quinta-feira, 8 de julho de 2010

Um só rebanho



[As nações] não compreendem o plano daquele que as ajunta como feixes para a eira (Mq 4.12)

Há muitas coisas dispersas, misturadas. Essa situação cheira a desordem, cheira a bagunça. Torna a vida confusa. O mal mistura-se com o bem, o falso com o verdadeiro, o vermelho com o verde, o amargo com o doce, as trevas com a luz, o joio com o trigo. No momento, nada está definitivamente etiquetado.

O problema é muito complexo. Mas não é eterno. A Palavra de Deus toda aponta para o restabelecimento da ordem. No entanto, as nações “não compreendem o plano daquele que as ajunta como feixes para a eira”.

O Deus que ajuntou num só lugar as águas que estavam debaixo do céu (Gn 1.9), promete ajuntar, na hora certa, tudo o que está disperso. Pode ser osso com osso no milagre da reorganização da vida (Ez 37.7), pode ser joio com joio, trigo com trigo, vermelho com vermelho etc. A maior de todas as “arrumações” de Deus será quando Ele reunir os seus eleitos dos quatro ventos, dos confins da terra para firmar “um só rebanho” (Mc 13.27; Jo 11.52).

Não posso ser precipitado. Deus a seu tempo porá ordem em tudo!

Retirado de Refeições Diárias com os Profetas Menores (Editora Ultimato, 2004).

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe um comentário

 
Pesquisa personalizada