domingo, 15 de agosto de 2010

Em lugares altos



O Senhor, o Soberano, é a minha força; ele faz os meus pés como os do cervo; faz-me andar em lugares altos (Hc 3.19)

Entre o ouvir falar e o conhecimento próprio há muita diferença. O mero ouvir falar desperta interesse e não convicção pessoal. A rainha de Sabá ficou estupefata quando foi a Jerusalém e conheceu aquele de quem ouvia coisas incríveis. Depois de ver o que viu e de ouvir o que ouviu, a rainha foi obrigada a confessar que a verdade em torno de Salomão era maior do que a fama (1 Rs 10.1-9).

O conhecimento cada vez maior da glória de Deus satisfaz a alma e capacita-a para manter a tranqüilidade bem antes dos novos céus e da nova terra. A alma cheia de Deus compensa as árvores vazias de frutos, as lavouras vazias de grãos, os currais vazios de ovelhas e os estábulos vazios de bois. Mais ainda: de alma cheia, o profeta declama: “O Senhor, o Soberano, é a minha força; ele faz os meus pés como os do cervo; faz-me andar em lugares altos”.

O que Habacuque confessa coincide com o que Paulo diria muitos anos depois: “Tudo posso naquele que me fortalece” (Fp 4.13).

Minha força não sou eu, minha força é o Senhor, que me faz andar em lugares altos!

Retirado de Refeições Diárias com os Profetas Menores (Editora Ultimato, 2004).

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe um comentário

 
Pesquisa personalizada