado com todas as comodidades da vida moderna para poder sobreviver ao temido Apocalipse. Pelo sim pelo não…

“Não podemos prever o futuro, mas podemos nos preparar para ele”, afirma em seu site o grupo Vivos (www.terravivos.com), que coloca à venda de 4.000 lugares em 20 abrigos antiatômicos de 200 lugares cada, espalhados por todo o território americano.

O custo de um desses lugares é de 50.000 dólares. As crianças pagam metade e não é cobrado ingresso para os animais.

“Algum dia, alguma coisa vai nos fazer querer um refúgio”, afirmou à AFP o diretor da empresa, Robert Vicino, completando que não está incitando ao medo. “Só propomos uma solução”, defende-se.

Na página da empresa na internet, há uma contagem regressiva. É o tempo que falta para o fim do mundo, fixado para 21 de dezembro de 2012, segundo interpretações do calendário Maia e de Nostradamus.

Mesmo que a humanidade sobreviva a essa data – a Nasa jura que nada acontecerá – ainda sobra uma boa quantidade de cenários de catástrofe, conscientemente enumerados ao potencial cliente: terrorismo nuclear, gigantescas erupções vulcânicas, tormenta solar, cometa mortal ou ataques químicos e bacteriológico.

“Não se trata necessariamente de 2012. Poderá acontecer algo amanhã, ou em 20 anos”, afirma Vicino, que confessa ter mais medo da “anarquia social e econômica”.

“O governo se prepara para esse tipo de eventualidade há anos e tem refúgios subterrâneos, mas se você não faz parte da elite, não se beneficiará deles”, completou.

Os bunkers, em parte novos e em parte antigos refúgios nucleares da época da Guerra Fria, são construídos para permanecer 500 horas debaixo da água, resistir a temperaturas externas de 700 graus, ventos de 700 km/h e séries de tremores de terra de até 10 graus na escala Richter.

“Como coproprietário de um refúgio Vivos, a pessoa só precisa ir para lá. Todo o resto está assegurado: alimentos, água, roupa, medicamentos, comunicações e instalações muito confortáveis”, promete a empresa.

O primeiro bunker, situado no deserto da Califórnia (oeste do país), ficará pronto em setembro. Os pedidos fluem, segundo Vicino, que afirma receber “uma centena de candidaturas por dia”.

O objetivo é formar comunidades autosuficientes, selecionando pessoas de diversos talentos. “Não queremos ter muitos médicos e nenhum encanador”, explica, afirmando desejar criar “uma espécie de Arca de Noé”.

Quanto à manutenção da ordem, isso não deverá ser motivo de problemas, segundo o empresário, já que um terço dos candidatos provém do exército, da polícia ou de grupos privados de segurança.

“Ontem, me ligou um membro das Forças especiais no Afeganistão que queria um lugar, estava muito entusiasmado”, relatou.

Visivelmente mais entusiasta que o próprio empresário, que admite não ter reservado seu lugar. “Não estou certo de poder pagar!”, disse.

Fonte: G1

Da série: Ainda tem gente de Deus...



Compositor(es): João Alexandre

Enquanto a violência acabar com o povão da baixada
E quem sabe tudo disser que não sabe de nada
Enquanto os salários morrerem de velho nas filas
E os homens banirem as leis ao invés de cumpri-las
Enquanto a doença tomar o lugar da saúde
E quem prometeu ser do povo mudar de atitude
Enquanto os bilhetes correrem debaixo da mesa
E a honra dos nobres ceder seu lugar à esperteza.

Não tem jeito não.

Só com muito amor a gente muda esse país
Só o amor de Deus pra nossa gente ser feliz
Nós os filhos Seus temos que unir as nossas mãos
Em nome da justiça, por obras de justiça
Quem conhece a Deus não pode ouvir e se calar
Tem que ser profeta e sua bandeira levantar
Transformar o mundo é uma questão de compromisso
É muito mais e tudo isso.

Enquanto o domingo ainda for nosso dia sagrado
E em Nome de Deus se deixar os feridos de lado
Enquanto o pecado ainda for tão somente um pecado
Vivido, sentido, embutido, espremido e pensado
Enquanto se canta e se dança de olhos fechados
Tem gente morrendo de fome por todos os lados
O Deus que se canta nem sempre é o Deus que se vive, não
Pois Deus se revela, se envolve, resolve e revive
Não tem jeito não, não tem jeito não. ( Bis )

"Deixem vir a mim as crianças e não as impeçam; pois o Reino dos céus pertence aos que são semelhantes a elas” Lucas 18.6

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Marco Feliciano e seu Busão da fé.

