segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Marco Feliciano: "Você brincou com o homem errado...e você sabe disso garoto sonso!"



Acerca do seguinte vídeo e texto: MARCOS FELICIANO E SUA INFELICIDADE CONTRA A VERDADE!...MARCOS FELICIANO E SUA INFELICIDADE CONTRA A VERDADE!...


Realmente eu creio, sem arrogância, que algumas pessoas confiam tanto na minha discrição em relação ao montante do que sei, do que me dizem, do que fico sabendo, etc, que, em razão disso, são capazes de mentir em rede nacional de televisão, na certeza de que eu ouvirei, e, quem sabe, por não ter sido achincalhado, mas apenas feito “vítima digna da visita de um ‘grande homem de Deus’”[de fato um menino] — nada diga ou até ache que fui bem tratado...

Para mim nada tem a ver com ser bem ou maltratado... Já passei dessa faz muito tempo...

Não! O que digo tem apenas a ver com tirar as calças de um moleque e dar umas palmadas nele...

Menino sonso esse Infeliciano!...

De fato, o que o Marcos Feliciano, um jovem cruzadeiro vestido de Elvis da Assembléia de Deus, fez na televisão [...] adveio de ele achar que eu me sentiria honrado em que ele falasse sobre mim como “um ser triste a abandonado”, vivendo num exílio de infelicidade [...]; à contra-gosto... — para, então, logo depois, fazer uma declaração piedosa de que quantos irmãos são sugados e depois abandonados...

Sim, Feliano teve a infelicianidade de mentir sobre um homem que é homem; e que ele não teve ainda a chance de conhecer de verdade...

Mentiu.. Sim, tanto no que já disse no outro texto que hoje escrevi sobre o assunto, como, também, mentiu horrivelmente quanto a ter ficado calado; pois, de cara, o que ele fez foi chorar suas dores por ter sido traído pelo Jabes, que, por influencia do Silas [...], segundo ele, o odeia [...]; e, portanto, obrigou o Jabes, por ciúmes que o Silas tem do Feliciano [segundo ele], a tirar o jovem Elvis de seu culto de poder realizado na “Igreja do Jabes”... [às segundas-feiras, segundo o Feliciano]...

E prosseguiu falando de como o Silas queria pegá-lo de qualquer modo [...], de como havia “comprado uma menina do interior para declarar que tinha um caso com ele”, Feliciano; e de como ele teve que levar um “irmão da Policia” com ele [...] para uma reunião com o Jabes no escritório do Jabes; quando, depois de ser ameaçado e declarado acabado pelo Jabes, o dito irmão da Polícia pediu licença, e mostrou um dossiê contra o Jabes, acerca de muitas coisas; o que teria feito o Jabes ficar pálido e quieto...

Troca de “poder” essa [...] que teria “acalmado” o Jabes contra ele, Infeliciano...

Mas não acalmou ao Silas; que continuava tramando contra ele; embora ele, Feliciano, também tivesse suas cartas nas mangas...

Isso contado com cara de nojo, de repudio, com voz de piedade, etc...

Foi depois disso que falei, dizendo que estar nesse meio é escolher viver o anti-evangelho; e exortei-o a não perder tempo estragando e adoecendo a alma nesse covil de salteadores... E falei muito mais... E em mim ele não viu saudade de nada, mas a veemência dos libertos...

Posteriormente cheguei a dizer à minha mulher que julgava que havia sido muito veemente com ele; pois, de fato, o que vi aqui foi apenas um menino perdido no narcisismo do ministério, amando a glória das multidões mais do que a qualquer coisa; que é vaidoso do cabelo engomado ao sapato brilhoso; que tem prazer em seduzir e em se insinuar; que está longe de ser um homem sério; sendo, no máximo, um aspirante a Malafaia Meloso...

O que essa moçada vai ter que aprender é que com fariseu Jesus usava termos como hipócritas, sepulturas invisíveis, sepulcros caiados, copos lavados por fora e sujos por dentro, sepulturas cheias de corpos putrefatos, etc...

Ora, eu não tenho porque não ser discípulo de Jesus também neste aspecto...

Não sei como o Feliciano não morre de vergonha daquele secretario que anda com ele, que ouve tudo, que sabe de tudo, e, depois, tem que fazer de conta que aquela piedade de Elvis ungido [...] é verdadeira... Coitada da alma desse secretário!... Tornar-se-á cínico ao extremo...

O que o Feliciano levou aqui foi bordoada na cabeça; sem pudor; sem conversa fiada...

E foi ele quem pediu para vir [...].

Havia sido por dois ou três amigos que estão ainda no mercado gospel, e que conhecem muito bem o Feliciano, em coisas muito intimas, que eu ouvira acerca dele; sim, pois eles me falaram antes [...] lamentando o caminho de alma por ele tomado... [ ele nem sonha que seus amigos confiam mais em mim no que nele; daí o que ele me contou eu já estar sabendo ... e muito mais...].

Um tempo depois o secretário dele ligou pedindo um encontro... Lembro inclusive quem deu meu número para ele... E que “intercedeu” para que eu o recebesse...

O Marcos tem que saber que...

Quando ele visitar um homem com a minha liberdade em Jesus, ele, o Infeliciano, tem que ficar calado...

Não! Ele apanhou...; chorou; confessou; sofreu; disse querer o meu caminho de fé; me beijou com a reverencia de um filho; pediu para voltar; se foi...

Depois começo a receber e-mails de gente querendo saber o que o Feliciano tinha vindo fazer aqui...

Eu, de minha parte, nada disse; nem para os Mentores do Caminho que me perguntaram... Era uma visita do moço e ninguém tinha que ter curiosidade... Coisa normal... Recebo muita gente... De Esotéricos ao Infelicano...

Mas não... Como ele estava “inseguro” [havia a ameaça de outras denuncias sexuais aparecerem “por inspiração do Silas”], chegou em casa e tascou foto da visita dele à minha casa... Usou como quis...

Entretanto, quando o “perigo” acabou pela nova associação do Infeliciano na Assembléia de Deus [ele pensa que eu não sei em que mão ele como agora...], então, como o novo patrono não gosta também de mim, e como isso cria muitas perguntas para ele [...], não podendo negar as coisas [...], ele as maquia, as altera de leve, omite tudo, fica “calado apenas ouvindo as dores de uma alma vitimada”, etc...

Quer me visitar [...], me visite; pois, havendo tempo, recebo a todos sem exceção... Mas não tente me usar... Não! Jamais!... Seria uma burrice Infeliciana...

Afinal, ele faz aquela média usando piedosamente o meu nome, como se eu mendigasse os afagos falsos de gente viciada na Máfia e seus códigos de Fraternidade diabólica, julgando assim que eu ficaria calado, honrado por não ter sido chamado de “adúltero”, no mínimo; ou de outras coisas...

Garoto! Acorde!

Vá brincar com o nome de outro...

Amanhã mais gente ponderará o que digo agora [...] do que sobre a sua mentirinha de evangelista contada por você na Rede TV.

E mais, garoto: quando você quiser aparecer para conversar comigo, será “ao vivo” na Vem e Vê TV, pois, assim, todos verão como você chega, fica e sai...

Feliciano: Para você começa aqui o ensino acerca da diferença entre Meninos e Homens!

Em Nome de Quem não mente, e enfrentando aquele que é mentiroso e pai da mentira, e seus filhotes melosos,


Caio

29 de novembro de 2009

Lago Norte

Brasília

DF

Marco Feliciano chora em rede nacional e afirma que foi o Caio Fábio quem o convidou



Mais do mesmo...

Postamos há poucos dias aqui no Veshame (clique aqui e veja a matéria) o teor da conversa entre o Caio Fabio  e o pastor  Marco Feliciano, que aconteceu em Brasilia na ocasião de um visita.O Caio já tinha dito no seu site que o tinha recebido como recebe todas pessoas que vão a casa dele.Mas agora o Marcos Felicano afirma em rede nacional que foi o Caio que o chamou e relata no video abaixo, fatos surpreendentes e reveladores.Em seguida, confira o que diz Caio Fábio em carta escrita em seu site.


Vídeo do Marco Feliciano




Carta do Caio Fábio

From: MARCOS FELICIANO E SUA INFELICIDADE CONTRA A VERDADE!...

To: contato@caiofabio.com

Sent: Sunday, November 29, 2009 1:42 PM

Subject: Caio Fábio chora


Pastor, hoje o Marcos Feliciano colocou isso no programa da RedeTV -- http://www.youtube.com/watch?v=P41dYgKI39k
Não sei qual será a sua reação.
Sendo o silêncio ou não, que tenha a marca profética que Deus lhe deu.

Bjo em você.

Hugo

Estação Fortaleza

________________________________

Resposta:

Meu mano Hugo: Graça e Paz!

Jesus disse que quem não é contra nós é por nós...

Sei que ele tem admiração por mim... Mas sei que ele mais a glória dos homens do que a verdade dos fatos e do Evangelho!...

O que vi em relação ao que aconteceu?...

1. Que ele fez média com a pastorada; pois, Deus, ele, o secretário dele [que ligou e esteve presente o tempo todo] e eu [...]; sim, todos nós, mais os anjos e a nuvem de testemunhas, sabemos que ele pediu para falar comigo, que ele não estava aqui em Brasília [ligou antes de vir... Portanto, não “aproveitava” nada...]. Pediu, marcou e veio...

