terça-feira, 12 de janeiro de 2010

A porta da esperança


Ali devolverei a ela as suas vinhas, e farei do vale de Acor uma porta de esperança (Os 2.15)

Não é possível! O vale de Acor não era de saudosa memória. Nesse lugar Acã foi apedrejado (Js 7.24-26). Na verdade, o nome certo não era vale de Acor, mas vale da Tribulação. Agora, em sua misericórdia e também em sua sabedoria, o Senhor promete fazer desse vale uma porta de esperança. Só Deus mesmo!

Ali está, perto de Jericó, uma porta de esperança. Basta enxergá-la, visualizá-la, aproximar-se dela, passar para o outro lado e impregnar-se de esperança!

Na Bíblia há outros casos de transformação de lugares sombrios em lugares saudáveis. Aqueles que encontram força em Deus, “ao passarem pelo vale de Baca [também chamado de Vale das Lágrimas], fazem dele um lugar de fontes” (Sl 84.6).

Todos que localizam as portas de esperança por aí afora têm a obrigação de mostrá-las aos outros e até mesmo de conduzi-los até onde elas estão. Jesus fixou o mandamento da retribuição: “Vocês receberam de graça; dêem também de graça” (Mt 10.8). Só assim é possível acabar com os vales da tribulação e das lágrimas!

Vou me amaldiçoar todas as vezes que eu não mostrar aos que sofrem a Porta da Esperança, que é Jesus!

Retirado de "Refeições Diárias com os Profetas Menores" (Editora Ultimato, 2004).
 

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe um comentário

 
Pesquisa personalizada