Fuga impossível



O ágil não escapará [...] e o guerreiro não salvará a sua vida (Am 2.14)

A Palavra de Deus deixa bem claro que há uma fuga impossível. Ninguém consegue fugir da presença de Deus, simplesmente porque Ele é onipresente.

Amós é incisivo quanto a isso: nem o ágil nem o forte nem o guerreiro nem o arqueiro nem o cavaleiro nem o que corre: “até mesmo os guerreiros mais corajosos fugirão nus naquele dia” (Am 2.16). Em linguagem moderna, o profeta diria: nem a mais alta patente do exército mais poderoso do mundo nem o dono do maior império financeiro do planeta nem o político mais esperto e sagaz de todos os tempos. Todos estarão nus diante do Senhor: sem roupa, sem insígnias, sem coroa, sem poder, sem defesa, sem advogado, sem uma segunda chance.

O texto mais bem escrito sobre a fuga impossível está no livro dos Salmos. A linguagem é muito franca e conclusiva: “Para onde poderia eu escapar do teu Espírito? Para onde poderia fugir da tua presença?” (Sl 139.7). De todas as fugas aventuradas, nenhuma funciona, porque Deus está em todos os lugares imaginados de fuga (Sl 139.8-12).

Prefiro me entregar a Deus agora a fugir inutilmente dele a vida inteira.

Retirado de Refeições Diárias com os Profetas Menores (Editora Ultimato, 2004).

domingo, 18 de abril de 2010

Kid Bengala é evangélico


Natural de Santos e pai de três filhos, Clóvis Basílio dos Santos, o popular e carismático Kid Bengala, 53 anos, é mundialmente conhecido pelos diversos filmes para adultos que protagonizou em mais de 27 anos de carreira, distribuindo diversos autógrafos por onde passa. Porém, pouca gente sabe que Kid Bengala é formado como melhor aluno em projeto de ferramentas pelo SENAI, em São Paulo. É evangélico e freqüenta o culto todas as sextas e domingo. Sua preocupação com o bem-estar das pessoas e com a desigualdade social que assola a cidade de São Paulo leva-o a tentar, pela primeira vez, conquistar uma cadeira na Câmara dos Vereadores de São Paulo pelo PPS, filiado desde 2007

Projeto de ferramentas?! Evangélico?! Eu tenho certeza que KID BENGALA deve ser muito habilidoso com a sua "ferramenta", mas querer se pagar de evangélico fervoroso, com licensa né, ô. Penso eu que a profissão de KID é, no mínimo, incompatível com a exercício da fé cristã.

Fonte: http://ube-167.pop.com.br/
http://gasparemrevista.blogspot.com

IURD quer construir o maior templo da América do Sul



(ALC) A Igreja Universal do Reino de Deus (IURD), presidida pelo bispo Edir Macedo, está fechando negociações para aquisição do terreno da antiga fábrica da Leão Júnior, com mais de uma quadra e meia no bairro Rebouças, nesta capital. Sua pretensão é instalar ali o maior templo evangélico da América do Sul.

A oferta da IURD superou o valor de mercado e as ofertas feitas pela área, cobiçada por diversas incorporadoras de São Paulo e Curitiba, por significar 7 milhões a mais do que vale e por ser em dinheiro. O negócio teria sido acertado desde fins de fevereiro através da holding Serra da Graciosa Administração e Participações S.A, que reúne os negócios da família Leão. Ricardo Mueller, presidente do conselho da holding, promoveu uma reunião com os acionistas em 31 de março, que autorizou os diretores a venderem o imóvel.

A área em processo de compra para construção do templo está localizada na região central, uma das mais valorizadas de Curitiba. No local funcionava a sede da centenária fábrica de chás secos da Leão Júnior, que criou a marca Matte Leão e foi comprada em março de 2007 pela Coca-Cola. A multinacional de refrigerante já transferiu a linha de produção para a Fazenda Rio Grande, na região metropolitana de Curitiba, inaugurada em novembro do ano passado, mas ainda mantém atividade administrativa na casa instalada no terreno, que deve ser removida para outra unidade.