2. Ele veio [...]; ele se derramou em dores... Ele sabe o que veio me dizer... O que falou do Jabes e do Silas... O que declarou sobre as “calunias” que sofria [...] sobre “adultérios”... de que o acusavam...; sim, lembra o que disse sobre como tudo estava podre... Eu lembro de tudo e aqui não digo nada do que ouvi... Ele sabe! E mais: falou de como eu havia feito a escolha certa... E mais: ouviu de mim apenas o Evangelho; e nada além do Evangelho; sem saudades de nada; sem falta de nada; feliz com tudo; e dizendo a ele que eu esperava que um dia ele visse que estava num barco furado...

Ele veio porque estava com medo do Silas e do Jabes; e veio como quem procurava um colo no caso do bicho pegar...

Ele sabe que na minha face ele apenas diria: É Verdade!...

A história é longa...

Deus sabe!...

Foi isto o que aconteceu...

Deus sabe que desse moço eu quase nada sabia...

Conhecia o nome, mas nunca lhe vira a face e nem sabia como ou quem ele era...

Quando ele se converter mesmo [...], então contará toda a verdade; pois, do contrário, logo, logo a eternidade tirará as mascaras de tudo e de todos... Simples assim!



Nele, que foi procurado à noite por quem mesmo não sendo nascido de novo teve mais dignidade no narrar os fatos,


Caio

29 de novembro de 2009

Lago Norte

Brasília

DF








Enquanto isso, na sessão do descarrego - Campanha das águas


domingo, 29 de novembro de 2009

Padre Cícero "Gay"? Respeito se conquista com desrespeito?

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Joana Prado chora na TV por causa de Feiticeira: 'me sinto constrangida'


Em programa de Fortaleza, modelo diz que hoje tem 'coisas mais bacanas para falar' e quer mostrar sua conversão à religião evangélica



Joana Prado não ficou nada feliz ao perceber que o apresentador João Inácio Jr iria exibir imagens da Feiticeira, na "Playboy" e dançando no palco de Luciano Huck, em seu programa, que vai ao ar no Ceará. A modelo, que estava na atração acompanhada do marido Vítor Belfort, fez um apelo, com a voz embargada, para que seu passado não fosse explorado no programa.

"Me sinto constrangida quando me vejo dançando porque minha história hoje em dia é totalmente diferente", disse a loira, que hoje se converteu à religião evangélica. "O que eu quero mostrar para todo mundo é a minha mudança, a minha conversão. Se vocês pudessem me respeitar eu gostaria que vocês não mostrassem imagem de Feiticeira ou foto de Playboy porque vou me sentir mal."

Bastante emociada, Joana revelou que um de seus filhos chegou a indagá-la sobre seu passado como Feiticeira. "Tenho um passado, tenho uma história como Feticeira, mas o que quero deixar bem claro é que eu tenho mais coisas bacanas para mostrar. Tenho três filhos e não quero que a referência deles seja essa. Outro dia meu filho falou assim 'ah, mamãe, você dançava de biquíni?', mas hoje eu vivo outra história." 


Veja, em vídeo no Youtube, Joana Prado fazendo seu apelo emocionado 


 

O Evangelho Mistico




O movimento pentecostal, que hoje é o maior segmento da igreja evangélica, trouxe consigo também uma onda de misticismo. E Também não é difícil perceber isso diante das campanhas/ correntes promovidas por essas igrejas ditas pentecostais e neo-pentecostais, com seus  inúmeros objetos “consagrados”, dados aos fiéis nestas ocasiões, como: oléos, perfumes, cimento, chaves de plástico (simbolizando a casa própria), tapetes em EVA(para fazer oração ajoelhado), anéis com o nome de Jesus, água consagrada, semente de capim(que dizem ser de mostarda), areia do “Monte Sinai”, sal grosso (perai isso não é coisa de batuque?), diploma de dizimista, rosa consagrada, sabonetes, dentre outros ainda baseados em versículos da Bíblia.

E tudo isso, que por sua vez, gerou sobremaneira uma repulgnante idolatria dentro da igreja evangélica. Desta vez já não é em cima de imagens de escultura, como santos ou deuses, mas em objetos e suvenirs, ditos como “santificados” e “milagrosos”. E em alguns casos, chegam ao ponto de idolatrarem a própria figura central da denominação (pastores, bispos e missionários).

E se já não fosse o bastante, vieram também os atos excentricos e descontrolados dos pastores e fiéis, no decorrer dos cultos. O que por sua vez, são interpretados, pelos mesmos, como ações diretas do Espírito Santo. Coisas como sair gritando, correndo, dando piruetas no ar, cair paralisado no chão, ficar rindo descontroladamente, e dentre outras bizarrices sem sentido.

E tudo isso, ou melhor, todas essas modinhas evangélicas, não possuem algum fundamento bíblico, antes a própria Bíblia adverte sobre tais ideologias que pervetem o Evangelho de Cristo:


"Admiro-me de que vocês estejam abandonando tão rapidamente aquele que os chamou pela graça de Cristo, para seguirem outro evangelho que, na realidade, não é o evangelho. O que ocorre é que algumas pessoas os estão perturbando, querendo perverter o evangelho de Cristo. Mas ainda que nós ou um anjo dos céus pregue um evangelho diferente daquele que lhes pregamos, que seja amaldiçoado! Como já dissemos, agora repito: Se alguém lhes anuncia um evangelho diferente daquele que já receberam, que seja amaldiçoado!” (Gálatas 1.7-9)"

“Porque surgirão falsos cristos e falsos profetas, e farão tão grandes sinais e prodígios que, se possível fora, enganariam até os escolhidos“. (Mateus 24.24)

“Para que não sejamos mais meninos inconstantes, levados em roda por todo o vento de doutrina, pelo engano dos homens que com astúcia enganam fraudulosamente“. (Efésios 4.14)


Com a referência das palavras do apóstolo Paulo, podemos ver que mais uma vez a história se repete: lobos disfarçados de ovelhas, entram no meio da igreja distorcendo as palavras de Cristo, com o intuíto de a levar ao engano e à destruição. Por isso meus amados irmãos, leiam a Bíblia, leiam! Pois só assim você poderá discernir por si mesmo o que é, e o que não é de Deus.

“O meu povo foi destruído, porque lhe faltou o conhecimento.” (Oséias 4.6)


quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Caio Fabio revela o teor da conversa que teve com o Marco Feliciano.

Foi publicado aqui mesmo, no Veshame Gospel, a noticia da visita do “pastor” Marco Feliciano que ocorreu na residência do  Caio Fabio, em Brasília. Clique aqui e veja a matéria.  

Na ocasião, segundo Feliciano, eles discutiram sobre a igreja e os caminhos das lideranças. Assim afirmou Marco Feliciano em seu site: “No aconchego de seu lar, fui recebido como um irmão, porém nunca nos havíamos falado. “Ouvi palavras profundas, arraigadas em Cristo e carregadas de amor fraterno. Pude conhecer um pouco da alma deste pensador, e suas palavras se misturam com uma poesia incrível”, lembra.”

Observem agora no vídeo o que o Caio Fábio disse ao Marco Feliciano:




A Cruz! Um Sacrifício Incompleto.


Pode alguma coisa boa vir de Nazaré?
Você sabe quem foi o autor dessa pergunta na bíblia? Foi um jovem chamado Natanael.
Tudo o que sabemos sobre Natanael, está registrado no evangelho de João, que tem uma particularidade muito interessante, João fala de homens simples, outros, com problemas e incertezas que se identificam muito com as pessoas de hoje em dia, como por exemplo a história de Nicodemos, parece que João se importou um pouco mais do que os outros escritores em detalhar histórias de pessoas inseguras e cheias de dúvidas, veja por exemplo Natanael, um homem que se comportou de uma maneira incrédula e preconceituosa ao ouvir falar de Jesus.

O texto de hoje está em João c.1 v. 45 e 46

45. Filipe achou Natanael, e disse-lhe: Havemos achado aquele de quem Moisés escreveu na lei, e os profetas: Jesus de Nazaré, filho de José.

46. Disse-lhe Natanael: Pode vir alguma coisa boa de Nazaré? Disse-lhe Filipe: Vem, e vê.

Foi Filipe que anunciou a Natanael que haviam encontrado uma pessoa que trazia todos os indícios de ser o messias prometido do velho testamento, e certamente depois de Filipe detalhar esse achado, Natanael deve ter se interessado pelo assunto, mas ao escutar que esse jovem era Nazareno!(…) penso que acabou os ânimos de Natanael, – Ele mora em Nazaré? Há! pare com isso Filipe, daquela vila pobre de estrada empoeirada? Fala uma coisa pra mim Filipe, você acredita mesmo nisso? pode alguma coisa boa vir dessa miserável vila?

