domingo, 3 de janeiro de 2010

Amor e perdão



Não mais mostrarei amor para com a nação de Israel, não a ponto de perdoá-la (Os 1.6)

Qual é a relação entre amor e perdão? O que vem primeiro, o amor ou o perdão?
Em todos os casos, o perdão só é possível por causa do amor. Quando o amor se esgota, o perdão não tem a menor chance. Se o nível do amor de Deus abaixasse, a disponibilidade do perdão também cairia. É isso que o profeta Oséias quer que a nação entenda.

Esse mecanismo é de conhecimento público por causa do versículo mais conhecido e amado da Bíblia: “Porque Deus tanto amou o mundo que deu o seu Filho Unigênito, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna” (Jo 3.16).

Deus só “arrepende-se, e não envia a desgraça” porque é “cheio de amor” (Jl 2.13; Jn 4.2). Ele é misericordioso e compassivo e muito paciente porque é cheio de amor.

Jesus jamais faria a oração “Pai, perdoa-lhes, pois não sabem o que estão fazendo” (Lc 23.34), referindo-se aos seus algozes, se não tivesse profundo amor por aquela turba que o maltratava e zombava dele.

Àquele que me amou e perdoou, devo o maior respeito e a maior devoção!

Retirado de "Refeições Diárias com os Profetas Menores" (Editora Ultimato, 2004).


0 comentários:

Postar um comentário

Deixe um comentário

 
Pesquisa personalizada