As conversações da a IURD com a família Leão começaram há dois anos e meio, logo após a venda para a Coca-Cola. A Igreja possui 45 templos em Curitiba, dos quais o maior é a Catedral da Fé, na avenida Sete de Setembro, com área construída de 9 mil metros quadrados e frequência média de 8 mil fiéis aos domingos. Este é, até agora, seu maior templo na cidade. Mas o terreno em aquisição tem uma área três vezes maior.

Fonte: http://www.alcnoticias.org/

"Sai desse corpo que isso não te pertence mais"

quinta-feira, 15 de abril de 2010

A Intimidade e o Sinal Amarelo - Parte 1

Conversando com uma amiga do Ceará que morou em outro estado por algum tempo, ela me contou que o jeito cearense de ser amigo lhe causou certos problemas por lá. “Cearense perde o amigo mas não perde a piada”, dizemos por aqui, e em alguns casos pode se tornar mais que um simples provérbio ilustrativo do nosso humor irreverente.

Não só aqui, mas, eu creio, em muitas partes do país, temos a mania de tratar as pessoas próximas "muito mal". Isso acontece em casa, na igreja, no trabalho e na roda de amigos. Certos adjetivos, invocações, expressões, brincadeiras e comportamentos que temos com pessoas íntimas não são recomendáveis para com todas as pessoas, e podem levar a mal-entendidos e causar sérios problemas.

Intimidades trazem certas “licenças”, licença para criticar, ofender e falar verdades de forma não utilizáveis com os de fora do grupo. E o hábito de tratar as pessoas assim, diariamente, amortece nossa sensibilidade quanto ao impacto de nosso comportamento. É aí que mora o perigo.

É comum vermos pessoas no âmbito familiar adocicando seu cotidiano com mimos como "Sai do meio, seu abestado! Não está vendo que eu quero passar, não?". Ou então um "Essa lesada aí fechou a porta do carro no dedo e ficou chorando! Hahahaha!"... Ou "Ei, palhaço, vem aqui ligeiro!"

Normalmente tais brincadeiras entre amigos, além de não constituírem ofensas ou mágoas, principalmente quando ditas e percebidas em tom de brincadeira, ainda são retribuídas carinhosamente, às vezes com risadas de cumplicidade.

Pois bem, aquela amiga de que falei disse a alguém por quem ela nutria muita consideração “Deixa de ser besta!” Resultado: ela foi mal-interpretada, a interlocutora ficou magoada e ela quedou muito triste com a situação (porque a pessoa não entendeu que ela não queria ofendê-la).

No trabalho, um colega que costumava trocar vocativos atípicos comigo (era costume do local) me chamou de “safado” na frente de uma funcionária novata, e ela se espantou (a gente se tratava por “safado”). Ela reagiu bruscamente, afastando-se com a mão no peito e cara de choque, como se pensasse que ali começaria uma briga entre nós. Quando ela viu que percebemos a reação dela, e que era brincadeira nossa, todos caímos na gargalhada. Nem sempre você tem licença de ser amigo demais na frente dos outros – por mais que seja – e foi até bom que isso acontecesse para aprendermos uma lição e termos mais cuidado com os tratamentos.

Entre amigos também existem as gírias do grupo, que eu tento combater no meu linguajar e confesso ser difícil demais. Alguns amigos e amigas meus, por exemplo, se tratam por “Ei, macaco!” – isso me chocava. Hoje não me choca mais porque eu já sou um “macaco”. Mas não soa estranho para quem nunca ouviu?

Antes me diziam que eu era “formal demais”, mas com o tempo eu acho que exagerei pro outro lado, passando a chamar todo mundo de “bicho”. Só percebi isso quando orei um dia, revoltado, e desabafei com Deus usando essa terna e respeitosa fórmula de tratamento para ele. Enfim, isto é uma vergonha!

Ok, ok. Intimidade demais e mal-costume reiterado trazem consigo a necessidade de estarmos alertas a como estamos tratando as pessoas, e como estamos tratando Deus. Talvez a gente nem pense nisso muito, mas deveria.

Excessos de “intimidade” nos relacionamentos podem levar a sérias e chocantes consequências para quem está à nossa volta, que observa o nosso comportamento e espera de nós um procedimento, no mínimo, decente. E o que isso tem a ver com cristianismo? Tudo.

Postado por Avelar Jr.
Também publicado no Não, Obrigado!

terça-feira, 13 de abril de 2010

Estrela da música cristã anuncia que é lésbica


Jennifer Knapp, de 36 anos, 'sai do armário' com novo álbum.Cantora diz estar preparada para reação negativa dos fãs.