Sabe querido amigo, não é a primeira vez que alguém se engana a respeito de Jesus, eu não sei que idéia você tem da aparência que ele tinha, mas a verdade é que a bíblia nos informa que era uma pessoa aparentemente muito simples, Isaías nos diz que Ele era sem parecer nem formosura, ou seja, em outras palavras, Jesus era um homem comum e permita-me afirmar que era feio, ou como alguns preferem dizer, não apresentava beleza, logo entendo, feio mesmo. Sua aparência era de um tipo qualquer no meio da multidão, desculpe-me se destruí a idéia que você trazia em sua mente, quem sabe desde os tempos de sua infância, talvez você imagine um jovem loiro, cabelos cacheados, olhos verdes, com um olhar de galã da novela das oito, ou quem sabe você acredita nas imagens de filmes de Hollywood, que retratam um galã ainda mais bonito que o da novela.

Devo dizer que assim como Natanael você também está enganado a respeito de Jesus.
Errou Natanael ao achar que Jesus não poderia vir daquela pequena vila chamada Nazaré, errado também estava Filipe ao afirmar que ele vinha de lá, na verdade, aqui está o grande segredo para quem quer conhecê-lo de verdade, Jesus é o verbo, Ele é o início e o fim, Ele sempre existiu, Ele esta acima da história, acima do tempo, Jesus é o Deus sempre Eterno, que um dia fez o projeto de descer até Filipe, Natanael, eu e você! e se revelar a todos nós.

Mas o maior equívoco que fazemos sobre Jesus, não é a respeito de como era a sua aparência humana, ou se a vila Nazaré era capaz de oferecer um Rei que todos esperavam, na verdade continuamos a cometer erros e enganos a respeito de Jesus e talvez isso explique a diversidade de grupos que se propõem a segui-lo, e ao mesmo tempo são tão diferentes entre suas doutrinas e interpretações, no entanto cada um não abre mão de dizer que sua pregação é a verdadeira, e você sabe o porque disso?

Porque ao aceitarem Jesus, acabam não entendendo o real significado do sacrifício feito na cruz para nos resgatar do pecado e tornar possível nossa entrada no céu. Em outras palavras, dizem:
-Jesus, eu te aceito, quero segui-lo, quero a tua salvação, mas tenho uma condição;
Além de obedecer teus mandamentos, vou também fazer o meu próprio sacrifício para completar o seu, acho que sua morte não foi o suficiente pra me salvar, então não trabalharei no sábado como sacrifício extra , ou não cortarei meu cabelo, ou melhor Jesus, na minha igreja colocarei regras para vestimentas femininas, proibirei televisão, enfim, qualquer coisa que eu possa fazer como o meu pequeno sacrifício pra ajudar o teu.

E assim se criam pseudo evangelhos!(…) e pensam que conhecem Jesus.

Somos salvos não pelo que fazemos, mas pelo que Jesus fez por nós na cruz, e isso inclui claro, sermos santos, como Ele mesmo é.

Em Cristo;






Charge do Veshame - Igreja Universal


quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Oscar Filho do CQC, causa polêmica ao afirmar em seu twitter que Jesus foi um masoquista




O humorista do CQC, Oscar Filho, causou uma grande polêmica ao comentar no seu profile do twitter que a crucificação foi uma farsa e que Jesus foi um masoquista.

Oscar, que se diz ateu, é um dos famosos brasileiros mais seguidos no twitter. Seus seguidores chegam a 259 mil pessoas. Mas depois de seu comentário, o humorista foi criticado pelos seus seguidores cristãos que prometeram deixar de segui-lo e incentivar aos outros a fazerem o mesmo.

Alguns cristãos até escreveram ao humorista, “desejo com todas minhas forças que Ele faça de sua vida uma piada tão ruim quanto essas que vc está fazendo agora!”, disse indignada Dayane Leite em seu perfil no Twitter. “Perdeu um seguidor, fazer piada com Jesus é muito desrespeito com os Cristãos! Tenha sua opinião, mas guarde para vc! Lamentável”, disse Rômulo Dias que ainda completou: “Ñ sigam o @OscarFilho ele faz piadas com Jesus. E ainda quer respeito! Lamentável atitudes como essa, se ñ acredita, respeite quem acredita!”.

Oscar Filho não chegou a pedir desculpas abertamente, pelo contrário nas mensagens seguintes ironizou as pessoas que que não apoiaram o que ele publicou: “Opa, desculpem pelo último post. Ao invés de dizer “história” eu quis dizer “estória”!”, “Ah, eram outras desculpas? Então lá vai: desculpa fazer piada com um cara que eu não acredito que existiu. Pra mim é folclore”, ”Galera, desculpem mesmo eu ter dito que não acredito em Jesus. Agora eu acredito. Acabei de receber um power point que ele mesmo enviou.” e finalizou dizendo: “Dizem que Jesus ensinou o amor, não é o que eu estou recebendo agora. Aprenderam direitinho, né? O problema são os seguidores dele.”

Chamar Jesus de masoquista é desprezar o sacrifício que foi feito por amor e não por auto satisfação, não foi prazeroso pra Jesus estar naquela cruz, acredite. Oscar, sinceramente creio que sua esfera de atuação é o humor e isso você faz bem, mas deixe os assuntos que dizem respeito a fé cristã para quem vive cristianismo e por favor, não zombe de nossa fé, você não sabe do que está falando e o que está trazendo sobre si professando tais palavras.

OBS: Se os cristãos te feriram, não culpe Cristo por isso, homens falham, Deus jamais. Pare de nos ofender, se tiver algo pra falar pra algum cristão, diga-lhe na cara e não subliminarmente, sinceramente, você pode mais que isso que fez… Diz o Pastor Márcio de Souza

Enquanto isso, na sessão do descarrego...


terça-feira, 24 de novembro de 2009

Bons tempos que não voltam, mas nunca serão esquecidos! (4)

Vencedores por Cristo - Louvor I - Mente e Coração (1975)


domingo, 22 de novembro de 2009

1 ANO DO VESHAME GOSPEL !




Hoje, dia 22/11/2009, o nosso blog completa exatamente um ano de existência.Tudo começou despretensioso (e continua sem pretensões..rsrsrs) e 564 artigos depois,percebo o quanto vale a experiência de adquirir e dividir conhecimento através deste canal. Qual é o retorno financeiro disso? Nenhum! Qual é o retorno pessoal? Os inúmeros comentários e emails de leitores e amigos. Quais as experiências adquiridas durante este ano? Incalculável!

O 'veSHAME Gospel' é um blog sem quaisquer pretensões que não a de advertir, seus leitores, contra aqueles que mercadejam o Evangelho do nosso Senhor Jesus Cristo.

Por um erro de cálculo, o veSHAME ultrapassou a barreira da "banalidade" doméstica e se infiltrou por atalhos que acabaram lhe imprimindo estilo próprio -- meio que inconsciente, é verdade.

Com o passar do tempo, surgiram retrancas (ou seções, como queiram) específicas como: “A moda gospel que vem por aí”, "  Ah o passado esse troço que ninguém apaga  “, “Ainda tem gente de Deus”, “charge do Veshame”, “Bons tempos que não voltam, mas que nunca serão esquecidos!” , “ Delas  é o reino de Deus”, "  E assim caminha a humanidade  “ “Enquanto isso na sessão do descarrego”,  "Vamos pensar um pouco ”, “O Senhor da Criação” e outras mais.

Nas seções que inconscientemente surgiram nessa curtíssima trajetória de 1 ano (acima citadas), bem como na “brincadeira” de ironizar fotos e imagens capturadas aqui e ali, exibindo um jeito leve e diferenciado de ver as coisas (as legendas), percebe-se que o mandamento precípuo do Veshame  é divertir e entreter. Primeiro, a seu mentor (rsrsrs) e, conseqüentemente, a quem pensa e sente parecido, levando sempre a sério a proposta da denúncia, aqui já citado.  Suspeitamos que é exatamente por isso que você vem aqui, fuçar novidades e matar o seu tempinho ocioso. Obrigado por estar sempre conosco! Comemore com a gente esse dia!

-- Seja sempre bem-vindo, ora pois!



Para vocês queridos leitores, deixo essa pequena reflexão...


O Tempo passa para todos!

Barbie completou 50 anos 



Piu Piu completou 60 anos essa semana



Superman



 Thor


 Hulk


Mulher Maravilha



 Spiderman




Batman e Robin




"A vida é curta, "quebre regras",perdoe rapidamente,beije lentamente, ame de verdade,  ria , aproveite bem a vida,nao deixe algo de bom na sua vida passar em branco, faça acontecer, e nunca pare de sorrir, por mais estranho que seja o motivo."


sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Monólogo da Mulher Adúltera



Nota do blog - Foi um dos textos mais bonitos que já publiquei no Veshame Gospel. 

(Quero deixar bem claro que este é um exercício de FICÇÃO. É uma suposição de como o fato pode ter acontecido. Não é nenhuma "revelação" extrabíblica, mas apenas as suposições e a fantasia de um simples escritor)

Desde pequena eu sabia o que era certo.

Meu pai, um dos principais da sinagoga, fazia questão de nos ensinar toda a Torá desde pequeninos. Na verdade, ele ensinava somente aos meus irmãos, mas eu me aventurava em ouvir os ensinos, escondida atrás da porta. Achava fascinante, e ao mesmo tempo pesado... eram tantas leis, tantos mandamentos...

Será que algum homem seria capaz de cumpri-los todos? Sinceramente, achava impossível... e me calava.

