sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Esse tal de "reteté"!



Quem inventou esse tal de "reteté"? Seja lá quem lançou isso no meio pentecostal, "reteté" virou moda, estilo musical, estilo de pregação e por aí vai. Sinceramente, respeito e admiro todas as manifestações religiosas no meio pentecostal. Mas também é preciso ver as coisas com o olhar do bom entendimento.

O tal do "reteté", em muitos cultos de algumas igrejas que se dizem pentecostais, é uma mistura de arrastapé, golpes de karate e umas gritarias esquisitas. O grande problema não está nas manifestações corpóreas e vocais em si, mas no sentido, na finalidade . Qual a razão de tudo isso? Tem gente que entra no "reteté" com uma "cara lavada"... você percebe que a coisa é forçada, interpretada, encenada. Qual o propósito relevante dessas experiências? Que fundamento há? Já ouvi um defensor do reteté recorrer ao texto paulino que afirma que "Deus escolheu as coisas loucas desse mundo para confundir as sábias". Já ouvi dizer também que Davi entrou no "reteté" na ocasião do retorno da Arca da Aliança para Jerusalém. Os de espírito mais humorístico dizem que Jesus era do "reteté". Afirmam que o "reteté" é alegria no e do Espírito, é o explodir da glória de Deus, é o transbordar da unção, capaz de levar a pessoa a perder o domínio do próprio corpo. Os praticantes do reteté alegam que as expressões são involuntárias e imprevisíveis, ou seja, não é a pessoa, mas o Espírito de Deus que dela se apodera, conduzindo-a aos movimentos e manifestações.

Longe de mim ser grosseiro com a fé de alguém. O que desejo não é agressão, muito menos escárnio, mas sim, reflexão. Observo, não raras vezes, pregadores e cantores que praticam o reteté para emocionar as pessoas. Meu pastor contou a história de um jovem pregador que, antes de pregar, virava-se para um de seus amigos e dizia: “quer ver como coloco fogo nesse culto”! Pregava meia dúzia de palavras, fechava a Bíblia, tirava o paletó e soltava um carrilhão de “línguas estranhas” e “profetadas” e desferia uma série de socos e chutes no ar. E a galera ia à loucura! O mais importante esse jovem negligenciava nas suas pregações: a exposição da Palavra que cura, salva e transforma. Tem muita gente cheia de “reteté” e sem fé, sem amor, que não gosta de ler a Bíblia nem frequentar os cultos de estudo da Palavra de Deus. Já vi cada coisa, meu povo! Tem gente que pula, sapateia e redopia... sai do culto caluniando o irmão, chega em casa e bate na esposa. Acredito que quando o Espírito nos controla um novo coração é implantado em nós.

O problema é que o reteté se tornou uma cultura tão forte em algumas igrejas, que a maioria das músicas evangélicas, no estilo pentecostal, são feitas no ritmo que proporcione um clima propício para que as pessoas entrem no “reteté”. Surgiu até um grupo chamado “Fogo no Pé”, que canta um forró gospel pentecostal, ideal para ser tocado nos cultos e vigílias, cujo interesse seja o de levar todo mundo a se “descabelar” no “reteté”, ao invés de se buscar mais comunhão com Deus em oração e adoração. Tem pregador que, ao concluir a mensagem, pede para que alguém cante uma “música de poder” ou de “fogo” para que o povo entre no reteté. Isso virou moda gente! Em muitos eventos “pentecostais” se o pregador e o cantor não forem do “reteté”, não fizerem o reteté, enfim, o povo sai falando mal, dizendo que o camarada não tem unção. Um dia eu convidei um jovem pastor para pregar em um congresso de adolescentes na minha igreja. Um irmão me perguntou: “esse pregador é do reteté?” Gentilmente respondi: “se ele é do reteté, isso não sei; o que sei é que ele é um pregador, e é isso que nós precisamos em nosso congresso – alguém que pregue a Palavra”.

Tem gente que pratica o reteté sem saber o porquê e o pra quê. “As coisas de Deus não se explicam”, afirmam alguns. É preciso pedir-se desculpas à irmã Hermenêutica e ao irmão Bom Senso, infelizmente tão desprezados por alguns crentes. É preciso que se leia mais os ensinos de Paulo aos irmãos coríntios. É preciso um resgate da espiritualidade genuína. Pelo menos eu faço minha parte, praticando tudo aquilo que é santo, tudo que é louvável, tudo que tenha algum proveito.

Crédito: Jonathas Da Silva Diniz

6 comentários:

INDIGNADO disse...

No centro de macumba também tem retete.
Gente vamos ter mais respeito com a adoração à Deus pois a palavra nos alerta contra o mau da falta de entendimento.
Vamos ler mais a biblia.
E TENHO DITO...

Luciano Esposito disse...

Depois de ler e ver o video percebi que era uma igreja, pois ela é tão mal arrumada que parece um centro espirita com aquela cruz no meio do pulpito. Já fui em muitas igrejas pobres pregar mas nunca vi uma tão bagunçada como esta.Pobreza ou riqueza materialo Senhor não faz questão, mas pobreza de espirito e alma são outros fquinhentos, falando em quinhentos como andam os HERNANDES????

Anônimo disse...

Realmente essa história do reteté, temos que saber a diferença entre a palhaçada e o agir de Deus
pra saber a diferença é muito fácil é só ter o discernimento do Espíritoo
pronto acabou a palhaçadaa..

Anônimo disse...

Discernimento: E saber a diferença ( 2 Sm 19.35 ), e perceber com clareza ( Ed 3.13 ), discernir espíritos e a capacidade para saber a diferença entre os dons do Espírito Santo e os que não são ( 1 Co 12.10 ).
Enfim e saber o que provem e convém de Deus.

ana cristina disse...

parabéns por seus comentários sóbrios e respeitosos li em outro blog um artigo sobre esse assunto ridicularizando igrejas pentecostais e esse é o caminho,respeitar pra ser respeitado!!!! a paz!!

kekeu disse...

sou do reteted

Postar um comentário

Deixe um comentário

 
Pesquisa personalizada