Uma estrela ascendente no cenário da música cristã está retornando à atenção pública com uma nova identidade após uma ausência misteriosa de sete anos passada em sua maior parte do outro lado do mundo.

Jennifer Knapp não apenas está lançando um novo álbum como está "saindo do armário", um termo que a cantora e compositora indicada ao Grammy considera "muito bizarro" neste momento em que ela relança sua carreira musical, com certo nervosismo.

A cantora de 36 anos, natural do Kansas e que saía com homens em sua época de faculdade, está preparada para uma reação negativa por parte de fãs religiosos que, ao longo dos anos, sempre fizeram questão de desmentir rumores sobre sua sexualidade. Por outro lado, disse ela em entrevista recente à Reuters, "ando ganhando muito mais piscadelas de garotas (nos shows) do que no passado!".

Caso inédito

Nenhuma outra cantora tão famosa quanto Knapp no gênero da música cristã é abertamente homossexual. No passado, a indústria musical cristã desaprovava os artistas que se desviavam do padrão. Rádios e lojas no varejo se apressaram a abandonar Sandi Patty e Michael English nos anos 1990, quando ambos admitiram terem tido casos extraconjugais (separados). Amy Grant também foi parar na lista negra quando se divorciou, mais tarde na mesma década. Todos foram perdoados desde então, em maior ou menor grau.

Jennifer Knapp está adotando postura preventiva. Ela gravou um álbum para o grande público e não está tentando promovê-lo especificamente junto a rádios e varejistas cristãos.

"Eu acharia uma falta de respeito dizer 'ei, isto é algo que você vai querer colocar na sua loja ao lado da estatueta de Jesus'", disse ela. "Seria falsa ingenuidade tentar convencer alguém de que precisa fazer isso".

Renascida pela segunda vez?

Mas Knapp se considera "uma pessoa de fé" e rejeita a sugestão de que esteja dando as costas à igreja, acusação que prejudicou artistas como Sam Cooke e Aretha Franklin quando eles deixaram o gospel para trás para buscar o estrelato pop.

Como artista para o grande público que quer se promover no nicho de álbuns adultos alternativos - ao lado de gente como o U2 e a também lésbica Melissa Etheridge -, foi sugerido a Knapp que, depois de "renascer em Cristo", ela tenha renascido mais uma vez.

"Talvez eu devesse ter dado esse título ao álbum", disse ela. Em vez disso, porém, ela optou por "Letting go". O álbum será lançado em 11 de maio através da distribuidora independente RED, pertencente à Sony Music.

Será seu quarto álbum, e o primeiro desde "The way I am", de 2001, que recebeu uma indicação ao Grammy de melhor álbum de rock gospel.

Desde seu álbum de estreia, "Kansas", de 1998, Knapp já vendeu cerca de 1 milhão de álbuns. Ela viajava constantemente em turnê e fez parte da turnê Lilith Fair 1999. Recebeu quatro Dove Awards, os prêmios mais importantes da música gospel.
Austrália

Mas, cada vez mais exausta e desanimada, Knapp foi viver a fantasia de muitas pessoas que trabalham demais: abandonou tudo e foi viajar pelo mundo. Ela terminou na Austrália, tornou-se cidadã desse país e agora pretende passar a maior parte de seu tempo pessoal ali.

Durante o período que passou longe dos holofotes, Knapp passou por uma espécie de crise da meia-idade precoce que a levou a reavaliar sua fé, sua sexualidade e seu trabalho. Fazer música era a última de suas preocupações.

Antes de conhecer sua namorada, nos Estados Unidos, ela foi celibatária durante dez anos. Knapp disse que isso condiz com a expectativa geral em relação aos membros não casados da comunidade evangélica.

Embora diga que ainda respeita as pessoas que se abstêm do sexo não conjugal, ela brincou: "Qualquer pessoa que tenha passado uma década celibatária tem 'perdedor completo' estampado em suas costas".
Privacidade

Sua nova identidade sexual é evidentemente um assunto muito comentado, mas Knapp não se vê como ativista na comunidade gay. Ela protege com firmeza sua privacidade e a de sua namorada, "que não quer ser famosa de nenhuma maneira".