A esperança brilhava nos meus olhos quando o ouvia falando do tal messias, o que viria para salvar o seu povo. Como deveria ser? Será que o tal messias me olharia um dia nos olhos? Ou será que estava condenada a viver minha vida toda atrás das portas... escondida dos homens?

O tempo passou. Cresci, e ainda em minha adolescência fui obrigada a casar com um homem a quem não amava. Era o costume, e assim foi... Eu era cuidada por ele como um objeto precioso, havia respeito, mas não amor, amor que eu tanto procurava. Os amigos de meu pai me consideravam uma jovem muito bonita e faziam questão de externarem suas opiniões. Eu gostava. Não ouvia tais elogios de meu marido.

Fui me acostumando àqueles elogios. Na verdade alguns eram até ousados demais, e me deixavam sem graça, pois percebia suas intenções, podres intenções. Eram homens casados também, oficiais na sinagoga, alguns anciãos, outros mais jovens, mas queriam que eu os servisse, nem que fosse por uma noite apenas.

Aquela situação me causava muito desconforto. Sentia raiva,e  até mesmo nojo daqueles homens... exceto um, que me chamava a atenção. Era casado também, mas parecia me querer bem... fui seduzida!

Nunca imaginara trair meu marido, mas naquela madrugada, antes do nascer do sol me entreguei àquele homem. Nem de longe imaginava o que ainda estava por acontecer.

Os outros homens, amigos do meu pai, haviam percebido o meu envolvimento, e seguiram-nos até nos pegarem em pleno ato de adultério. Meu dia estava apenas começando. Quanta vergonha!!!

Pegaram-me, nua, e carregaram-me para o Templo, onde um homem de Nazaré ensinava naquela manhã que nascia. Havia uma multidão para ouvi-lo. A vergonha era maior ainda. Muitos me conheciam... muitos conheciam meu pai...  muitos conheciam meu marido.

Tive medo!

Fui jogada no meio da multidão, que se acotovelava para ouvir o tal profeta Galileu. Achei estranho perceber que estava só. Apesar de eu e meu então amante sermos pegos juntos no ato de adultério, apenas eu fui levada como adúltera... ele não!

Olhei então e vi aqueles homens que antes me assediavam, perguntando àquele Rabi: “mestre, esta mulher foi surpreendida em adultério. Na lei, Moisés nos ordena apedrejar tais mulheres. Tu, porém, o que dizes?”

Eu olhava aquela cena e meu nojo aumentava. Os homens que queriam apedrejar-me eram os mesmos que viviam se insinuando para mim. Quanta hipocrisia. Quanto ódio tive da religião!

O tal Rabi galileu permanecia calado.

De repente, inclinou-se e começou a escrever na terra com seu próprio dedo. Eu não acreditava no que meus olhos começavam a ler.

Aquele homem começou escrevendo o meu nome, e abaixo do meu nome começou a enumerar os meus pecados. TODOS os meus pecados!

Eu queria a morte naquele momento. Que as pedras viessem logo. Não suportaria tanta vergonha.

Num ímpeto, o Rabi levantou-se e disse àqueles homens, meus censores, prontos a colocar sob um monturo de pedras mais uma adúltera: “quem dentre vós que não tem pecado, seja o primeiro a lhe atirar uma pedra!” ... E voltou a escrever meus erros na terra.

Algo muito estranho começou a acontecer: a começar dos mais velhos, um por um, forma largando as pedras em seus pés, virando as costas, e indo embora.

Ficamos só eu e o tal profeta.

Eu tremia!

Ele calmamente levantou-se e veio em minhas direção. Percebi algo no seu olhar. Era diferente. Ele não me desejava. Vi amor no seu olhar. Nunca antes alguém havia me olhado assim. Enquanto caminhava em minhas direção, não tive como não perceber que suas pegadas firmes e constantes, pisavam e apagavam a minha enorme lista de pecados. Lembrei-me de um texto que sempre ouvia meu pai ensinar aos meus irmãos: “pelas suas pisaduras fomos sarados”.

Seria esse Rabi, diante de mim, o messias esperado? Bem que eu já havia ouvido rumores a respeito disso.

Ele aproximou-se de mim, e tirando a sua capa, cobriu a minha nudez. Perguntou-me com uma voz inconfundivelmente firme e amorosa: “Mulher, onde estão eles? Ninguém te condenou?”

Minha voz trêmula conseguiu balbuciar: “Ninguém, Senhor!”

Ele então, segurando em minhas mãos e erguendo-me do chão, olhou nos meus olhos e disse: “Nem eu te condeno. Vai, e de agora em diante não peques mais.”

Meus olhos marejados ainda puderam ver aquele homem se afastando e voltando a ensinar o povo. Eu estava verdadeiramente diante do messias!

Olhei para o chão e lá estavam todos os meus pecados apagados pela sola dos pés daquele rabi. Só uma coisa não havia sido pisado: o meu nome! Ele estava intacto, escrito pelas mãos do próprio salvador. Lembrei-me então de um outro texto sempre recitado pelo meu pai, acerca do messias: “Ele não esmagará a cana quebrada, nem apagará o pavio que ainda fumega...”

Fui para casa... mas sabia que daquele dia em diante nunca mais seria a mesma. Nunca esquecerei de seu olhar, sua voz, e seu amor: “Nem eu te condeno!”

Prossigo em meu caminho, às vezes tropeçando, mas sempre com sua fala graciosa ecoando em mim: “Vai, e de agora em diante... não peques mais!”


Autor: José Barbosa Junior

Charge do Veshame - Lavagem de dinheiro


Fonte: Jasiel Botelho

Equilíbrio



Equilíbrio é uma das maiores dificuldades na vida. Para o cristão não é diferente. É tão fácil perder o equilíbrio em ir de um extremo a outro. Fugir do legalismo e cair na libertinagem. Rejeitar a obsessão com demônios e guerra espiritual e passar a não acreditar mais em sua realidade. Se enveredar por evangelho de ação e engajamento social e esquecer-se que boas obras não salvam, é preciso proclamação também. Buscar uma práxis correta sem dar valor à doutrina correta… E por aí vai. Tudo isso conduz ao que John Stott chamou de uma das grandes tragédias da cristandade contemporânea.
O Espírito de Deus é um espírito de equilíbrio. Buscar equilíbrio é procurar viver na plenitude do Espírito.

Série de reflexões de setembro/outubro no
Projeto 242

domingo, 15 de novembro de 2009

A igreja que pode tudo


Inclusiva de portas abertas para os homossexuais



É possível deixar de ser homossexual como se desliga um botãozinho? A nova Igreja Inclusiva do Recife entende que não. E ela abre as portas para gays e lésbicas que sentem vontade de seguir a Cristo, mas enfrentam barreiras em outros templos religiosos, sejam católicos ou evangélicos.

Segundo Timóteo Reinaux, as "deformações" de caráter vão sendo modificadas aos poucos, por Deus, e não por nós. Foto: Alcione Ferreira/DP D.A Press
O alvo prioritário é a minoria que se afastou do convívio com Deus ao ser vista com preconceito por outras religiões. A maior diferença da Inclusiva e de outras cristãs tradicionais é que ela não defende a "cura espiritual" para quem gosta de alguém do mesmo sexo e aceita todos os públicos. Ao contrário do que se pode imaginar, a doutrina não é permissiva a tudo. Para entender o que ela prega, é preciso ir além das palavras grafadas na Bíblia atual e se permitir a novas interpretações sobre o contexto histórico no qual os textos foram escritos há mais de três mil anos.

A Igreja Inclusiva no Brasil nasceu em São Paulo, há cerca de cinco anos, mas ainda é nova no Recife. Ela ainda não possui sedes tradicionais e está dividida em duas denominações: a Comunidade Cristã Nova Esperança (CCNE) e a Progressista. Seus integrantes ainda se reúnem em casas ou realizam cultos em lugares mais discretos, como o laguinho da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). O objetivo prioritário é resgatar aqueles que abandonaram as igrejas tradicionais e passaram a ter uma vida descompromissada com os ensinamentos de Cristo.

Sim, eles estão abertos a qualquer um que esteja disposto a buscar uma mudança de vida, como abandonar a bebida em excesso, as drogas, o sexo promíscuo, o adultério, entre tantos outros. "As deformações de caráter vão sendo modificadas aos poucos, por Deus, e não por nós", afirmou Timóteo Reinaux, obreiro da CCNE. Ele morava em São Paulo, onde frequentava um templo da mesma denominação. Chegou ao Recife neste ano para abrir uma célula.Para ser membro de ambas as denonimações, é preciso professar a fé em Cristo, participar do estudo da Bíblia e dos cultos. E só então ser batizado nas águas. Depois de cumprir todas as etapas, pelo menos por um dos cônjugues, é permitido o "casamento", ou bênção matrimonial para casais do mesmo sexo. À essa altura, o leitor pode estar se perguntando, com base no que ouviu de geração em geração: "mas a homossexualidade não é pecado?" Para as Igrejas Católicas e Evangélicas do Brasil, a resposta é sim. Sentir prazer sexual com alguém do mesmo sexo é visto como "abominação" (toebah). Mas a Igreja Inclusiva Cristã entra nesse debate de forma diferente.

