quinta-feira, 28 de maio de 2009

O mercado da fé. Nos últimos anos, o número de católicos no Brasil decresceu 20%



Comunidades eclesiais são alternativa para deixar Igreja mais perto do povo


Rio – Como supermercados, igrejas disputam clientela. A diferença é que eles oferecem produtos mais baratos e, elas, prometem alívio ao sofrimento, paz espiritual, prosperidade e salvação. Por enquanto, não há disputa nessa competição.

Quem mais se sente incomodada com a nova geografia da fé é a Igreja Católica. Nos últimos anos, o número de católicos no Brasil decresceu 20% (IBGE, 2003).

A Igreja Católica não consegue se modernizar. Considere-se sua estrutura predominante: a paróquia. Encontrar um padre disponível às três da tarde é quase um milagre. Mas há igrejas evangélicas onde pastores e obreiros fazem plantão toda a madrugada.

A Igreja Católica tem poucos pastores porque, ao contrário das demais Igrejas, exige de seus pastores o celibato e exclui as mulheres do acesso ao sacerdócio.

Quem conhece uma paróquia vibrante? Existem, mas são raras. Em que paróquia de classe média os pobres se sentem em casa?

Não é o caso das Igrejas evangélicas; basta entrar numa delas, mesmo em bairros nobres, para constatar quanta gente simples ali se encontra.

As Igrejas evangélicas sabem lidar com os meios de comunicação. Pode-se discutir o conteúdo de sua programação e os métodos de atrair fiel. Mas sabem falar uma linguagem que o povo entende e, por isso, alcançam tanta audiência.

A Igreja Católica tenta correr atrás com showmissas, padres aeróbicos ou cantores. É a espetacularização do sagrado.
As Comunidades Eclesiais de Base são uma promissora alternativa pastoral. Em julho, elas promovem, em Porto Velho (RO), o seu 12º encontro nacional.

Fonte: Jornal O Dia (autor: Frei Beto)

5 comentários:

MINISTÉRIO BATISTA BERÉIA disse...

Olá João, graça e paz!
Essa questão do crescimento das igrejas evangélicas é muito questionável, pois nós vemos muitos templos, muitas pessoas nas igrejas, mas muito pouca mudança de vida. Não está havendo mudanças comportamentais e nem sociais com a maioria das pessoas que lotam as igrejas, elas continuam com as suas vidas espiritualmente miseráveis e desgraçadas. Creio que seja porque o evangelho transformador que está arraigado na cruz de Cristo está sendo negligenciada dos púlpitos atualmente. A maioria das igrejas só pregam vitória e prosperidade, se esquecem ou não sabem que a vitória e a prosperidade é servir ao Senhor, e não há necesidade de viver em busca desse tipo de coisa, isso é algo natural em nossas vidas. Porque o Senhor não satisfaz todos os nossos desejos, mas supre todas as nossas necessidades.
Fique na Paz!!
Pr Silas

Anônimo disse...

JP - Não publica esse post é só sugestão:

Dá uma olhada nesse vídeo:
http://www.youtube.com/watch?v=8fqDa8RPt0o

Publica no teu blog se tu não tiver.
Nos próximos dias eu vou comentá-lo no meu blog, numa série que eu comecei Interpretações Toscas da Bíblia.
Tem gente que tá vendo meu blog graças ao teu e o Púlpito Cristão. Valeu!

João Paulo Fernandes disse...

Olá Ministério Batista! Concordo com você. O maior é problema nisso tudo é cofundir crescimento com inchaço! Abraço!

João Paulo Fernandes disse...

Anônimo

Vou da uma olhada nesse vídeo que voce sugeriu. Mas se não estou enganado ele é um pouco antigo.
Que bom que blogs que falam realmente de Cristo estão crescendo, é uma nova estratégia de pregar as boas-novas.
Queria da uma olhada no seu blog, voce poderia postar aqui o endereço.

Abraço!

Avelar Jr. disse...

JP, O anônimo sou eu: Avelar Junior. Eu pensei que tivesse assinado. Ei, apaga o post lá, era surpresa!

Postar um comentário

Deixe um comentário

 
Pesquisa personalizada