Embora seja inevitável que os fãs estudem as canções em busca de pistas sobre sua nova vida amorosa, Knapp disse que nunca compõe canções sobre pessoas específicas. Mesmo assim, ela fala com franqueza no primeiro verso da faixa "Inside": "Sei que vão me enterrar antes de ouvirem a história inteira".

"Espero que essa contestação seja vista como humildade", ela explicou. "Se existe alguma frustração, é por tentar romper com cortesia o jugo de ter que ser algo que não consigo, dizendo com toda humildade: 'Por favor sejam gentis comigo quando descobrirem a verdade'. É tudo o que você pode fazer."

Fonte: G1

Da série - O Senhor da criação

Clique para ampliar e baixe para o seu PC

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Gangue gospel dos EUA fecha estabelecimentos de "pecadores"

Por Patrícia Campos Mello, AMARILLO (EUA) - O Estadao de S.Paulo
Via Blog do Ismael Moura

Eles ficaram conhecidos como o "Taleban do Texas". O grupo extremista cristão Repent Amarillo (Arrependa-se Amarillo) vem aterrorizando essa cidade no coração do Cinturão da Bíblia no Texas. Depois de traçar um "mapa de guerrilha espiritual" com todos os estabelecimentos "anticristãos" de Amarillo - bares gay, casas de swing e strip-tease, grupos pagãos, ciganas que leem mão, igrejas que aceitam gays, shows de heavy metal - eles foram atrás dos ímpios com cruzes de madeira, cartazes, alto-falantes, e muita intimidação. Já conseguiram fechar a casa de troca de casais Route 66 e o bar de strip-tease Crystal Pistol. E sua campanha de intimidação resultou na demissão de pelo menos dois "pecadores", denunciados pelo Repent Amarillo para seus empregadores.

O "pastor" David Grisham, que trabalha como segurança em uma fábrica de armas nucleares, é o líder do Exército de Deus Repent Amarillo. "Eu era um fornicador e adúltero", diz Grisham. "Mas agora estou expondo todos os pecadores, vamos recuperar nossa cidade para Jesus Cristo."

O grupo começou a atuar no final de 2008, época em que o presidente Barack Obama foi eleito. "Nosso país está se afastando de Deus, estamos nos transformando em uma sociedade devassa e Obama é sintoma disso", diz Grisham.

Em sua cruzada contra pecadores, David é acompanhado de Tracy Grisham, sua quarta mulher, também uma "ex-adúltera confessa", que trabalha como técnica de raio X no hospital de Amarillo. "Big" John Leinen, o terceiro da hierarquia, era de uma gangue.

O Repent Amarillo ficou famoso quando liderou uma campanha de boicote à candidata à prefeitura de Houston Annise Parker. Perderam a batalha: Annise tornou-se a primeira lésbica assumida a governar uma grande cidade americana.

Mas eles conseguiram acabar com a vida de Monica e Mac Mead, donos do clube de swing Route 66. Monica é uma avó de 47 anos, casada há 12 anos com Mac, motorista de caminhão. Ela e o marido promoviam festas de troca de casais no Route 66. Eram todos moradores de Amarillo, caminhoneiros, taxistas, professoras primárias e donas de casa de meia idade.

Russell Grisham, filho de David de 20 anos que já foi condenado por pirataria na internet, postou nomes e fotos dos participantes do clube de swing. Eles anotaram as placas dos veículos de frequentadores e começaram a ligar para o local de trabalho das pessoas e denunciá-las. "O senhor sabia que o seu funcionário participa de um grupo de troca de casais?" Dois foram despedidos.

Exposição era tudo o que os frequentadores da casa de swing não queriam nesta cidade ultraconservadora. "Aqui, todo mundo é republicano, tem armas e não se anda dois quarteirões sem ver uma igreja", diz a advogada Cristal Robinson. Em 2008, o republicano John McCain obteve quase 80% dos votos na região onde fica Amarillo, o Texas Panhandle. Aqui, uma das principais indústrias é "venda de fianças com desconto", todo mundo fuma em tudo quanto é lugar e não se vende remédio de resfriado sem receita médica, porque os ingredientes são usados para fabricar a droga meta-anfetamina.

"Amarillo é uma cidade conservadora?", perguntou o Estado ao taxista Ray Cushin. "De jeito nenhum, agora está cheio de casamento interracial, um absurdo. Um monte de mulher branca casando com negros."