Uma das polêmicas mais conhecidas está no Antigo Testamento, no livro de Levítico, capítulo 18;22 cujo texto é duro contra a homossexualidade. "Com homem não te deitarás, como se fosse mulher; abominação é", diz o versículo 22. Segundo o sociólogo e pastor Bruno Lima, o primeiro a coordenar a sede regional da CCNE, no Rio Grande do Norte, o mesmo Levítico traz orientações que não são seguidas pela sociedade, porque proíbe a ingestão de moluscos e porco, por exemplo, além do corte de cabelo e da barba. Ele frisou, contudo, que nada disso mais é defendido nos cultos, exceto o versículo 22. Ainda assim, de forma equivocada.

De acordo com Bruno Lima, a frase exemplifica um conjunto de rituais que condicionava as atividades sacerdotais dos levitas, homens que tinham a tarefa de cuidar do templo. A palavra "toebah" significa sacrilégio e, em outros momentos, é usada no sentido de ritual. "Os capítulos 17 a 26 faziam parte de um documento denominado código de santidade, que tentava condenar práticas comuns entre os cananitas, povo que adorava o deus moloque e a ele prestava rituais de idolatria", afirmou, acrescentando que, na época, era muito comum a realização de sexo entre homens cananitas durante culto a deuses estranhos. Por isso, de acordo com Bruno Lima, precisava ser tão ressaltado para que os levitas não fizessem o mesmo. "O que Deus proibia era o sexo promíscuo e feito em rituais", frisou. 



Doutrina ainda pouco conhecida

Formada por um público jovem, a Inclusiva ficou mais conhecida no Recife após o "sim" mais polêmico do ano, quando os arquitetos Turíbio e Zezinho Santos oficializaram a união, em setembro passado, e receberam uma bênção religiosa na Coudelaria Souza Leão, na Várzea. Mas a doutrina ainda é pouco conhecida. Embora a Comunidade Cristã Nova Esperança (CCNE) exista desde 2002 em São Paulo, ela só se transformou em "célula" na capital a partir deste ano. O que seria uma célula, então? Segundo o obreiro Timóteo Reinaux, é uma reunião frequente de pessoas, mas ainda sem número suficiente para manter a estrutura de uma sede.

Reinaux conta que o grupo da CCNE no Recife se reúne há quase seis meses na Rua Elpídio Monteiro, nº 18, na Imbiribeira, Zona Sul da capital, e pode ser localizado no Orkut ou pelo e-mail ccnerecife@hotmail.com. Os integrantes se encontram de 15 em 15 dias, realizam cultos, estudam a teologia inclusiva e a Bíblia. Segundo ele, a Inclusiva segue uma doutrina semelhante a de igrejas evangélicas mais abertas, com a diferença que não prega "cura espiritual", nem qualquer tipo de terapia para o público-alvo.

De acordo com o obreiro, as pessoas precisam entender que a homossexualidade não é uma opção e sim uma característica, como a própria cor da pele e dos olhos. "Não se sabe qual a origem, se social ou genética, mas não podemos mudar essa orientação. Muitas pessoas passam por essas terapias, oram, jejuam. E não deixam de sentir atração pelo mesmo sexo, sentem-se culpadas e vivem infelizes a vida inteira", acrescentou.

Para entrar na Igreja Progressistas de Cristo, que também não tem sede, a seleção é mais rigorosa. O contato só é possível no site http://www.todosdejesus.fr.gd/. Nesse ambiente virtual, a pessoa interessada manda um e-mail e recebe uma resposta direta do pastor Kleyton Pessoa. Segundo ele, os encontros acontecem há mais de um ano. Seus integrantes são mais discretos, porque alguns ainda estão ligados a igrejas tradicionais. "Procuramos não expor nosso público".

De Natal, o pastor BrunoLima cita um versículo bíblico ao ser questionado porque a igreja só veio surgir recentemente. "A Bíblia nos fala que há tempo para tudo. A humanidade não está esquecida por Deus. Pois, no tempo certo, os negros e as mulheres foram libertos e assumiram a devida importância na sociedade", declarou. 



Fonte: Diario de Pernambuco

sábado, 14 de novembro de 2009

Deus não é cachaça!



Certa vez, vi um pastor proferir a seguinte “pérola” de interpretação das Escrituras:


"Ordem e decência para você é o quê? Tradicionalismo? Acho que o dia de Pentecostes pra você deve ter sido uma verdadeira desordem e indecência, não é? Imagine um monte de crentes cambaleando como bêbados, falando em outras línguas, como você me explica isso?”


Eu fiquei imaginando como alguém que se intitula pastor e tem a responsabilidade de cuidar bem do rebanho do Senhor, alimentando-o com a palavra de Deus, poderia fazer uma interpretação tão distorcida do Ministério do Espírito Santo em nossas vidas para justificar desordens na igreja.


A idéia que ele passou foi a de que estar cheio do Espírito Santo é como estar embriagado, cambaleando, descoordenado, caindo, dando a impressão para as pessoas de que não estamos muito conscientes do mundo à nossa volta ou de que estamos sem controle. Obviamente, ele aludiu à seguinte passagem de Atos dos Apóstolos:


"Chegando o dia de Pentecoste, estavam todos reunidos num só lugar. De repente veio do céu um som, como de um vento muito forte, e encheu toda a casa na qual estavam assentados. E viram o que parecia línguas de fogo, que se separaram e pousaram sobre cada um deles. Todos ficaram cheios do Espírito Santo e começaram a falar noutras línguas, conforme o Espírito os capacitava.

"Havia em Jerusalém judeus, tementes a Deus, vindos de todas as nações do mundo. Ouvindo-se o som, ajuntou-se uma multidão que ficou perplexa, pois cada um os ouvia falar em sua própria língua. Atônitos e maravilhados, eles perguntavam: “Acaso não são galileus todos estes homens que estão falando? Então, como os ouvimos, cada um de nós, em nossa própria língua materna? Partos, medos e elamitas; habitantes da Mesopotâmia, Judéia e Capadócia, do Ponto e da província da Ásia, Frígia e Panfília, Egito e das partes da Líbia próximas a Cirene; visitantes vindos de Roma, tanto judeus como convertidos ao judaísmo; cretenses e árabes. Nós os ouvimos declarar as maravilhas de Deus em nossa própria língua!” Atônitos e perplexos, todos perguntavam uns aos outros: “Que significa isto?”

"Alguns, todavia, zombavam deles e diziam: “Eles beberam vinho demais”. (Atos 2. 1-13)



Se você prestar atenção no primeiro capítulo de Atos, a promessa de Jesus era bastante clara: “Não saiam de Jerusalém, mas esperem pela promessa de meu Pai, da qual lhes falei. Pois João batizou com água, mas dentro de poucos dias vocês serão batizados com o Espírito Santo” e “receberão poder quando o Espírito Santo descer sobre vocês, e serão minhas testemunhas em Jerusalém, em toda a Judéia e Samaria, e até os confins da terra”. Ou seja, o Espírito Santo nos capacita a sermos testemunhas de Jesus Cristo num mundo que carece do Salvador e que precisa ouvir a respeito dele. (At 1.4-5, 8)



A interpretação de que estar cheio do Espírito é “parecer um ébrio” não se justifica. Jesus – ninguém mais cheio do Espírito Santo que ele para que possamos tomá-lo como exemplo – é prova disso. Ele anunciava a palavra de Deus com coragem. Ele não dava a impressão de não ter autocontrole e discernimento, a não ser para aquelas pessoas que não criam na mensagem dele, que tinham inveja dele e que consideravam suas palavras loucura ou blasfêmias.


O que houve na ocasião da descida do Espírito Santo foi que os discípulos estavam anunciando o evangelho com autoridade, poder e grande alegria. Eles certamente falaram da obra vitoriosa de Cristo. A ousadia e o entusiasmo dos Apóstolos levaram alguns zombadores, que não estavam nem aí para a mensagem, a pensar que eles haviam bebido – mas isso para aqueles que estavam zombando do incidente, porque não compreendiam a alegria e o destemor dos irmãos em anunciar as boas novas, e não estavam dispostos a escutar o que se lhes anunciava. Os discípulos não estavam cambaleando, tentando parecer bêbados ou querendo ser reconhecidos como tais. E também não estavam lá fazendo desordens.


O fato dos novos idiomas falados pelos discípulos foi um presente de Deus à igreja que começava ali, para que a mensagem do evangelho chegasse aos judeus de toda parte, que se encontravam em Jerusalém, naqueles dias, comemorando a festa de Pentecostes. Razão porque os irmãos demonstravam intrepidez, regozijo e obediência em testemunhar de Jesus, manifestando o fruto do Espírito (At 13.52; Gl 5.22-24).


Interessante vermos ainda este texto, que nos esclarece perfeitamente como é estar cheio do Espírito em comparação com pessoas que estão embriagadas:


"Tenham cuidado com a maneira como vocês vivem; que não seja como insensatos, mas como sábios, aproveitando ao máximo cada oportunidade, porque os dias são maus. Portanto, não sejam insensatos, mas procurem compreender qual é a vontade do Senhor. Não se embriaguem com vinho, que leva à libertinagem, mas deixem-se encher pelo Espírito, falando entre si com salmos, hinos e cânticos espirituais, cantando e louvando de coração ao Senhor, dando graças constantemente a Deus Pai por todas as coisas, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo." (Efésios 5.15-20)



Isso não me parece o tipo de coisa que, quando faz, os outros vão pensar que você está bêbado. O texto exorta para não ser insensato e para saber como viver como cristão, coisa que um ébrio, que vive em libertinagem, não pode fazer.


