quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Misericórdia versus Moralidade



A segunda maneira pela qual a revolução de Jesus me afeta centraliza-se em como devemos olhar para as pessoas “diferentes”. O exemplo de Jesus convence-me hoje porque sinto uma guinada sutil na direção inversa. Conforme a sociedade se desenvolve e a imoralidade aumenta, ouço alguns cristãos clamarem de que precisamos demonstrar menos misericórdia e mais moralidade, clamores que retrocedem ao estilo do Antigo Testamento.

Uma frase utilizada por Pedro e Paulo tornou-se uma de minhas imagens preferidas do Novo Testamento. Temos que administrar, ou “ser despenseiros” da graça de Deus, dizem os dois apóstolos. A imagem traz à mente um dos antiquados “vaporizadores” que as mulheres usavam antes de se aperfeiçoar a tecnologia dos sprays. Apertava-se uma bomba de borracha e gotículas de perfume saíam dos buraquinhos na outra ponta. Algumas gotas bastavam para o corpo inteiro; alguns poucos apertões bastavam para mudar a atmosfera de um quarto. Creio que é assim que a graça deve operar. Ela não converte o mundo inteiro ou toda uma sociedade, mais enriquece a atmosfera.

Agora receio que a imagem predominante dos cristãos tenha mudado de um vaporizador de perfume para diferentes embalagens de sprays: o tipo utilizado para exterminar insetos, Veja, uma barata! Spray nela. Veja, um foco do maligno. Spray nele. Alguns cristãos que conheço assumiram a tarefa de “dedetizadores morais” para a sociedade infestada pelo mal que os rodeia.

Sinto uma profunda preocupação por nossa sociedade. Estou tocado, entretanto, pelo poder alternativo da misericórdia demonstrada por Jesus, que veio para os doentes e não para os sãos, para os pecadores e não para os justos. Jesus nunca aprovou o mal, mas estava pronto a perdoá-lo. De alguma forma, ganhou a reputação de amigo dos pecadores, uma reputação que seus discípulos correm o risco de perder. Como diz Dorothy Day: “Eu realmente só amo a Deus na proporção em que amo a pessoa que menos amo.


Phillip Yancey - Extraído do livro “Maravilhosa Graça”

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe um comentário

 
Pesquisa personalizada