Revelação. Cristal é uma das poucas pessoas da cidade a defender abertamente as vítimas do Repent Amarillo e está processando o grupo por "arruinar a empresa" de Monica e Mac. A filha de Monica ficou sabendo do "estilo de vida" da mãe após o caso aparecer no noticiário local. Ela nunca mais falou com a mãe. Monica não vê seus quatro netos há mais de seis meses. "Minha vida tornou-se muito solitária", disse Monica. Ninguém mais aluga o Route 66 para festas e ela declarou falência.

O Repent Amarillo animou-se com o fechamento do Route 66. "Era o troféu da imoralidade em Amarillo, que foi exposto e morreu", disse Grisham. No ano passado, eles conseguiram impedir a exibição da peça Bent, sobre perseguição de homossexuais na Alemanha nazista. Na véspera da estreia, ligaram para os bombeiros e denunciaram a falta de uma licença no estabelecimento.

Em novembro, depois de muitos protestos em frente ao bar de strip-tease Crystal Pistol, denunciaram irregularidade na licença do estabelecimento, que foi fechado.

A polícia não faz nada, argumentando que o Repent Amarillo está exercendo seu direito à livre expressão. "A Primeira Emenda está viva em Amarillo", diz Marcus Norris, secretário de Justiça da cidade. "Já defendi casos de Primeira Emenda, mas isso não é intimidação", diz Cristal.

Diante do impasse, alguns moradores já pensam em formar milícias para defender-se. "Todo gay de Amarillo deveria ter uma arma, para se proteger", diz Roy Rhyne, que trabalha no hospital batista, é gay e já foi assediado pelos extremistas.

sábado, 10 de abril de 2010

Ana Paula Valadão, a bota de couro de cobra e os cowboys de Jesus

"E o figurino já está lançado, o figurino da próxima gravação. Bota de cowbo...nós vamos profetizar que os cowboy são de Jesus! Prepara a calça jeans, o cinto, a fivela bem grande, o chapéu!...E o Brasil vai dançar para Jesus ali em Barretos"

Silas Malafaia e o clube de 1 milhão de almas!

CLIQUE PARA AMPLIAR

Veja a matéria na íntegra: vitóriaemcristo.org

O trovejar de Deus

O Senhor ruge de Sião e troveja de Jerusalém (Am 1.2)

Nenhuma nação está livre do julgamento do Senhor. Deus não pune apenas o povo eleito. Deus não pune apenas as nações pagãs. Deus pune umas e outras. Mas, o julgamento de Deus começa primeiro pela “casa de Deus”, isto é, pelo povo eleito ou pela igreja. E, “se começa primeiro conosco, qual será o fim daqueles que não obedecem ao evangelho de Deus?” (1 Pe 4.17).

Antes de se referir a Israel, a nação eleita, o profeta Amós se dirige às seis nações vizinhas dela: Damasco, Gaza, Tiro, Edom, Amom e Moabe. É uma referência pequena às nações não-eleitas (apenas 18 dos 146 versículos de todo o livro de Amós) e uma referência longa ao povo de Deus (sete vezes mais versículos). Os filhos legítimos (Israel) estão mais sujeitos à disciplina do que os filhos ilegítimos (os pagãos), como se vê na epístola aos Hebreus (12.8).

A conclusão a que se chega é que “se os justos recebem na terra a punição que merecem, quanto mais o ímpio e o pecador!” (Pv 11.31; 1 Pe 4.18).

Se Deus está me punindo, é boa notícia! Significa que sou filho e não bastardo!

Retirado de Refeições Diárias com os Profetas Menores (Editora Ultimato, 2004).

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Demônio da Universal diz que a Igreja Mundial é dele!

SBT prepara novo programa sobre Padres de Arapiraca com várias revelações


O programa Conexão Repórter, capitaneado pelo jornalista Roberto Cabrini no SBT, exibido no dia 11 de março de 2010 mudou a vida de Arapiraca, a denúncia de um vídeo com o Monsenhor Luiz Marques fazendo sexo com um jovem e as denúncias contra outros dois padres resultou em um escândalo sem proporção.

Depois da grande repercussão que levou o nome de Arapiraca as páginas e imagens de veículos como a CNN, Le Monde e New York Times e chegou até o Vaticano, que pediu a apuração e determinou o afastamento dos padres, ficou a certeza de que o escândalo pode ser ainda pior.

