quinta-feira, 16 de abril de 2009

Ainda tem gente de Deus



Feirante

Arruma a cangalha na cacunda que a rapadura é doce mas não é mole não
E genipapo no balaio pesa,
Anda, aperta o passo pra chegar ligeiro,
Farinha boa se molhar não presta
Olha lá na curva a chuva no lagedo

Quem foi que te disse que a vida é um mar de rosas? [2x]

Rosas têm espinhos, e pedras no caminho
Daqui até a cidade é pra mais de tantas léguas
Firma o passo, segue em frente,
Que essa luta não tem trégua
Fica na beira da estrada quem o fardo não carrega
A granel felicidade não custeia o lavrador
Vamos embora que a jornada é muito longa
E não há mais tempo de chorar por mais ninguém
Lá na feira a gente compra, a gente vende,
A gente pede, até barganha aquilo que comprou
E te prometo que depois no fim de tudo na Quitanda da Esperança
Eu te compro um sonho de açucar mascavo embrulhado num papel de seda azul

[Só] Pra te consolar ôh [4x]

Interpretada por João Alexandre
Composição: indisponível

1 comentários:

Levi Bronzeado disse...

Tem letra para ninguém botar defeito. Tem melodia que bem poderia representar o Brasil em qualquer festival de música.
Mas, LAMENTAVELMENTE,não é cantada na grande maioria das igrejas.

A razão desse escanteio, é porque ela bate muito forte na hipocrisia das lideranças gospel, que vivem se lambuzando de algodão doce, que só serve para enganar o estômago.

Bravo, grande Alexandre!!!

Postar um comentário

Deixe um comentário

 
Pesquisa personalizada