O problema está quando você abandona a reverência e o temor de Deus e vive a fazer espetáculos “espontâneos” que escandalizam os irmãos e os visitantes, como se estes fossem legítimas manifestações do estar cheio do Espírito Santo.


Se isso não bastou para mostrar-lhe como é estar cheio do Espírito Santo, que tal ver o exemplo de vida destas pessoas, que anunciavam o evangelho corajosamente e glorificavam a Deus alegremente: Paulo, Pedro, João, Estevão, João Batista, Barnabé, Zacarias (pai de João Batista), Isabel...


E veja, também, Efésios 3.14-19:


"Por essa razão, ajoelho-me diante do Pai, do qual recebe o nome toda a família nos céus e na terra. Oro para que, com as suas gloriosas riquezas, ele os fortaleça no íntimo do seu ser com poder, por meio do seu Espírito, para que Cristo habite no coração de vocês mediante a fé; e oro para que, estando arraigados e alicerçados em amor, vocês possam, juntamente com todos os santos, compreender a largura, o comprimento, a altura e a profundidade, e conhecer o amor de Cristo que excede todo conhecimento, para que vocês sejam cheios de toda a plenitude de Deus."

Agora faça uma reflexão e responda para você mesmo:


1. Sua igreja é cheia do Espírito Santo dessa forma ou da forma desordenada que algumas igrejas têm apregoado, onde alguns imitam animais, quebram objetos, rodam até cair no chão e desprezam quem não faz o mesmo?

2. O que você acha que a Bíblia realmente ensina sobre estar cheio do Espírito Santo, depois de ver estes textos e ler sobre o comportamento dos primeiros cristãos em Atos?

3. O que as pessoas que estão à sua volta têm manifestado como fruto, de acordo com os frutos descritos em Gálatas 5.16-26?

Citações bíblicas: Nova Versão Internacional, da Sociedade Bíblica Internacional.

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Igreja Côco da Capsulana

1 ano de Veshame gospel - Participe do concurso e ganhe um brinde surpresa


 
“De graça até injeção na testa“! Tire o saco da cabeça e venha comemorar conosco!

Confira as regras clicando aqui

Charge do Veshame - Roupa de batismo


Fonte: Charges protestantes

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Depois da menina pastora,apresento o mais novo pregador mirim, Daniel Pentecoste



Esse é mais um dos "pregadores mirins". Seu nome é Daniel Pentecoste e essa é uma de suas "pregações" em um congresso em Piraquara Paraná por ocasião da gravação de seu primeiro DVD. Eu particulamente discordo  dessa mania perversa de treinar crianças pregadoras, pois tal atitude não apenas traumatiza as crianças, mas prejudica a própria igreja ao fazer uma criança assumir a maior responsabilidade de todas no culto evangélico: expor a Palavra de Deus. É uma banalização horripilante!  

Assista o vídeo e tire suas próprias conclusões. Reparem na ' pregação" os inúmeros chavões  pronunciados repetidamente. 





O garoto tem até site: Clique aqui






Calma e tranqüilidade



Senhor, o meu coração não é orgulhoso e os meus olhos não são arrogantes. Não me envolvo com coisas grandiosas nem maravilhosas demais para mim. (Sl 131.1.)

Por que nunca estamos satisfeitos? Por que estamos sempre correndo de um lado para outro? Por que estamos sempre agitados?

Uma das principais razões é porque estamos sempre à procura de “coisas grandiosas e maravilhosas demais” para nós (Sl 131.1). Ou atrás de coisas grandes e extraordinárias que estão fora do nosso alcance, ou por causa do desejo incontido de nos fazermos de entendidos em coisas muito difíceis e grandiosas, como registram outras versões das Escrituras.

O salmista pôs um ponto final nessa ambição desmedida: “Acalmei e tranqüilizei a minha alma” (Sl 131.2).

Depois de ter investido contra ele mesmo, contra as suas ambições pessoais, contra o seu temperamento, o poeta pode declarar: “Senhor, o meu coração não é orgulhoso, e os meus olhos não são arrogantes” (Sl 131.1). Ele está descrevendo uma experiência pessoal do tipo “eu era mas não sou mais”.

É preciso descobrir o que Deus quer de nós e respeitar os limites impostos por Ele. Ninguém tem todos os dons, que Deus distribui a seu bel-prazer (Rm 12.6-8).
Precisamos aprender a lidar com o sucesso, para que ele, depois de nos embriagar, não nos jogue nas sarjetas da vida (Pv 16.18). Quando o orgulho toma conta de nós, o desejo pecaminoso de competição toma o lugar do desejo saudável de servir a Deus da melhor maneira possível!


Retirado de “Refeições Diárias com o Sabor dos Salmos” (Editora Ultimato, 2006).

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

A morte do púlpito



A igreja evangélica brasileira vive uma tragédia: a morte do púlpito. Nunca na história do protestantismo houve tanto desprezo pela pregação cristocêntrica, preparada com esmero e preocupada com a correta interpretação das Escrituras. O púlpito tem sido substituído pelo altar dos “levitas” ou para os ”sacrifícios” em dinheiro dos mercenários mercantilistas. A “pregação” da Palavra é, hoje, conceituada como qualquer um que sobe na plataforma e começa a falar ou gritar.

Talvez você, lendo esse texto, pense: - “Na minha igreja a pregação é sempre um espaço grande e recebemos visitas de diversos pregadores”. Esse artigo quer alertar que não basta um tempo grande para a pregação e nem que a plataforma esteja cheia de homens engravatados; antes é necessária a avaliação da qualidade dessa pregação. A pregação precisa ser avaliada, assim como fazia os cristãos bereanos, que por sua nobreza, comparam as homilias de Paulo com as Sagradas Escrituras.

Quais são as causas da “morte do púlpito” no evangelicalismo moderno?

A) Espiritualidade em baixa é igual à pregação sem qualidade.

A pobreza das pregações é evidente nesses últimos dias, pois isso é conseqüência direta da pobreza na vida cristã, pois como dizia Arthur Skevington Wood: “Leva-se uma vida inteira para preparar um sermão, porque é necessária uma vida inteira

para preparar um homem de Deus”. Enquanto a espiritualidade da Igreja estiver em baixa, a pregação, por mais espiritual que ela pareça ser, não passará de palavras jogada ao vento. Não basta uma pregação erudita, mas a erudição deve ser acompanhada de contrição, humildade e oração, pois bem escreveu E. M. Bounds: “Dedique-se ao estudo da santidade de vida universal. Sua utilidade depende disso. Seus sermões duram não mais do que uma ou duas horas; sua vida prega a semana inteira.”

Hoje existem muitas igrejas que oram “bastante”, são campanhas atrás de campanhas, mas essas orações não passam de busca “dos próprios deleites” ou de “determinações” de bênçãos. Ora, a oração sem a busca da face de Deus é uma característica do evangelicalismo contemporâneo. Uma igreja que ora errado, logo terá pregadores pobres.

B) A falta de preparo para pregar.

Erudição, esmero e homilética não são inimigos da espiritualidade. Um mito vigente na igreja brasileira é que quem se prepara muito para pregar, terá uma pregação “não ungida”. Isso é mera desculpa de pregador preguiçoso. Você, leitor, já deve ter visto alguém dizer: - “Quando cheguei aqui não sabia o que ia pregar, mas assim que subi nesse altar o Espírito Santo me revelou outra Palavra” ou “Eu não preparo pregação, o Espírito de Deus me revela”… São frases irresponsáveis e brincam com o Espírito Santo, atribuindo a Ele sua preguiça de passar várias horas em estudo e oração para pregar a Palavra.

Hoje, pregar com esboço em papel é quase um pecado em muitas igrejas; alguns olham com “cara feia” para os que levam algo escrito em sua homilia. Será que não sabem que um dos sermões mais impactantes da história, foi literalmente lido pelo pregador. Esse sermão era “Pecadores na mão de um Deus irado”, que Jonathan Edwards pregou em 08 de Julho de 1741 na capela de Enfield. O biógrafo de Edwards, J. Wilbur Chapman , relatou:

Edwards segurava o manuscrito tão perto dos olhos, que os ouvintes não podiam ver-lhe o rosto. Porém, com a continuação da leitura, o grande audi tório ficou abalado. Um homem correu para a frente, cla mando: Sr. Edwards, tenha compaixão! Outros se agarra ram aos bancos, pensando que iam cair no Inferno. Vi as colunas que eles abraçaram para se firmarem, pensando que o Juízo Final havia chegado.[1]

C) Ter uma visão pragmática sobre a pregação.

Para muitos, uma pregação só é válida se houver resultados. As pessoas não querem saber se o conteúdo da pregação é biblico ou herético, mas preferem esperar pelos resultados propagados pelo pregador. A primeira motivação dos pragmáticos é buscar a praticidade, portanto o pragmatismo é casado com o imediatismo, onde tudo tem quer ser aqui e agora.