Outras pessoas além do grupo de jovens que produziu o vídeo, a visita da CPI da Pedofilia, o Inquérito Policial conduzido pelas Policia Civil, a entrada do Gecoc do Ministério Público e a realização de uma nova reportagem do Programa Conexão Repórter trarão novas revelações que ligam os casos envolvendo os padres a uma quadrilha especializada em prostituição juvenil.

os produtores do SBT estavam até a semana passada em um hotel em Maceió e o próprio Roberto Cabrini esteve em Arapiraca, Feira Grande e Penedo onde concedeu entrevista a rádio local.

O desaparecimento de uma criança em Feira Grande, explicitado em uma gravação divulgada em primeira mão pelo Cadaminuto pelo padre Edilson Duarte, ex-pároco da paróquia de Nossa Senhora do Bom Conselho foi o ponto de partida para a ligação entre o escândalo sexual e a atividade criminosa.

Uma fonte ouvida pelo Cadaminuto ligado a CPI da Pedofilia contou que dificilmente os padres envolvidos se livrem da prisão e que a divulgação destes fatos vai sim ajudar na revelação de um esquema que envolve outros setores da sociedade alagoana além da igreja.

A ida da CPI da Pedofilia daqui a quinze dias para Arapiraca coincidirá com o fim do inquérito policial e a divulgação do novo programa Conexão Repórter e o depoimento dos padres e de novas vítimas já identificadas pode ser fundamental para o desfecho deste caso.

“Não tenho dúvida que neste mato, tem muito mais cachorro” explicou o senador Magno Malta que disse a reportagem do Cadaminuto estar ciente das denúncias que envolve não só outros padres mas alguns empresários da região.


Fonte: Correio do povo

terça-feira, 6 de abril de 2010

Twitter nos tempos de adão


Pequei no Karapuça

Passando por cima das feridas



As vezes temos que “passar por cima” de nossa raiva, nosso ciúme ou nossos sentimentos de rejeição e seguir adiante. Somos tentados a ficar presos a nossas emoções negativas como se lá fosse nosso lugar. Então nos tornamos “o ofendido”, “o esquecido” ou “o rejeitado”. Sim, podemos nos vincular a essas identidades negativas e até mesmo ter um prazer mórbido com isso. Talvez seja uma boa idéia dar uma olhada nesses sentimentos obscuros e tentar descobrir de onde vêm. Mas então chega o momento de passar por eles, deixá-los para trás e seguir adiante em nossa viagem.

- Henri Nouwen, Pão para o Caminho, leitura do dia 9 de Janeiro.

sábado, 3 de abril de 2010

Upgrade de Vida

Por Avelar Jr.
Também publicado no Não, Obrigado!

Pessoal, ultimamente eu não tenho postado no blog. É que ando ocupado com muita coisa inédita que está acontecendo ao mesmo tempo, e estou meio sem tempo e inspiração para escrever.

A Páscoa, então, iria passar em branco. Mas não pude deixar de falar algo a respeito depois da matéria que vi no Jornal Nacional agorinha. A reportagem mostrava filas enormes em lojas de departamento e supermercados, aglomerações pacientes e organizadas (ou não) a fim de comprar ovos de páscoa e caixas de chocolate para a família e os amigos - filas enormes mesmo debaixo de chuva e prateleiras pilhadas!

Tirando os chocolates, ovos, coelhos e as demais traquitanas comerciais que a TV e os meios de comunicação nos empurram nessa temporada, o que sobra mesmo?

Ah, a Páscoa!

Puxa, a gente até esquece o que é mesmo, não é? Se a gente perguntar às pessoas de uma fila dessas, a queima roupa, se elas sabem o que está-se comemorando, será que elas não vão responder “É o nascimento de Cristo!” ou ficar sem resposta? Eu aposto que sim.

Nessa época há programações especiais nas igrejas, vigílias, confraternizações, pregações especiais para lembrar o significado da Páscoa... Mas, será que elas são capazes de trazer filas de pessoas, que se aglomerarão nos templos ou em reuniões cristãs, mesmo debaixo de chuva, cedo de manhã? Eu duvido.

Mas o que é a Páscoa mesmo? A páscoa é... um “upgrade do Natal”.

No Natal, comemora-se o nascimento de Jesus. Na Páscoa, comemora-se a ressurreição de Jesus (no terceiro dia de sua morte, que foi o preço que ele pagou pelos nossos pecados).

