sábado, 20 de fevereiro de 2010

Estou à venda


O jumento selvagem mantém-se livre, mas Efraim vendeu-se para os seus amantes (Os 8.9)

Efraim não foi vendido aos seus amantes. O que a Bíblia diz é que Efraim vendeu-se a eles. A diferença é enorme. No primeiro caso, estamos diante de um assassinato; no segundo, diante de um suicídio. Efraim não é vítima, mas autor de uma transação imprópria.

José foi vendido por seus próprios irmãos por 20 peças de pratas a uma caravana de ismaelitas que se dirigia ao Egito (Gn 37.25-28). Jesus foi vendido por um dos seus amigos e apóstolos aos chefes dos sacerdotes por 30 moedas de prata (Mt 26.14-16).

Os que se vendem são mais numerosos que se pensa. Muitos se sustentam ou se enriquecem graças a esse estranho comércio. A prostituta se vende, o matador profissional se vende, o mercenário se vende, a testemunha falsa se vende. É uma prática corrente entre políticos corruptos, delegados corruptos, comerciantes corruptos e assim por diante.

No caso de Efraim, isto é, do povo de Israel na pessoa do rei Menaém, ele se vendeu ao rei da Assíria por 35 toneladas de prata para manter-se no trono (2 Rs 15.19).

Por dinheiro algum, por proteção alguma, vou me vender seja a quem for!

Retirado de "Refeições Diárias com os Profetas Menores" (Editora Ultimato, 2004).

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe um comentário

 
Pesquisa personalizada