O conceito de pregação “ungida” é bem pragmática, pois para boa parte da comunidade evangélica, a boa pregação tem que envolver o emocional, nesse contexto nasce frases do tipo “crente que não faz barulho está com defeito de fabricação”. Se não houver choro, gritos, pulos ou outras manifestações “espirituais”, a pregação perde o seu valor para aos cristãos atuais.

Pregadores pragmáticos gostam de ver seus ouvintes interagindo exageradamente no culto. É constante dos pregadores mandarem as pessoas glorificarem e até falar em línguas. Nesses cultos a justificativa para essas ordens é que “quando a glória daIgreja sobe, a glória do céu desce”. Não há respaldo bíblico para esse tipo de pensamento que é passado como algo bíblico. A emoção e as experiências fazem parte da vida cristã, mas não devem normatizar a liturgia ou direcionar os crentes, pois os verdadeiros cristãos tem a Palavra de Deus, e somente Ela, como regra de fé e prática.

D) Pastor-professor X pregador-ator

Eis o dilema existente no evangelicalismo moderno. O pastor-mestre foi substituído pelo pregador-carismático-ator. O mestre que orientava a sua congregação nas Sagradas Letras, sendo um homem de estudos e contemplativo, era característico de piedosos servos de Deus, como Charles Spurgeon, Jonathan Edwards, D. L. Moody etc.

O púlpito tem sido morto pelo estrelismo de pastores-atores, que confundem a plataforma da igreja com um palco para entretenimento, são pessoas que pregam o que a congregação quer ouvir e fazem de seus carismas uma imposição de sua pessoa. Quem estuda a história da igreja, verá que os piedosos servos de Deus, da Reforma as Grande Despertamento do século 18, eram homens de grande interesse pela pregação expositiva, onde o texto fala por si só. A partir do século 19, os sermões são cada vez mais temáticos e os pregadores mais articulados no estrelismo.

O Movimento Pentecostal peca, e gravemente, em não valorizar os sermões bem preparados e articulados, ungidos pelo Espírito Santo, para edificação da congregação. Em uma piedade aparente, muito exaltam a ignorância como virtude, justificando os sermões artificiais, sem profundidade e recheados de chicles, modismos e até heresias.


Autor: Gutierres Siqueira  

Da série - O Senhor da Criação



Clique na imagem e baixe para o seu PC

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Adoração Pública



Deus nos dá várias formas de crescimento: oração e Escritura, silêncio e solitude, sofrimento e serviço. No entanto, o principal meio é o da adoração pública. O crescimento espiritual não pode ocorrer no isolamento. Não se trata de algo privado entre o cristão e Deus. Na adoração, vimos perante Deus que ele nos ama na presença de outros a quem ele também ama. Na adoração, mais que em qualquer outra coisa, nos colocamos deliberadamente em posição de abertura à ação de Deus e à necessidade do próximo que exigem que cresçamos plenamente à altura de Cristo, que é Deus e homem por nós. A adoração regular e fiel é tão essencial ao cristão em desenvolvimento como o alimento e o abrigo o são para o crescimento da criança. A adoração é a luz e o ar nos quais o crescimento espiritual ocorre.


“Eles seguiam uma disciplina diária de adoração no Templo, seguida de refeições nos lares, cada refeição uma celebração exuberante e alegre, enquanto louvavam a Deus.” Atos 2.46-47a


(extraído de Um Ano com Eugene Peterson, Editora Palavra, 2008)

E não vos embriagueis com vinho - Efésios 5:18


 
Efésios 5:18 "E não vos embriagueis com vinho, em que há contenda, mas enchei-vos do Espírito;"

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

A diferença entre Jesus e os cristãos




Dia desses resolvi ler um trecho do evangelho de Lucas, lá pelo capítulo onze; cheguei até a parte em que Jesus foi convidado para um jantar na casa de um fariseu, onde tinha muita comida boa e também, muita frescura. O fariseu sentiu-se escandalizado só por que Jesus não lavou as mãos antes de comer, ah, e não é que o fariseu estivesse com nojinho por achar anti-higiênico comer sem se lavar, mas sim por motivos cerimoniais. Jesus como não gostava dessa hipocrisia religiosa – na verdade ele não gostava de hipocrisia –, foi logo “descendo sarrafo” e disse que assim como limpavam o exterior deviam limpar o interior, que estava cheio de ávida ganância e perversidade. É claro que os religiosos não gostaram nada do que Ele disse, e foram logo se defendendo, o que não adiantou muito, e mais uma vez ficaram sem saber o que dizer, e como de costume começaram a planejar uma forma de confundi-lo através das palavras. Será que não percebiam que Jesus além de conhecer a intenção de seus corações, tinha as repostas para qualquer coisa que dissesse respeito à vida humana e ao reino de Deus?

Jesus nunca se deixou enganar pela hipocrisia dos religiosos de seu tempo; a máscara de santidade poderia até convencer aos outros e até a si próprios, mas nunca a Jesus, e não precisava ser Deus para se ter essa percepção, bastava observar as obras dos tais “santos” de Deus. (Mt 12:1-7; Lc 11:42)

Toda hipocrisia, mentira, falsidade enche o saco, mas a hipocrisia religiosa, mais especificadamente a cristã, é terrível, pois se finge em nome de Deus. Cristo odiou a hipocrisia dos fariseus e odeia a hipocrisia cristã, que valoriza a aparência mais do que o indivíduo, os dogmas mais do que a misericórdia e o MEU mais do que o NOSSO.

Muitos cristãos acham que fama, sucesso e dinheiro, é o que Cristo deseja para todos os seus seguidores. “Não nascemos para ser cauda e sim cabeça”, dizem, e baseados nisso, vivem em busca de prosperidade e reconhecimento. Quanto maior você é, mais será bajulado, admirado, invejado. Status, dinheiro... em algumas igrejas quem manda é quem dá o dízimo maior, quem é mais conhecido ou possui alguma influência. Pra que viver no anonimato se você pode ser um pastor famoso ou um artista gospel conhecido? Pode até ter sua música na novela das oito se tiver fé, claro que é tudo para glória do Senhor, pois esse é o seu propósito, tornar seus amados filhos melhores que os filhos do Diabo. Ledo engano. Enquanto esteve aqui na terra, Jesus nunca procurou holofotes, jamais quis aparecer ou ter qualquer reconhecimento, seu prazer era viver para glória do Pai. Jesus gostava de estar entre pessoas que não eram desejadas pela sociedade de seu tempo e certa feita, agradeceu ao Pai por ocultar aos sábios e instruídos o que foi revelado aos pequeninos (Lc 10:21), imagino que seja por que uns são arrogantes, pois só consideram como verdade, a verdade de seus próprios corações, e outros, humildes o suficiente para aceitar depender unicamente daquele que se declarou como sendo a única verdade.

Diferente de alguns cristãos, Jesus não tinha como objetivo “esfregar” sua verdade na cara de alguém, não estava interessado em provar a torto e a direito que era Deus e não andava por ai com partido político-religioso tentando dominar a capital do império romano para instaurar o culto à sua pessoa, ao contrário, Ele disse que quem quisesse segui-lo deveria viver Dele (Mc 8: 34-35). Também, não ameaçava com inferno aqueles que não o aceitassem como Salvador. Não consigo imaginar Jesus olhando torto para um homossexual, um negro, uma mulher, um deficiente, gente que constantemente sofre preconceitos. Tenho quase certeza que Ele desejaria se achegar a estas pessoas e conversar sobre os mais variados assuntos, pois Jesus gostava de estar com todo tipo de pessoa, definitivamente a intolerância não era característica sua.

A recomendação de Jesus é que seus seguidores sejam sal e luz da terra, ou seja, devem influenciar as pessoas ao redor com a sua fé, demonstrando amor ao irmão da sua própria igreja, ao vizinho, ao colega de trabalho, ou a qualquer outro ser humano, mesmo que este não compartilhe a mesma crença. Todo aquele que está em Cristo ama independente do que o outro É. Jesus é assim, ama e está pronto a receber a qualquer um; aceita cada ser humano, independente da cor, do sexo, da condição social, e deseja que cada um dos seus seguidores sinta, veja e que sobre tudo, AME como Ele.



Como é difícil lembrar que o reino de Deus me chama para amar a mulher que acabou de sair da clínica de abortos (e, sim, até seu médico), a pessoa promíscua que está morrendo de AIDS, o rico proprietário de terras que está explorando a criação de Deus. Se não consigo demonstrar amor a tais pessoas, então devo questionar se realmente entendi o evangelho de Jesus.

Philip Yancey


Por:  Helen Araujo


Grande$ Igreja$: excelente$ negócio$! Parte 1

sábado, 7 de novembro de 2009

Caio Fábio fala sobre a religiosidade - Livrai-nos da “Caiofobia”, Senhor!

Caio Fábio fala sobre a religiosidade.Assita o vídeo e em seguida leia o texto abaixo.






Livrai-nos da  “Caiofobia”, Senhor!  


Estava tão acostumado a ver o Caio Fábio com o seu jeitão de pregador revolucionário, vestido elegantemente de terno e gravata, com o ar altivo de quem irradia confiança e carisma, que a minha resistência psicológica ao que não é padrão, às vezes, não quer aceitar o seu novo jeito simples e humilde de pregar como quem está conversando na mesa de um botequim.