Eu fiquei super “pra baixo” vendo a histeria das pessoas por reles chocolates e o completo desinteresse pelo motivo da festa. No entanto, fiquei feliz por lembrar-me de uma frustração alheia que ocorreu na manhã da ressurreição:

Diz a Bíblia que...

“E, passado o sábado, Maria Madalena, e Maria, mãe de Tiago, e Salomé, compraram aromas para irem ungi-lo [Jesus Cristo]. E, no primeiro dia da semana, foram ao sepulcro, de manhã cedo, ao nascer do sol.” – Marcos 16.1-2

Preocupadas com como removeriam a enorme pedra que lacrava o sepulcro, elas encontraram o túmulo escancarado e vazio. E o embalsamamento e ‘perfumização’ foram totalmente por água abaixo, pois Jesus havia ressuscitado!

“...Por que buscais o vivente entre os mortos? [Jesus Cristo] Não está aqui, mas ressuscitou. Lembrai-vos como vos falou, estando ainda na Galiléia, dizendo: Convém que o Filho do homem seja entregue nas mãos de homens pecadores, e seja crucificado, e ao terceiro dia ressuscite.” – Lucas 24.5-7

Portanto, vamos limpar as lágrimas, cantar, sorrir, jogar os perfumes para cima e festejar: Jesus Cristo venceu a morte! ...Este é o fundamento da nossa fé, da nossa esperança e da nossa nova vida nele. E os chocolates podem esperar. Ou entrar para a festa. Tanto faz.

sexta-feira, 2 de abril de 2010

IBM e Motorola lançarão celular para evangélicos



Os aparelhos sairão de fábrica em formato de pequenas bíblias. Além de ringtones evangélicos, os donos desses aparelhos terão direito ao "salmo do dia", a sermões on-line, serviços especiais de mensagens, modelos exclusivos, concessão de créditos gratuitos de recarga de pré-pago e a uma agenda com a programação gospel de shows e eventos.

O produto chega ao mercado nesta semana, de acordo com proposta da Convenção Geral das Assembléias de Deus (CGADB).

O lançamento do projeto, que inicialmente será implantado em São Paulo e em seguida deverá ser estendido aos estados do Nordeste, Centro Oeste, Rio de Janeiro, Espírito Santo e Rio Grande do Sul, foi precedido de pesquisas que identificaram quais tipos de produtos e serviços atendem às necessidades dos evangélicos.

De acordo com os dados coletados, há 26 milhões de evangélicos no país e destes, 16 milhões pertencem à Assembléia de Deus.

Para atender aos interesses do consumidor evangélico, a Ericsson desenvolveu serviços customizados como a "caixa de promessas eletrônica" (serviços de mensagens temáticas via SMS e portal de voz), além da distribuição de cartões de recarga de pré-pago veiculando mensagens bíblicas.

Os produtos serão comercializados em rede de distribuição especialmente montada para atender ao público gospel.

Inicialmente, estarão disponíveis modelos de aparelhos Ericsson com funções de acesso Wap e envio e recebimento de SMS.


Fonte: O Galileo

Uma bênção além da bênção maior



Talvez ele volte atrás, arrependa-se, e ao passar deixe uma bênção (Jl 2.14)

O profeta constrói uma frase genial. Nesse sentido, Joel supera Jonas. Ambos falam sobre a possibilidade de Deus se arrepender da desgraça anunciada (Jl 2.13,14; Jn 4.3). Mas Joel vai mais longe e diz poeticamente: “Talvez Ele volte atrás, arrependa-se, e ao passar deixe uma bênção”. Uma bênção a mais, uma bênção além da bênção maior, que é o perdão!

Esse precioso acréscimo lembra a Parábola do Semeador. Enquanto o semeador passava e lançava a semente, “parte dela caiu à beira do caminho” (Mt 13.4). É como se, enquanto Deus voltava do seu arrependimento (teria ido a algum lugar para fechar a torneira já aberta de sua ira?), e, na volta, deixasse cair uma bênção do cesto cheio de misericórdia que Ele sempre carrega!

Uma só bênção? O profeta Ezequiel fala em “chuva de bênçãos” (Ez 34.26). E o apóstolo Paulo declara que Deus é bendito porque “nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nas regiões celestiais em Cristo” (Ef 1.3).

Depois da bênção maior e das bênçãos seguintes, não posso ficar de mãos abanando!

Retirado de Refeições Diárias com os Profetas Menores (Editora Ultimato, 2004).
 
Pesquisa personalizada