Tenho bem guardado na memória os gigantescos congressos, nos quais, ele sempre era o orador oficial escolhido por unanimidade. Lembro-me ainda do grande número de pastores que nos palanques e púlpitos disputavam um lugar ao seu lado, todos boquiabertos com a maneira enfática e convincente, que só ele possuía, ao manejar a Palavra. E eu maravilhado, o via como um comandante vitorioso em seu panteão de glória, com a espada brandindo no ar, repelindo as hostes inimigas com brados de guerra, que em minha imaginação se transformavam em dardos flamejantes espargidos no ar, ao som de aclamações que me envolviam num clima comovente e quase ficcional.


Agora, me comungo com um Caio simples e sem arroubos, desprovido de sua indumentária costumeira, trocada por uma roupa simples de homem do povo. Vejo-o mais perto de mim, como quem está conversando no terraço de minha casa, tendo nos pés apenas um par de chinelos. A grande plateia transformou-se de repente em uns poucos, mas sinceros e silenciosos jovens numa pequena sala. Sinto-me gratificado ao ouvir o Caio de hoje, mais contundente e mais incisivo nas suas críticas ao simulacro de cristianismo que por aí se prega, Vejo-me junto da “galera” ─ todos sentados em bancos duros, ouvindo ele exercitar os dons que Deus lhe concedeu.


Esqueci esse negócio de vestimenta especial dos que sentam em cadeiras altas, fofas e confortáveis dos “púlpitos cristãos”, fechei os olhos para a exterioridade e para essa casca bela e cara com que recobrimos o nosso corpo. Soltei as amarras da falsa e tradicional santidade empoeirada, e deixei-me surpreender pela fala do agora mais maduro Caio. Deixei-me flutuar ante os seus firmes, significantes e bem elaborados estudos bíblicos. As palavras que agora saem de sua boca, talvez, não tenham aquele calor que incendiava os ambientes e levava muitos ao êxtase. Hoje, eu sinto nelas, um sabor diferente, que só com o auxílio do silêncio poderão ser perfeitamente degustadas. Ouço as suas preleções como quem ouve um concerto de uma orquestra sinfônica, o qual, para ser sentido com a alma requer o máximo de silêncio.


O seu jeito mais humilde, os seus trajes idênticos aos do povão, a sua mensagem fluindo como a placidez das águas de um rio, foram fatores preponderantes para desvanecer a “Caiofobia” que me invadira há algum tempo. Então, eu pude despertar para entender que aquele mal-estar inicial que se apoderara de mim, era simplesmente o ranço do preconceito, por me ver privado agora da exterioridade do reverendo dos tempos de minha “Caiomania”. Tinha sido eu mesmo que criara um pedestal para que o antigo Caio se solidificasse em minha mente como uma imagem de escultura. Ao mudar a sua postura, o velho Caio levou consigo a imagem petrificada, que eu fizera dele ─, análogo a composição musical “A Rita”, de Chico Buarque, que aqui cito um trecho: “...ele me causou perdas e danos. Levou os meus planos, meus pobres enganos[...]”



Apesar de relegado ao ostracismo pelos fariseus de ocasião, virando “saco de pancada” dos que antes o aplaudiam, o Caio não se atemorizou nem se acovardou. Renovou suas forças, e teve a humildade e a coragem de continuar sua missão, agora mais solitário, sem os amigos de Jó por perto, sem as pompas e adulações que antes mais atrapalhava do que ajudava o seu caminhar.

No tempo de Moisés, os filhos de Israel destinavam um bode, para receber por transferência, todos os pecados por eles cometidos. Será que os “Caiofóbicos” empedernidos da atualidade não estão querendo que o Reverendo tome o lugar do “bode expiatório” de que relata a Bíblia, para então assim, se verem livres de suas próprias mazelas e sujeiras escondidas a sete chaves? 



Por: Levi B. Santos


Unção da metralhadora..tiro nos pès das crianças.

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Alexandre Fernandes responde aos comentários - O Cristão pode ir ao motel ou não?




Devido a repercussão que o artigo intitulado "O Cristão pode ir no motel ou não? (Clique aqui) ", a equipe do Veshame entrou em contato com o autor do texto, o Alexandre Fernandes, que gentilmente nos atendeu e respondeu enviando-nos o seguinte texto:

"Bom dia a todos. Um prazer comentar nesse blog. Fui que escreveu o artigo no Gospel Prime.

Sou evangélico, convertido há 19 anos. Sou casado, tenho 1 filha, estou com minha esposa desde os 17. Minha especialidade é estudo sobre Relacionamento de Casais Cristãos ou apenas um Cristão do Casal.

O que me admira no meio evangélico é que tudo as pessoas querem ter base bíblica. Não desmereço a Palavra de Deus em nada, mas também o texto da bíblia onde Paulo Diz: Tudo me é lícito, mas nem tudo me convém... mostra que muitas situações, atitudes entre outras não estariam escritas na Bíblia e teríamos que colocar na balança se devemos ou não.

Existem situações na vida que é lógico o Cristão dizer Não! Mas outros, acontece a dúvida. Então voltamos na palavra, vou afimar o que Cristo disse: Seja a palavra do Crente, sim sim, não não. Então, o Cristão pode ir ao Motel? NÃO! eu digo SIM. SIM pra mim. O texto fala de mim e um atendimento.

Eu escrevo apenas o que vivo, não escrevo situações e nem se eu estivesse em casa conseguiria viver a luz da Bíblia ao pé da letra, já que o mais justo, dos justos peca 7 vezes.

Então, passo horas ouvindo pessoas com problemas no casamento, onde é muito fácil dizer (tenha fé, confie em Deus, ore Jejue), aconselhar é fácil, escrever num blog mais fácil ainda, mas no dia a dia, convivência palavras de ânimo de nada ajudam. Além da fé, a pessoa também precisa de Obras, ou seja, atitude.

Vejo casamentos acabarem por causa de filho. Vejo casais na igreja que a esposa deixa o filho pra morar com a avó, por quê o marido do segundo casamento (casamento na igreja) não gosta do menino, ou aqueles casais onde um dos parceiros não queria um filho e agora um deles tem que ficar em casa, cuidando de criança o dia todo por não tem condições de cuidar de uma babá, problemas financeiros, querem voltar a sair para os lugares que gostariam mas não podem, pq não tem carro pra levar toda a tralha de roupa e comida de viagem para viajar e nem todas as pessoas tem essa coragem de se sacrificar hoje.
 

Sabe onde fica o relacionamento, carinho, sexo, desaparece. Tudo isso dá lugar aos problemas. E quando o casal mora em casa ou apartamento de apenas 1 ou 2 cômodos e o filho tem que dormir na mesma cama? Aí que o relacionamento acaba mesmo quando a criança vai crescendo.

Então é muito fácil, chegar na internet e dizer o que acha, ou afirmar (não dá certo, se separa, cada um vai pra um canto) quando não está em suas mãos em Terapia, um casal cristão, com anos de convertidos querendo se separar, mesmo a gente recomendando a luz da bíblia. Fácil, todo mundo só olha pro seu humbigo (eu não, não é, esse cara não é crente, ridículo) vem pro meu lugar. Tenha vidas em suas mãos e pregue a palavra... ou afirme a palavra de Deus cura, faz e acontece! claro que faz! Mas os problemas afogam.

Por isso em diversas ocasiões eu recomendo: Se você é casado, faz anos que não tem um bom relacionamento com a esposa, por falta de tempo por causa de filhos pequenos, por que moram na casa da sogra, por causa de problemas financeiros (casado sabe que falta de dinheiro gera inúmeras discussões), deixar a casa e ir pra um lugar onde não tem barulho, que você possa se desligar dos problemas, possa conversar, se relacionar, lembrar, fazer sexo com prazer, sem preocupações, aproveitar o que a estadia te oferece, coisas que não faz a muito tempo, por que não fazer num motel?

Ou aos puritanos, façam na praça, ou fiquem reclamando que seu marido ou esposo já não fazem nada, por causa das inúmeras coisas que citei aqui e outras mais, por que casamento sem sexo, não é casamento, é amizade. O crente ainda vê sexo como algo que deve ser feito em uma cama com pano branco quando na verdade entre quadro parades não interessa a ninguém.

Dos casais que atendi até hoje, apenas 2 se separam e se casaram novamente com pessoas da mesma igreja (talvez você acha isso correto) mas a maioria hoje vive bem, separa seu tempo pra passear (não necessariamente ir ao motel, já passaram dessa fase) mas separar um tempo só para o casal, restaurante (sempre acaba na cama) esse tipo de coisas que na frente do pastor queremos mostrar que tudo é perfeito, quando não é.

Bom... escrevam o que quiserem. Cada um tem que agir conforme a sua fé. Se você tem fé pra se desligar e ir, vá, se não, não vá. Faça em casa com tranquilidade de quem pode, ou se reprima, se negue, afinal de contas a vida é sua.

Fique com Deus. Se precisarem de exclarecimentos sobre o assunto. Podem me procurar."

                                                                                                                   Alexandre Fernandes





 
Pesquisa personalizada